ageha_sakura Ageha Sakura

Hoseok, desde a infância, amava ser diferente, sempre encantado pelas vestes de sua querida mãe, pois o brilho das joias e dos tecidos era capaz de levar o pequeno garotinho às nuvens. Com o passar dos anos, ele enfrentou na pele as dificuldades de ser ele mesmo, mas nunca se deixou abalar por isso, pelo contrário, se tornou forte e cresceu com o pensamento de que iria lutar pela sua liberdade e a dos outros. E, em meio à sua causa, decide inovar, vestindo-se como Marilyn Monroe e se tornando o exemplo ao qual todos admiravam, principalmente Yoongi, que se deixou colorir pelas cores de Hoseok.


Fanfiction Bands/Singers Not for children under 13.

#hoseok #yoongi #suga #jhope #jung-hoseok #min-yoongi #dragqueen #dragau #hoseokdrag #sugahope #hopesuga #yoonseok #sope
3
2.3k VIEWS
Completed
reading time
AA Share

Que Colorem as Almas

Bom dia / Boa tarde / Boa noite


Sejam todos bem vindos a "As Cores da Liberdade"!


Essa foi a minha última fanfic escrita para o projeto @/jhistory que dedicava todo o seu apoio a histórias com o Hoseok como principal. Nesse tema tratamos sobre Drag Queens, e confesso que foi imenso desafio para mim escrevê-la e o medo sempre falava mais alto, mas aqui está ela.


Espero que gostem e possam desfrutar de uma boa leitura 💞


______________________


Hoseok não sabia ao certo os motivos que o levaram para o quarto dos seus pais naquela bela manhã, contudo não conseguia evitar o sentimento avassalador defelicidadeque brotava em seucoraçãozinhosomente ao vislumbrar as vestes dos seus progenitores.


O pequeno Jung nunca pensou que dentro de um simples móvel poderia residir a passagem para oparaíso, mas ele estava completamenteenganado.
Seus dedinhos gorduchos resvalhavam pelos vestidos de seda e algodão, apreciando a maciez do tecido em contato com a sua pele amorenada. Era impressionante a maneira como Hoseok encantava-se com cada pequenino detalhe, sejam as cores vibrantes ou odesignestiloso de cada peça ali presente.


E, na porta ao lado, não era diferente, já que seu pai vestia-se como um verdadeirodeus, trajando ternos muito bem feitos e gravatas deslumbrantesechamativas demais para a fértil imaginação da criança.


Para Hoseok, seus pais eram como umReie umaRainha. Seu pai sempre vestia-se de forma glamurosa, cercado pelos mais diversos estilos e tons que aperfeiçoavam bem os seus traços mais envelhecidos, tornando-o um homem digno de todoesplendor.


Enquanto sua amada mãe era regada ao requinte, desde as camisetas de malha fina até os mais estilosos e volumosos vestidos, alguns rodados dignos de uma grandiosa rainha e outros mais requintados. E a junção de ambos causava um impacto impressionante, e mesmo um pequenino garoto como ele conseguia sentir a energiaextremamentepositiva que os adornava.


Era como estar dentro de um conto de fadas.


Na mente do pequeno Hoseok ele imaginava-se como um belopríncipe, já que em seu mundo de fantasia seus pais eram da realeza. O Jung queria se vestir a carácter, sentir que pertencia aquele lugar real e que poderia ser tão belo como os seus pais, por isso não resistiu em pegar o banquinho e subir para tirar um vestido simples em tom alaranjada de sua mãe, jogando-o na cama.


Em seguida, desceu e foi para o lado do pai, subindo novamente e buscando por uma gravata de cor semelhante que combinasse com o vestido, já que seus pais adoravam se vestir de forma parecida, sempre fazendo questão de demonstrar todo oesplendorque reinava dentro deles.


Tendo tudo concluído, Hoseok vestiu, observando o tecido ficar um pouco folgado em si mesmo que fosse uma criança maischeinhaque as outras.Sorriu radiante, fitando o seu reflexo começando a tornar-se luxuoso, mostrando o verdadeiropríncipeque existe dentro de si.


Virou-se para a cama e pegou a gravata com algumas listras na cor laranja, amarrando-a na cabeça como os lenços que sua irmã usava nos cabelos. Fitou novamente sua imagem e sentiu que algo estava faltando, por isso não hesitou em buscar pelas joias finas de sua mãe que encontravam-se dentro de uma caixa requintada, cheia de detalhes obviamente trabalhados a mão.


Com todo cuidado ele buscou pela peça certa, encontrando uma gargantilha cheia de pérolas tão esbranquiçadas quanto os seus dentinhos sempre sorridentes, colocando-a commuitadificuldade em volta do seu pescoço.


Agora estava deslumbrante! A imagem digna de um verdadeiropríncipeque herdou abelezade seus pais, os soberanos do seu fantasioso conto de fadas.


Em toda a sua vida, Hoseok jamais imaginou-se tão belo, sua imagem e seu sorriso reluziam à luz daquele entardecer, o pôr do sol com tons alaranjados realçavam ainda mais a delicadeza do vestido feito de seda. O vento que entrava pela janela balançava seus fios castanhos claros, tornando aquela cena semelhante ao dos filmes de romance que o garotinho raramente poderia ver.


Naquele momento, o Jung teve a certeza de que iria amar sua imagem sempre, pois sente-se belo demais,felizdemais somente em fitar a sua pequena imagem adornada por vestes tão glamourosas como as de seus pais.


Aquele foi o início. Hoseok começou a ser colorido pelascores da liberdade, e nada melhor do que olaranja para trazerprosperidadea vida do rapaz.


Ainda era apenas uma criança, mas um mundo colorido pelassete coresdoarco írisestava lhe esperando do lado de fora, pronto para apresentá-lo todas asinfinitas coresque representam aliberdade.


Todas ascoresque vãocolorindoaos poucos aalmade Hoseok.

[...]


Com o passar dos anos Hoseok foi crescendo, abandonando o lado infantil e iniciando a vida como um adolescente.


Não era nada fácil, a cada dia que mostrava seu jeitodiferentede ser eracriticado. Seus pais ao descobrirem sobre a paixão do Jung, acabaram por dar diversas broncas e castigos no rapaz, tentando impedi-lo serele mesmo. Enquanto na escola seus professores o olhavam torto e sempre lhe colocavam de castigo, recebendo como respostarisadase brincadeiras totalmenteofensivas, apresentando ao jovem que a suapaixão, o seu verdadeiroeuiria sofrer muito mais para conseguir aliberdadepor completo.


Ser livre era muito mais difícil do que Hoseok poderia imaginar, porém, desistir estava fora de questão, sua verdadeiraessênciajamais seria apagada pelos pensamentos ruins daqueles queamavae dos demais que o cercavam.


Ele estava cercado pelaignorânciae nem por isso desistiria de ser o mesmo rapaz de alma alegre, sorriso estonteante e beleza avassaladora, pois ele sentia-se bem assim, pois Hoseok era um jovemlivre.


Poderia ainda não ter conhecimento completo de quem era, mas no fundo sabia que não estava tão longe e muito menos tinha pressa, apenas queria aproveitar cada momento, enfrentar os primeiros desafios de cabeça erguida e o coração regado por sentimentos bons.


Hoseok era assim, um rapaz humilde e bondoso demais, seu sorriso era caloroso e o seu jeito de ser comovia muitos.Entretanto, alguns esqueciam de suas qualidades quando conheciamum poucodo seu verdadeiro eu, julgando-o pela capa e jogando fora todos osadjetivosespeciais que combinavam consigo.


E por ter umbomcoração ele ignorava, continuava respeitando cada um, sempre expressando a gentileza que um dia foi-lhe ensinado, pois devemos rebater omal com obeme nada mais, já que essa era a famosalei do carma.
Com a consciência limpa Hoseok continuava a persistir, lutando com todas as suas forças e enfrentando as dificuldades de crescer em um mundo regado pelo preconceito, disposto a apenas ser quem ele era e ajudar a todos que precisassem de si.


A bondade nunca abandonaria o rapaz, pois a cada dia mais sua alma eracoloridapelo espírito dobem, as cores que traziam a liberdade sempre expressavam a verdadeira essência de Hoseok e assim permaneceria por muito tempo.


O Jung sabia desde o início, até mesmo quando era uma criança que amava se divertir em meio as peças de vestimenta pertencente aos seus pais. Sempre soube que o caminho ao qual estava percorrendo não erafácil, mas em nenhum momento pensou em desistir ou deixar-se abater, pois sua alma éalegreevivacomo ele, capaz de derrubarmuralhasem prol da sua felicidade, da sua completa e glamourosaliberdade.

[...]


Era mais uma tarde tranquila, onde os raios alaranjados do sol despediam-se do oriente com pesar, mesmo que soubessem que no dia seguinte iriam se encontrar novamente.


Hoseok estava completando mais um ano de vida, os sinais da adolescência tornando-se ainda mais claros para um garoto de recentes quatorze anos.


Aquele dia tinha tudo para ser feliz, cheio de brilho e festivo como eram os seus antigos aniversários, contudo, seus pais haviam apenas lhe proibido de sair daquele quarto gigantesco que parecia lhe sufocar.


Aqueles que um dia admirou na infância não existiam mais, deram lugar a duas pessoas de coração congelado e olhar maldoso, pronto para julgar quaisquer atitudes de Hoseok como se ele fosse umterrível criminoso.

Os dias pareciam sufocar toda a sua existência, mas em especial os seus aniversários se tornaram ainda mais tortuosos, a prisão impedindo-o devivere ser quem era por causa dos preconceitos criados por aqueles que tanto admirou.


Seu coraçãodespedaçavaainda mais, bastava uma palavra fria ou uma atitude de puro desprezo,entretanto, ninguém entendia os seus sentimentos,melhor, ninguém queriacompreendê-losde fato. Todos apenas queriam que um brinquedo substituísse o rapaz de cabelos castanhos e sorriso estonteante, todavia, nem mesmo as mais maldosas atitudes eram capazes de espantar o espírito alegre e aessênciade Jung Hoseok.


No início de sua descoberta ele havia decididolutar e por isso não desistiria no meio do caminho, pois tem plena consciência de que muito mais ainda está por vir e não pode permitir que alguma dessas atitude maléficas acabem com o seueuinterior, a sua verdadeira face que tanto luta para não esconder ou permitir que a chama escarlate dela se apague.


E era fitando aquele belíssimo céu repleto de tons escuros e vibrantes que Hoseok tomou sua decisão, escolhendo por assumir ainda mais riscos em busca do seu própriocaminho, pois a jornada estava apenas começando.


O Jung abriu ainda mais a janela, colocou uma perna para fora e depois a outra, pulando do alto do segundo andar e machucando-sefeiocom a queda, mas naquele momento a dor parecia não existir, muito menos o medo ou asvozes. Naquele momento só existia ele e o seu desejo de buscar mais, explorar e desvendar o mundo decabo a rabo.


Foi seguindo os seus instintos, permitindo que toda a adrenalina do momento percorresse em altas quantidades pela sua corrente sanguínea, que Hoseok correu o mais rápido que pode, pulando cercas e limpando o suor que começava a brotar em sua testa, suportandotudoapenas para perseguir aquele caminho iluminado no horizonte, onde o céu se transforma em uma gigantesca tela e permite que as cores do mundo possam colori-lo por inteiro.


Com um largo sorriso no rosto o pequeno Jung desfrutava do seu segundo ato derebeldia, mostrando ao mundo quem ele é e quem gostaria de ser no futuro, mesmo que ele pareça incerto, ainda sim Hoseok estava permitindo-se flutuar com a ajuda da sua brilhante imaginação.


Ele correu o máximo que pode, observando a fachada da casa desaparecendo aos poucos e sumindo por completo do seu ponto de pista, alargando ainda mais o seu lindo sorriso peculiar. Com as pernas exaustas ele deu-se por vencido, apoiando as mãos na parede em busca de apoio, as bochechas rosadas pelo esforço enquanto os olhos estavam vidrados nos letreiros coloridos que estendiam-se por toda a avenida.


Ao recuperar o fôlego decidiu iniciar uma tranquila caminhada, disposto a aproveitar o seu aniversário como se fosse o último de toda a sua vida, pois segundo sua filosofiao tempo é imprevisível, mas o futuro é ainda mais e por isso devemos viver o agora, aproveitar o presente como se fosse único.


Seus olhos brilhavam intensamente cada vez que avistava a beleza das roupas expostas nas vidraças das lojas, aquecendo o coração do aniversariante e o levando a um mundo onde não existia preconceito e muito menos pessoas lhe controlando, um mundo onde Hoseok poderia ser ele mesmo.

O sorriso em formato de coração ganhava ainda mais vida, a sua marca registrada expressando o quanto sente-se bem em meio aquele lugar pacífico e cheio de brilho. Seus pés praticamente deslizavam pela calçada, o coração batia contra a caixa torácica fortemente, espalhando por todo o seu corpo doses deserotonina, o hormônio dafelicidade.


Aquele mundo o qual sonhava parecia ganhar vida, a realidade alternando entre a beleza de um mundo criado pela sua própria imaginação, onde Hoseok poderia serelee permitir que ascoresque expressamliberdadepossam preenchê-lo por completo.


Seus passos lentos parecem desfilar em meio a calçada de pedra, os olhos afiados analisavam cada mínimo detalhe presente nas fachadas das lojas e, principalmente, nas vitrines. O Jung estava encantado com as peças deslumbrantes, os conjuntos de calça e blusa feminina que conseguiam conquistar a sua atenção com exímio, tornando-se o seu ponto fraco.


Quanto mais andava mais odesejofalava em sua alma, percorrendo todo o seu corpo graças a corrente sanguínea. Seus dedos formigam esperançosos em experimentar a textura dos tecidos com diversos detalhes e rendas.


Não demorou muito para que seus lindos olhos cor de mel pudessem encontrar uma loja um tantodiferenciadadas demais. Com seus tons pastéis e as letras cursivas em tom dourado,La Noblessconquistou batidas aceleradas do seu coração, a adrenalina triplicando em seu gene e o sorriso ficando cada vez mais largo, aperfeiçoando todos os detalhes da sua face.


A vitrine esbanjava um lindo conjunto de blusa com malha um pouco grossa no tom bege, combinando com a saia xadrez longa que ia até a altura dos pés, que eram enfeitados por lindosscarpinsvermelhos.


Olhos de Hoseok brilhavam intensamente, como se todas as estrelas do céu estivessem morando em seu olhar, expressando o quanto o rapaz de sorriso largo e coração caloroso estavafelizde verdade. Em alguns anos aquele estava se tornando o melhor aniversário, por isso não resistiu mais aos encantos e ousou abrir a porta de entrada da loja.


O som suave do sino chamou a atenção de dois clientes que experimentaram as peças com a ajuda de um dos atendentes, desfilando de frente ao espelho em busca de conquistar a sua própria confiança, sentir-sebeloo suficiente para ficar com a peça escolhida.


Era analisando pessoas como aquelas que Hoseok percebia o quanto a beleza é superficial, algo criado esteticamente parapadronizaras pessoas e especificar a ideia do "feio" e "belo". Na visão do Jung a beleza é algo próprio do indivíduo, a forma como ela enxerga-se e não como os outros a enxergam.
Para o rapaz de fios castanhos a beleza é muito mais do que alguns almejam, ela é apenas um ideal falso do que realmente significa. Hoseok poderia ser apenas um mero garoto de quatorze anos, que muitos consideravam comoingênuoounovo demaispara conseguir formular um pensamento próprio, contudo, nenhuma das palavras direcionadas pelos adultos eram capazes de expulsar esse pensamento, pois somenteele é capaz de encontrar e aperfeiçoar a beleza que nasceu junto consigo.


Ainda com um sorriso largo em formato de coração ele permitiu que o corpo entrasse mais no ambiente, agradecendo mentalmente pelo ar quente que circula na loja. Seus olhinhos curiosos vasculharam rapidamente o ambiente, totalmente perdidos nos brilhos das joias e tecidos luxuosos, sem perceberem quando acabaram esbarrando em uma pessoa que tinha a capacidade de ser a própria reencarnação deAfrodite, a deusa grega da beleza.


Os lábios estavam entreabertos, a respiração estava presa em seus pulmões e as batidas do coração soaram quase audíveis ao ser a sua frente, dono de uma pose deslumbrante demais para um mero humano qualquer, por isso Hoseok julgou que ele deveria ser umanjoou algo muito próximo de umdeus.


O olhar afiado do outro encontrou o seu, um sorriso gentil nasceu nos lábios avermelhados e um simples gesto afetuoso fez o Jung sentir-se emcasa. Quem diria que um mero desconhecido, proveniente de beleza inigualável, seria capaz de promover uma quantia enorme debem estara qualquer pessoa que entrasse emLa Nobless.


O garoto de recém quatorze anos fitava intensamente a pessoa a sua frente, analisando-a dos pés a cabeça, fazendo questão de gravar cada detalhe que apenas tornava-a ainda maisbela. Uma beleza diferente da que muitos procuram ou julgam ter, era algopessoalenaturaldemais para a compreensão de um garoto tão jovem como ele, mas que os seus sentidos o instigam a busca por mais.


— Você parece perdido,garoto. — O tom rouco preencheu os seus tímpanos como doces sinfonias de algum musicista famoso.


Seu olhar felino analisava Hoseok na mesma intensidade, tentando desvendar os mistérios escondidos dentro de um corpo frágil e claramente necessitado decarinho— Onde estão os seus pais? Se precisar posso ligar para a polícia, está perdido não é bom.


O garoto engoliu em seco, temendo pelas possíveis ações que o dono da loja faria caso não desse uma resposta clara, evitando todo tipo de confusão que pudesse estragar o seu primeiro momento deliberdade em anos.


— Não estou perdido — murmurou baixo, mas foi suficiente para que o mais velho pudesse ouvir.


Ambos permaneceram em silêncio, o clima tornando-se cada vez mais palpável e difícil de suportar. Hoseok estava planejando milhares de maneiras de conseguir escapar daquele lugar, voltar a sua jornada desbravando o mundo ou simplesmente retornar a sua casa.


Seu coração estava acelerado, sua mente beirava a confusão, seus sentidos totalmente alertas a qualquer atitude que aquela pessoaincrivelmentebonita iria tomar.

— Acredito nas suas palavras — disse o mais velho mantendo o tom baixo, sua voz permaneceu amigável, despertando ainda mais sentimentos bons no pequeno Jung. — Fique à vontade para conhecer a loja, qualquer coisa pode chamar a mim ou Soojin — comunicou o mais velho, sua voz grossa tornando-o ainda mais belo naqueles trajes encantadores que lembrava os de sua mãe.


Obrigado, pessoa bonita.— E mais uma vez sua voz saiu em um sussurro, despertando um sorriso ainda mais largo e sincero nos lábios do dono da loja.


— Me chame de Boram,garoto— comunicou o Kim, os braços cruzados a frente do peito, os fios longos e loiros descendo como cascatas pelos seus ombros.


— Tudo bem, Boram. — Hoseok acenou em concordância, os olhos castanhos carregando um brilho de pura incerteza, mas que aos poucos iria mudar.— Sou Hoseok.


— Belo nome, mas tem certeza que deveria está revelando-o para mim? — questionou o Kim, a sobrancelha arqueada em puro divertimento com a expressão de surpresa do Jung. — Deveria olhar no espelho a cara que está fazendo agora. — Riu alto, chamando a atenção de alguns clientes que estavam próximos a dupla.


— Não zombe de mim, Boram! — reclamou o garoto, os braços cruzaram a frente do peito e um bico de falsa irritação formou-se em seus lábios.


— Não leve para o lado pessoal,Seokie! — O sorriso quase retangular coloriu os lábios de Boram, o peito ascendendo pequenas faíscas de felicidade no exato momento em que seus olhos cruzaram. — Vamos!


— Tudo bem, Boram.


Ainda incerto, Hoseok abandonou a entrada da loja e começou a perambular pelo estabelecimento, os finos dedos acariciando os diferentes tipos de tecidos que compunham diversos estilos de vestimentas, uma mais glamourosa e encantadora do que a outra.


Os olhos do Jung transmitiam um brilho intenso, Boram jurou ter visto eles transmitirem exatassete cores como as do arco íris que iluminava os céus. Foram apenas meros minutos trocando poucas palavras com ele, mas foi o suficiente para o Kim entender e sentir uma enorme energia que aquece e serve para abrigar e acolher a todos; tão brilhante e aquecedor como osol, este é Jung Hoseok e Boram não poderia estar mais encantado.


Algo dentro daquela criança lembrava muito a si mesmo na infância, era como estar olhando a sua imagem mais nova através de um reflexo no espelho, por isso e qualquer outro motivo que Boram não sabia explicar no momento, estava decidido a proteger e cuidar de Hoseok como se fosseseu filho, pois seus sentidos lhe diziam que o Jungnecessitavade afeto naquele momento.


Soojin do outro lado do estabelecimento notou os olhos brilhantes da pessoa queama, sorrindo boba ao vê-lo animado com uma criança bela e ao mesmo tempo encantadora e julgo que havia algo no garoto que conquistou o coração de Boram, e futuramente também iria conquistar o seu, disso ela não tinha dúvidas.


O jovem Kim explicou cada peça para o garoto, o fez experimentar alguns que percebeu ter chamado a atenção de Hoseok, não resistindo em fotografar todas as idas e vindas do provador. Não importava qual roupa ele vestisse, seu sorriso ainda é largo e aquela expressão de medo foi esvaindo-se com o passar do tempo.


Hoseok havia chegado demansinhona sua loja, os olhos brilhantes carregavam incerteza e admiração, mas agora ele estava solto e a felicidade transbordava pelos poros do rapaz. O Jung é um garotoradiantee não poderia encantar mais Boram e Soojin.


Ao vestir a última peça, Hoseok fitou o relógio de parede, dando-se conta do quão tarde estava. Seu coração acelerou rapidamente, o medo subindo por todo o seu corpo e o pânico tomando conta de si.


Seokie?— escutou Soojin chamar por ele, mas sua mente estava distraída demais, seu rosto com toda certeza havia perdido a cor e sua visão estava turva.Ele estava com medo.


Boram se aproximou do rapaz e o abraçou com força, os fios loiros cobriram o rosto do Jung e conseguiram esconder as lágrimas que começaram a rolar pelas suas lindas bochechas gordinhas.


— Você não está sozinho — sussurrou o Kim rente aos ouvidos de Hoseok, seu peito apertava somente em ver aquela criança antes sorridente agora em prantos. — Hoje é o seu aniversário, como você mesmo disse, por isso eu e Soojin estamos te dando um presente.


Ao escutar o que Boram havia dito, Hoseok afastou-se um pouco, o suficiente para que seus olhos castanhos fitassem os dele.


— Um presente? — A voz soou mais fraca do que pretendia, mas a proximidade ajudava.


— Sim,Seokie. — Escutou a voz de Soojin, aparecendo logo atrás acariciando os seus fios um pouco bagunçado. — Eu e o Boram estamos dando-te esse lenço junto com a pulseira de brilhantes, vi o quanto estava enamorado por ela.


Os olhinhos pequenos brilharam ainda mais, as lágrimas sendo de grande ajuda para tornar aquele pequeno momento triste em feliz, o coração esquentando e todo o medo de Hoseok evaporou como fumaça ao vento.


O Jung afastou-se do abraço de Boram e recebeu o lenço xadrez, colocando-o na cabeça como uma bandana, em seguida pediu para Soojin amarrar a pulseira e assim pode fitá-la com ainda mais admiração.


— Muito obrigado, não sei como retribuir a vocês. — Curvou-se em um ângulo de noventa graus perfeitos, a voz agradecida espalhando-se por toda a loja e deixando os donos ainda maisboboscom aperfeiçãodo garoto.


— Não precisa agradecer. — Boram afastou os fios castanhos de Hoseok, as mãos um pouco grossas deixando claro o quanto sentia-se confortável com o garoto. — Hoje o sol se pôs rapidamente, mas você nos trouxe ele pessoalmente e iluminou a nossa inauguração.


Soojin abraçou a cintura de Boram e apoiou a cabeça em seu ombro, sorrindo largo na direção de Hoseok.


— Você é a nossa estrela, o nosso sol e todas as cores do arco-íris. Obrigada vocêSeokie, obrigada por iluminar e colorir o nosso final de tarde. — O trio só esperou a última palavra de Soojin para enfim abraçarem-se, comovendo a quase todos os clientes da loja que assistiam o ato de afeto comadmiração.


Após o abraço apertado e caloroso como nunca mais havia sentindo, Hoseok voltou para casa com pressa, as pernas quase tropeçaram uma nas outras durante o percurso de volta ao seu quarto, de onde nunca deveria ter saído.


Mas ele não arrependia-se de maneira alguma, estava feliz como a tempos não sentia-se e, por um longo momento, o garotinho que gostava de brincar com as roupas dos pais na infância havia voltado em umahora. O tempo parecia o seu maior aliado naquele momento, talvez somente por ser o seu aniversário de quatorze anos.


Com sorte ele conseguiu chegar a salvo minutos antes de seus pais voltarem e chamarem por si. Antes de ir guardou os seus dois presentes em um lugar onde ninguém encontraria, pois temia o que fariam os mais velhos se descobrissem.


O restante da noite foi regado ao jantar simples, com a presença de alguns amigos íntimos e familiares para a sua "festa de aniversário", que desuanão tinha absolutamente nada. Contudo, nada o jovem Hoseok poderia fazer a não ser sentar e provar das guloseimas, ignorando todas as palavras de repreensão sobre suas atitudes a alguns anos atrás quando foi pego usando roupas de sua mãe.


Hoseok não arrepende-se mais, não preocupa-se mais, não julga-se e muito menos pensa em abaixar a cabeça para as atitudes horrendas daqueles que dizem quetudoé para o seubem. Poderia ainda não ter conhecimento de si mesmo, ainda olhava no espelho e buscava respostas em seu reflexo, em seualter ego, mas nada disso iria mudar a determinação do Jung.


Estava decidido a continuar a caminhar por aquela longa estrada, conhecendo aos poucos de si mesmo e enfrentando todos osmalesque ainda estavam por vir, pois Hoseok tem plena consciência de que tudo é apenas ocomeço.


Ao final da noite, ele voltou para o seu quarto, pegou a pulseira e usou a luz da lua para iluminar a linda pedra parecida com diamantes, observando-a ganhar algumas cores como as que o garoto buscava inconscientemente,as cores da liberdade.


Hoseok fechou seus olhos e pediu a lua que pudesse iluminar as suas noites, assim como pediu ao sol que dormia naquele instante para que os seus futuros dias permanecessem tão radiantes quantoele próprio.
E sem perceber o jovem Jung adormeceu, entregando seufuturoao destino enquanto pedia fortaleza para suportar o longopresente.

[...]


Em um simples piscar de olhos o tempo foi passando, quatro anos era muito e ao mesmo tempo pouco para alguns, mas foram esses os quatro anos mais dificultosos da vida de Hoseok.


Foram longos anos repletos de confusões, os sentimentos transbordando a mil por causa dos hormônios, a solidão e outros milhares de fatores. Hoseok enfrentou muitas dificuldades familiares, ameaçado ser expulso mais vezes do que poderia-se contar nos dedos da mão e do pé.


O jovem Jung sofreu com os julgamentosinternos eexternos, muitas vezes optando aceitar todas as imposições postas pelos seus familiares e esquecer, guardar na gaveta o seu verdadeiroeu, vestindo logo em seguida a carapuça de uma pessoa totalmente desconhecida, alguém queclaramentenão é ele.


Mas em meio aquela tempestade de preconceitos e dúvidas, questionamentos e incertezas, Hoseok conseguiu encontrar a paz em alguns minutos ou uma hora ao lado dos dois que considera como suafamília.


Boram e Soojin receberam o garoto de braços abertos, sendo os pais que Jung sonhava em ter e que de alguma forma ganhou. Eles cuidavam de Hoseok, davam presentes e conversavam sobretudo, fazendo questão de sanar todas as dúvidas e retirar os sentimentos confusos e perturbadores que insistiam em assombrar a suamentee o seucoração.


Boram é o maior apoio de Hoseok, a pessoa que foi comopaiemãe, protegendo e guiando os seus passos, fazendo sempre questão de zelar por todos os passos cuidadosos e lutando para afastar osmedosque rodeiam o Jung.


Boram éespeciale o garoto de sorriso sempre radiante reconhecia isso, por isso o seuamorpor ele e Soojin apenas cresce a cada dia, mostrando ao Jung que as verdadeiras famílias estão ali para te ajudar nos momentos difíceis, independente de laços sanguíneos outras fraternais.


Contudo, não era somente entre quatro paredes que Hoseok sofria as consequências de ser diferente em meio a pessoasprogramadas. O ambiente escolar é a maior prova de dificuldade, sendo o período em que mais convive e aturando todas as represálias que partem de diferentes lados, como forma depuni-losomente por ser diferente.


Não era permitido ao Jung usar lenços ou brincos, pulseiras ou uma pequena camada de base em seu rosto. Seus gostos sempre reprimidos e usados como ofensa contra ele próprio.


Porém, o jovem não demonstrava em nenhum momento o quanto opreconceitoatingia-lhe, fazendo questão de juntar toda a sua coragem para encarar todos os dias a dura realidade presente na sociedade.


Hoseok fazia questão de preencher os braços com pulseiras e pinturas, usar diversos tons de sombra para formar um arco-íris, usar lenços no pescoço e para afastar os fios da testa. Não era muito, mas aquela maneira simples derebeldiadeixava claro ao mundo que Jung Hoseok não tem medo de lutar pelos seus direitos e buscar aigualdadeperante a homofobia.


E aquele era mais um dos seus dias como umrebelde. Usou todas as suas fracas armas para voltar mais uma vez ao campo de batalha, preparado para enfrentar os comentários maldosos e os castigos sem sentido que sempre recebe, pois eles poderiam tentar apagar o seu brilho, as suascores, mas jamais conseguirão apagar a sua verdadeiraessência, o seueu.


Com um sorriso tipicamente largo e reluzente estampado em seus lábios, pegou sua mochila e partiu em direção ao ambiente estudantil totalmente conhecido por si. É o seu último ano, faltavam poucos meses para o fim e mesmo assim os dias carregavam monotonia, sempre ocorrendo da mesma maneira, seguindo a risca uma programação que deveria ser aplicada emmáquinas e nãosereshumanos.


Logo na entrada Hoseok foi barrado, os fiscais cansados removiam todo o seu ato de rebeldia, tirando peça por peça enquanto admiravam secretamente o brilho radiante que Jung mostrava. Não cansavam-se deinvejara coragem que o rapaz tem debater de frentee declarar com todas as letras o quanto orgulha-se de sua diferença e quenada, muito menosninguém, irá dá um fim nisso.


Jung Hoseok é quem é e ninguém jamais conseguiria mudar este fato.


Apesar dos sinais de rebeldia estarem confiscados, Hoseok adentrou o ambiente escolar com a mesma pose empoderadora, ignorando qualquer murmúrio e boato que desse início naquela manhã.


Não muito longe avistou Jimin, seu melhor e único amigo, aquele que assim como ele gostava de deixar claro com todas as letras o quão orgulhoso é de sergay.


Park Jimin desde o início sempre soube que não era como os outros, que seucoraçãozinhosempre agia diferente com osgarotinhosque brincavam consigo, muitas vezes despertando sensações que somente no futuro ele conseguiu descobrir sua finalidade.


Assim como Hoseok, ele enfrentou a sua família preconceituosa, acabando por sair do lugar que um dia chamou de lar e vivendo por conta própria, morando de aluguel em uma pensão com Taehyung, um universitário que logo também virou um grande amigo.


Jimin foi um dos principais pilares que fortaleceu Hoseok e o incentivou a lutar contra os seus medos e preconceitos, não permitindo que o grande amigo se tornasse mais umamáquina programadacomo os outros alunos daquela escola.


Eles poderiam ser apenas dois garotos lutando contra o mundo, mas acreditavam que um dia outros iriam ganhar coragem e lutarem pelas suas próprias causas.Não seriam os únicos naquela escola e muito menos no mundo.


— Mal começou o dia e você já teve que desfazer toda a arrumação, não entendo o motivo de sempre desperdiçarem sua obra de arte — comentou o Park com um suspiro cansado, sendo afetado pela monotonia daquele ambiente.


— São apenas meros ignorantes que não sabem apreciar a definição de trabalho duro — Hoseok respondeu com tranquilidade, revidando os olhares maldosos que eram direcionados a ambos. — Eles podem fazer quantas vezes quiserem, mas não conseguirão acabar com o movimento.


— Disse tudo! — exclama Jimin, oeye smile tomando conta de sua face angelical. — Seus atos de rebeldia estão ganhando ainda mais seguidores, apesar de a maioria continuar preferindo diminuir os nossos gostos com comentários e olhares repulsivos.


— O mundo um dia evoluirá, mas isso vai depender dos próprios seres humanos. — Parou em frente ao seu armário, tirando os livros que irá usar durante o dia, fechando novamente e voltando seu olhar para o amigo. — Até lá a luta continua, a nossa causa será reconhecida e apoiada por muitos, mas também será abominada.


— Acredito em um dia melhor, onde podemos usar o que nos representa sem esses uniformescafonase sem nenhum brilho — resmungou o Park, revirando seus olhinhos logo em seguida.


— Estou pensando em fazer algo diferente, a maquiagem não é o suficiente pra mim e você sabe disso — começou o Jung, voltando a caminhar pelo enorme corredor ao lado de seu grande amigo. — Vou naLa Noblesshoje, quer vir comigo?


— Adoraria, mas hoje tenho trabalho e vou precisar cobrir a Jisoo. — Jimin suspirou mais uma vez, uma expressão de tristeza banhando seu lindo rosto.


— Não fiquei assim,mon petit, eu entendo o seu compromisso. — Segurou ambas as mãos de Park e entrelaçou os dedos, ambos sorrindo juntos em frente a sala de aula. — Nos vemos na hora do intervalo.


— Até,mon cœr. — Jimin soltou o entrelaço e desapareceu em meio ao corredor, já queinfelizmente não eram colegas de sala.


Hoseok olhou para todos os seus colegas espalhados em seus lugares, alguns já direcionando os mesmos olhares repulsivos que ele obrigou-se a aturar. Ergueu a cabeça e com um largo sorriso iluminou o recinto acinzentado, espalhando da sua maneira as cores sem receber nada em troca, mas que no fundo ele sabia que ajudava até mesmo o mais isolado de seus colegas.


Sentou-se na penúltima fileira próxima à janela, em frente a um rapaz que raramente diz algo, seu nome é Min Yoongi. Não sabia muito sobre o garoto, apenas que ele era bastante popular no início do ano por ser mais velho do que os demais, tendo dezenove, contudo, misteriosamente a sua fama acabou e ele se tornou ogaroto renegadodo terceiro ano "b".


Hoseok sempre teve curiosidade, já cogitou aproximar-se diversas vezes, mas a coragem sempre esvaziava no momento em que seus olhos encontraram os dele. Yoongi tem lindos olhos felinos que lembram muito umgato, sempre observador e silencioso, às vezes selvagem, mas que no fundo só precisa de um pouco de carinho.


Existealgono Min que lhe chamava a atenção, talvez seja apenas um certo interesse ou curiosidade, todavia, o melhor naquele fim de ano era focar em seus estudos e nas novas idéias para causar impacto e mostrar a todos que Jung Hoseok orgulha-se em serdrag queen.


O período das aulas passou rapidamente, em pouco tempo o sinal que anunciava o fim do período havia ressoado por toda a escola, despertando ainda mais ansiedade no Jung que dentro de alguns minutos iria ao encontro de Boram e Soojin, as pessoas mais importantes da sua vida.


Arrumou todas as suas coisas e saiu com pressa da sala, os passos tornando-se cada vez mais rápidos apenas para chegar logo na velhaLa Nobless. A loja havia feito quatro anos de existência, as lembranças da abertura tão clara em sua mente como se tivesse ocorrido no dia anterior.


Apesar de todos esses anos, os laços firmados entre eles nunca se rompeu, o amor familiar sempre presente no meio deles e grandioso o suficiente para abraçar o mundo inteiro.Eram um, afinal de contas.


Sem demora a fachada da loja foi avistada, os passos tornando-se ainda mais rápidos devido o tamanho da sua ansiedade, já que fazia duas semanas que ele não pode visitá-los devido ao período de provas.


Soojin limpava o vidro quando escutou o grito alto de Hoseok, assustando-se um pouco com a ação repentina do garoto que tem como seu filho.


— Que susto,Seokie! — exclamou a mulher, rindo logo em seguida da expressão amarrotada de suacriança preciosa.


— Desculpa! — pediu rapidamente, as mãos apoiadas nos joelhos enquanto tentava recuperar todo o fôlego perdido.


— Estava sentindo a nossa falta a ponto de correr como um louco desvairado? — A voz grossa e melodiosa de Boram fez-se presente, a silhueta bem formada do seu corpo sendo realçada pelo vestido floral de cintura fina, enquanto uma peruca lisa ruiva deixava o seu rosto mais afilado e belo.


Boram é a própria definição de beleza no mundo.


— Sinto muito, Boram, não consigo controlar a saudade que tenho da minha família. — Ao recuperar todo o fôlego, voltou a postura reta, os olhos brilhando junto a luz do meio dia que pairava no ambiente. —Senti falta de vocês.


Boram e Soojin rapidamente largaram seus postos e abraçaram Hoseok, apertando-o naquele gesto fraternal que tanto amavam trocar como forma de deixar claro que são sim umafamília.


— Também sentimos sua falta,garoto. — Boram sussurrou rente ao ouvido do Jung, afastando-se do abraço logo em seguida. — Mas agora vá tomar um banho, precisamos almoçar ainda.


— Como desejar. — Hoseok fez uma saudação exagerada que causou apenas risos em Soojin, enquanto Boram olhava-o torto como em repreensão.
Rapidamente os três entraram na loja e fecharam, dirigindo-se para a casa que fica nos fundos. A fama deLa Noblessrapidamente espalhou-se por toda a cidade, principalmente pelos rumores da beleza estonteante de Boram.


Na visão de Hoseok, Boram sempre será a pessoa mais bela de todo o mundo, aquele que não tem medo de ser quem é e principalmente de receber todo o amor do mundo de alguém que o apóia desde o início.


Soojin conheceu Boram em seu primeiro show comodrag queen, fazendocoversde cantoras famosas do pop americano. Segundo ela, foi no exato momento em que ele cantouBad Romanceda Lady Gaga que o seu coração disparou por ele, admirando a forma como os seus olhos brilhavam radiantes enquanto o Kim espalhava ao mundo sua verdadeira identidade.


A mais velha lutou contra a sua própria família para ficar ao lado de Boram, ajudando-o a realizar o seu sonho de fama até decidirem dá um basta e seguir com uma vida mais pacífica, mas sem abandonar a suaessência, a sua orientação sexual.


La Noblessnasceu de um segundo sonho de Boram, mas que infelizmente foi realizado pela metade e hoje é a meta de Hoseok, tornar-se um grande estilista.


Kim Boram é a fonte de inspiração de Jung Hoseok, a pessoa que o jovem sempre buscou em se inspirar e agora não via motivos para não enfrentar o mundo e conquistar os seus sonhos, pois sabe quesemprereceberá total apoio daquela dupla que o ama como filho.


Após o banho de Hoseok, o Kim ajudou-o a montar-se como Jung sempre gostou de fazer, mas que era impossibilitado por causa da própria família. Usando uma peruca de fios ondulados na cor preta, pérolas ao redor do pescoço e umshortnão muito curto com uma blusa de mangas cumpridas. A maquiagem em seu rosto era simples, mas não deixava de realçar toda a sua beleza.


Boram é a suamãeno mundodrag, pois foi graças a Kim que teve a oportunidade de se montar pela primeira vez, encontrando no reflexo do espelho o seu verdadeiro eu. Por enquanto seu nome apenas é"Hoseo", mas no futuro imaginava-se como a grande estilista"Violet"que irá mudar o mundo com a sua visão demoda.


Até lá ainda teria muito o que enfrentar, por isso focava no agora e deixava para pensar no futuro quando estivesse embarcando no mundo dos sonhos.


— Como tem sido a escola,Seokie? — perguntou Soojin, um sorriso pequeno e fofo pintava seus lábios rosados.


— Monótona — disse brevemente, provando mais um pouco da comida deliciosa feita pela Kim. — A diretora e seus alunoscertinhosinsistem em tomar todos os meus objetos, fazendo-me tirar até a maquiagem que levo horas para fazer.


— Eu sinto muito por você,mon amour. — A destra de Soojin apertou a sua, transmitindo seu apoio mesmo à distância. — Apesar de tudo, imagino que esteja pensando em algo, acertei?


— Me conhece tão bem,mãe. — O sorriso largo de Hoseo respondia a pergunta da Kim, mas mesmo assim resolveu dizer seu objetivo, já que contava com a ajuda de Boram para que pudesse cumprir a sua meta. — Quero fazer muito mais, acredito que chegar a caráter será mais impactante, o que acham?


Boram e Soojin ficaram em silêncio, trocando olhares que diziam muito mais do que simples palavras. Ambos apóiam Hoseo em todos os momentos, mas também preocupavam-se comelae por isso era sempre difícil concordar ou discordar naqueles momentos.


— Sua escola é muito preconceituosa, tenho medo de que com essa atitude eles possam fazer algo contra você, já que infelizmente vivemos em um país regado pelo tradicionalismo e a homofobia — disse Boram, sua voz grossa soando ainda mais séria, já que a sua preocupação comomãeepaide Hoseok sempre falaria mais alto nesses momentos.


— Mas apesar de tudo sabemos o quão guerreira você é, seja como Hoseo ou como Hoseok, por isso te amamos muito e vamos continuar apoiando-te emtodos os momentos, mesmo que seja preciso enfrentar omundopara te ver livre e feliz — completou Soojin, entrelaçando sua mão com a de Hoseo, em seguida Boram fez o mesmo e o trio familiar deixou claro naquele simples gesto que se amam e irão apoiar um ao outro nos momentosbonseruinsda vida.


— Muito obrigada, vocês não sabem o quanto deixam-me feliz. — O sorriso radiante de Hoseok é tão especial para eles quanto para o mundo, pois o brilho dele é capaz de colorir e mudar tudo e todos, até o mais sombrio dos homens.


— A sua felicidade é a nossa,estrelinha. — Soojin levantou-se o suficiente para alcançar Hoseo e depositar um selar em sua testa, voltando logo em seguida para o seu lugar.


— Quer uma ideia, Hoseo? — perguntou Boram, o olhar firme na garota que tem como filha.


— Claro! — exclamou a Jung, a curiosidade sendo expressa em seus olhinhos brilhantes.


— Use fantasias a partir de amanhã — informou Boram, o olhar sugestivo despertando as risadas nas outras duas. — Seja Marilyn Monroe, Madonna, Beyoncé. Seja a diva que sempre sonhou em ser e choque a todos, acredito que até os reprimidos daquele ambiente irão se rebelar assim como você.


A proposta de Boram era realmente tentadora, estava certo em cada pequena palavra descrita em seu breve discurso, o que serviu apenas de motivação para a jovem que não desistiria da sua luta em busca de mostrar ao mundo que não existenadade ruim em serdiferente.


E com aquele pensamento e as idéias borbulhando em sua mente, Hoseo voltou para casa compresentes vindos do casal que não mediu esforços em lhe ajudar na sua causa que, talvez, nunca tivesse fim, mas que tambémjamaisiria ser abalada.


[...]


Era uma manhã tranquila, onde os primeiros raios do sol ultrapassavam as frestas da janela acompanhados de uma fina garoa, formando um arco-íris espetacular no céu.


O dia pareceu estar apoiando por completo as atitudes de Hoseok, disposto a servir como apoio para as lutas por igualdade e liberdade do jovem rapaz, que naquela manhã veste-se a caráter.


Sempre admirou os filmes onde a atrizMarilyn Monroeestrelou. Uma mulher deslumbrante e realmente admirável, o símbolo de todos os diretores de cinema e dos fãs alucinados pela sua beleza e o seu talento.


E foi vestindo aquela fantasia que Hoseok embarcou naquele mundo a 60 anos atrás, fascinado pelo design do vestido e o estilo encaracolado e curto da peruca loira que ganhava certa semelhança com o penteado famoso da atriz.Marilynnunca deixaria de ser uma das suas ícones prediletas, e homenageá-la em sua causa tem uma certa importância para o Jung.


O decote em V delineava o seu peitoral, que fez questão de usar sutiã com bojo artificial para dar ainda mais volume ao busto e deixar a caracterização ainda melhor. O design rodado junto com as linhas verticais realçam a sua silhueta, deixando o seu corpo ainda mais esbelto do que já é.


A maquiagem simples com batom vermelho em forte e a típica pinta que é a marca registrada deMarilyn. Borrifou um pouco de perfume e agora finalmente estava pronto, totalmente deslumbrante assim como gostava, experimentando ainda mais e divertindo-se com o universo que ainda pode desvendar.


Pegou o celular e mandou algumas mensagens para Jimin, pedindo para que lhe esperasse na entrada, em seguida saiu rapidamente deixando para tomar café na escola, se a entrada fosse permitida a si naquele dia.


Esperou pelo ônibus que raramente usava e ao adentrar recebeu diversos olhares, sentindo-se ainda mais poderosa do que já se sente normalmente quando éHoseo, e essas atitudes despertavam a sua curiosidade em relação a o que poderá acontecer quando todos lhe virem vestido da forma que sempre desejou, mas de uma maneira diferente.


Por um momento uma pontada de medo subiu pela sua espinha, as mãos suando rapidamente, mas em nenhum momento pensou em desistir e abandonar os seus ideais. Ao longe avistou o prédio, por isso deu sinal e desceu antes como forma de preparar o seu coração e os dos outros para o impacto que estava por vir.


Enquanto caminhava escutava o som do salto em contato com o asfalto, a sua pose ereta e maleável como a da atriz, incorporando o seu papel comoMarilyn Monroecom vigor, pois é a sua estréia e nada e nem ninguém poderá impedir isso.


Quando finalmente parou em frente a entrada da escola, todos os olhares voltaram-se para o Jung. Hoseok respirou fundo e com a cabeça erguida adentrou o ambiente escolar, escutando diversos burburinhos e algumas risadas zombeteiras que logo foram ignoradas.


Jimin estava de frente para Hoseok, seus olhos pequenos estavam o dobro do tamanho original, a boca aberta em um perfeito O expressando o tamanho da sua surpresa com a atituderealmenterebelde de seu melhor amigo. Sem demora o Park abandonou seu estado de choque e correu para os braços do Jung, abraçando-o com força enquanto dava pulinhos de pura alegria.


Jimin estava orgulhoso de seu amigo.


Você está tão linda!— Jimin exclamou em alto e bom som para que todos pudessem ouvir, pouco importando-se com o que diriam.


Obrigada— Hoseok murmurou em agradecimento, a vergonha triplicando em seu organismo e fazendo presença em suas bochechas com poucoblush.


— Quando disse que tinha uma surpresa, não esperava ser essa, estou tão orgulhoso. — Os olhinhos de Jimin brilhavam em lágrimas, ele estava prestes a chorar de tanta emoção, pois ver Hoseok libertando-se em público era o sonho dos dois e finalmente havia se realizado. — É adragmais linda de todo esse mundo!


— Boram tem esse título e ninguém pode tirar — rebateu o Jung, pois para si ninguém seria mais belo do que o Kim.


— Seja como for temos que ir — disse o Park ignorando o comentário de seu amigo, já que era de praxe ouvir Hoseok exclamando o quanto admira a beleza de Kim Boram.


— Vocês não vão a lugar nenhum! — A voz em tom nada melódico pronunciou-se, o ar de pura repreensão expresso em suas palavras ácidas e seu olhar raivoso.


Jimin virou rapidamente e teve o desprazer de encontrar a diretora da escola, vestida em suas roupas bregas e sem vida assim como ela própria, segundo o Park.


— A senhora não pode me impedir de entrar no ambiente escolar! — rebateu o Jung, pouco se importando com o cargo da mais velha.


— Posso e vou — disse a diretora em tom sério, sua veia parecia que ia explodir de tanto ódio. — Nós já aturamos muito de você, Jung Hoseok! — gritou alto o suficiente para chamar ainda mais toda a atenção dos demais alunos, até mesmo os professores juntavam-se no círculo que rodeava os três. — Sempre chegando aqui da maneira que bem entende, usandocoisas de mulhere esquecendo que é um homem! — continuou a mulher, seu tom ríspido causava ânsia nos dois garotos. — A partir de hoje, estou expulsando-te daqui, suaputinhade esquina! Leve sua pouca vergonha para longe daminha escola!


Após a fala da diretora, muitos começaram a jogar palavras carregadas de ódio em direção a Hoseok, provando ao Jung o quanto as pessoas são ruins e como elas repudiam qualquer um que mostre ser quem é.A sua escola era somente um grão de poeira perto do que ainda teria que enfrentar pelo mundo a fora, mas ele não iria desistir.


Hoseok estava pronto para dizer poucas e boas aquela mulherasquerosae doente, mas alguém rapidamente colocou-se a sua frente e falou por si, chamando ainda mais atenção para a roda.


— A senhora não irá expulsá-lo! — exclamou Min Yoongi, o misterioso rapaz que sempre despertou o seu interesse e que raramente dizia uma palavra, mas que agora se mostrava como um poderoso líder.


— Senhor Min, não envolva-se em assuntos que não lhe dizem respeito ou eu vou-


— Vai o quê? Me expulsar também? — Yoongi interrompeu a mais velha, as palavras saindo em tom ríspido e direto, sem medo expressado nelas. — Pode fazer isso, eu realmente não ligo! Mas não irei deixar que faça algo a Hoseok ou qualquer outro aluno.


— Não me desafie, mocinho!


— Eu desafio! Desafio não só a senhora, mas também todos aqueles que durante esses três anos fizeram mal a Jung Hoseok somente por ele ser quem é! — gritou ainda mais alto, olhando raivoso para todos os que algum dia já haviam feito mal ao Jung e Yoongi havia presenciado. — O preconceito dessa escola e dessas pessoas nunca apagou as cores de Hoseok, pelo contrário, apenas serviram deinspiraçãoa todos nós que nos escondemos pormedo, medo de sofrer e do que irão dizer sobre nós.


As palavras de Yoongi atingiram Hoseok com força, até mesmo tocaram Jimin que não se segurou e começou a chorar, lembrando de toda a sua jornada dolorosa até chegar ali.


— Eu digo por mim mesmo! — exclamou mais uma vez, as cabeças agora baixas escutando suas palavras carregadas de sinceridade. —Jung Hoseok me libertou! Ele deu-me forças para enfrentar todos os meus medos e hoje eu assumo, sem qualquer impedimento que soupansexual! Euamoe é isso que importa, não existe nada de errado nisso.


A declaração do Min chocou ainda mais os alunos, até mesmo o próprio Jung estava sem palavras e não sabia mais o que dizer ou como agradecer. Hoseok sempre recebeu apoio, mas nunca pensou que serviu como apoio a outras pessoas e isso o comoveu, tanto ao ponto de chorar sem se importar de borrar a maquiagem.


— Yoongi está certo, diretora! — Saindo do meio da multidão, Sunmi, a Presidente do Conselho Estudantil, posicionou-se ao lado do Min, servindo como escudo para proteger e defenderHoseok. — Foi graças ao Hoseok que finalmente consegui me olhar no espelho e entender quem sou. Todos os dias doía-me ter que forçá-lo a tirar seus objetos pessoais, mas por um sorriso lindo que ele tem motivou-me e hoje eu posso dizer com todas as letras que sim,eu gosto de mulheres. Soulésbicae com orgulho, por isso estou aqui para dizer que se tentar expulsar Hoseok,nóstambém iremos juntos!


Como um grito de guerra muitos alunos adentraram o círculo, todos se posicionando para proteger Hoseok e Jimin, que se abraçavam enquanto choravam devido a emoção e o medo que já enfrentaram.


Lidar com o preconceito em meio a sociedade não é algo fácil, mas juntos somos mais.A luta nunca acaba, ela apenas se mantém viva e forte como as chamas de uma brasa ardente.


— Seus… seus… façam o que quiserem! — exclamou a diretora, finalmente dando as costas e partindo sem palavras para as ações de seus alunos.Pela primeira vez a liberdade havia ganhado do preconceito naquela escola.


Após a saída da mais velha, os alunos que protegiam Hoseok e Jimin os envolveram em um abraço em grupo, sussurrando palavras de agradecimento por cada ato de coragem que ambos tiveram e por tudo o que haviam enfrentado. Eles serviram de inspiração para muitos, principalmente aqueles que permaneceram calados e sem tomarem a frente de expôr quem eram, já que no futuro cada um iria desabrochar como as flores na primavera.


Com o fim de todo aquele momento, Hoseok e Jimin resolveram não frequentar a aula naquele dia, já que seus emocionais estavam comovidos demais com toda a cena, eles somente não esperavam que Sunmi e Yoongi tivessem tomado a iniciativa de acompanhá-los.


— Hoseok, espera! — pediu Yoongi, suas bochechas coradas pela vergonha de decidir falar com o garoto que sempre admirou pela primeira vez.
Hoseok parou e olhou para o mesmo, sorrindo pequeno ao vislumbrar a bela imagem de um Min Yoongi corado pela vergonha.Ele também é admirável, pensou o Jung.


— Sim? — o Jung perguntou, incerto, o coração dando pequenos solavancos pela ansiedade.


— Podemos acompanhar vocês? — O olhar do Min era esperançoso, o pomo de adão subindo e descendo em ansiedade pela resposta do mais novo.


— Se quiserem. — A voz de Hoseok saiu baixa, mas foi o suficiente para que ambos conseguissem ouvir e acenar positivamente.


— Podem vir! — exclamou Jimin, fazendo sinais exagerados para os dois que já se aproximavam. — Queremos agradecer pelo gesto carinhoso de vocês, foi algo muito bonito de se ver.


— Que tipo de pessoas seríamos se não tivéssemos defendendo vocês? — começou Sunmi, fazendo uma pergunta retórica e sorrindo logo em seguida. — Fizeram muito mais por nós, apenas retribuímos do nosso jeito.


— Mesmo assim, vocês foram incríveis! Muito obrigado de verdade. — Jimin ficou a frente deles e se curvou em agradecimento.


— Jimin-ssi, não precisa disso! — exclamou Sunmi, tocando os ombros do Park e o fazendo voltar ao normal. — O importante agora é que conseguimos! — exclamou animada.


— Ainda não é suficiente, a diretora provavelmente vai esquematizar algo e fazer detudopara impedir Hoseok — comentou Yoongi, chamando a atenção de todos que no fundo temiam a isso desde o início.


— Sei disso, mas ela não vai conseguir me abalar — respondeu Hoseok com convicção, o sorriso estonteante de sempre estampado em seus lábios cor de pêssego. — Você vai estar ao meu lado, Yoongi?


O Min olhou surpreso para o Jung, jamais imaginando que um dia trocaria palavras com Hoseok e agora estavam ali, desenvolvendo umaquímicae talvez algo ainda mais profundo, mas somente o tempo podia lhes dizer.


Sempre!— Yoongi respondeu com convicção, causando efeitosdesconhecidos em Hoseok.


— Então vamos porque a luta ainda não acabou! — Hoseok ficou ao lado de Yoongi, ombros encostados e as mãos esbarrando-se ao longo da caminhada.


O quarteto a partir daquele dia se tornou muito unido, fazendo questão de sempre defender a causa LGBTQI na escola e no mundo ao redor, dispostos a mostrar ao mundo que não existe nada de errado emamaralguém do mesmo sexo, muito menos emserquem você verdadeiramente é.


Meses depois todos conseguiram se formar, apesar das imensasdificuldades que a diretora armou para separá-los e tentar acabar com todos os sonhos de Hoseok, entretanto, no final ela acabou sendo presa quando os alunos da escola juntaram provas de seu preconceito e levaram a júri popular. Agora ela pagaria por todas as suas palavras, sentindo na pele o verdadeiro significado dejustiça.


Jimin decidiu seguir o seu sonho como modelo, já que sua paixão pela moda sempre falou mais alto. Percorreu um caminho complicado, mas com a ajuda de seus amigos ele venceu todos os preconceitos e conseguiu falar com os pais novamente, deixando claro com todas as letras que haviavencidoe que agora era feliz, com ou sem a aprovação deles.


Sunmi seguiu a carreira como advogada, fazendo questão de defender a comunidade LGBTQI com unhas e dentes e lutar pela igualdade em seu país. Segundo ela, Hoseok e as palavras motivacionais de Yoongi serviram de influência para a sua escolha e hoje ela não se arrepende disso.Luta com orgulho e é feliz por isso.


Boram e Soojin resolveram adotar um casal de crianças, dando de presente a Hoseok novos irmãos os quais ele amou de todo o coração. EnquantoLa Nobless mantém-se firme e hoje em dia recebe apoio de Hoseok e sua empresa de moda.


Yoongi com a ajuda de Hoseok e os conselhos de Boram, decidiu seguir carreira como modelo e desenhista da marca do Jung, agora oficialmente seumarido. Hoje em meio a passarela ele desfila com glamour, espalhando sua beleza e realçando as obras de arte feitas por Hoseok.


E, por fim, o nosso pequeno garotinho que desde a infância teve uma paixão imensa por tecidos, além de se descobrir comodrag queen, finalmente conseguiu conquistar o seu sonho de ser uma excelente estilista, adotando de vez o nomeViolete espalhando o brilho da liberdade ao mundo.


Realizar o seu sonho motivado por Boram foi uma satisfação, ele finalmente pôde dizer com todas as letras que venceu o preconceito e hoje é um dos nomes mais renomados do universo da moda.Violet Jungé o nome e a marca mais famosa, ultrapassando todas as margens de vendas com as suas roupas que expressam ao mundo o verdadeiro significado deliberdade.


No fim, todos conseguiram vencer e ainda sim lutam pelos seus direitos, fazendo questão de dizer com todas as letras que a luta não acaba, ela apenas se mantém acesa e a chamajamaisse apagará.


Um dia, Hoseok sonhou em ser colorido pelascores da liberdade, e hoje ele colore o mundo inteiro através da suaartee do seu jeito de ser.Hoseok é a liberdade em seus gestos, defeitos e no imenso brilho radiante que ilumina dos seus olhos e sorriso.


Jung Hoseok é osolque não iluminou somente a vida de Min Yoongi, mas também a de todos que tiveram e tem o prazer de conhecê-lo.De fato ele é um arco-íris que expressa a maisbelaesublime liberdade de expressão.



*Notas Finais:*


Primeiramente gostaria de agradecer a xxliswa por fazer essa capa magnificamente bela, estou encantada pelos detalhes e não me canso de afirmar o quão maravilhosa tu és, muito obrigada 💖💜💖💜. Também agradeço a @Yaze do Spirit por ter betado essa fanfic, você é demais 💖💞 e por último agradeço a @BaeHee por avaliar minha história 🥺💜.


Agradeço de coração ao @/jhistory pela a oportunidade que me deu de participar de um projeto tão fantástico, vou sentir saudades e guardarei cada lembrança com carinho no meu coração 💜💖💞


Espero que tenham gostado, todas as opiniões estão livres e qualquer dica sobre o assunto podem comentar, sintam-se livres para expor suas idéias e pensamentos, mas sem ofensas por favor.


Twitter: @stephy_lilian

CuriousCat:
https://curiouscat.me/stephy_lilian


Nos vemos em uma próxima história 💕

Nov. 15, 2020, 7:49 p.m. 0 Report Embed Follow story
3
The End

Meet the author

Ageha Sakura >> why do you still wishing to fly? >> taekook is a cute world sope ; bwoo ; kaisoo ; markson ; hyudawn twitter: @stephy_lilian [Ficwriter]

Comment something

Post!
No comments yet. Be the first to say something!
~