lireas tiago líreas

PT-BR Sobre como podemos ser indecisos sobre que tipo de realidade queremos para nós próprios, ou se sequer queremos algum tipo. E sim, sou eu na foto. Foi tirada numa praia espanhola, na Galiza, a beira oeste da Península Ibérica. (A imagem não aparece inteira na capa, pelo que preciso dizer que as rochas mais distantes de mim levam a terreno seco. Digo-o para ajudar na interpretação do texto) EN About how indecisive we can about what kind of reality we want for ourselves, or if we even want any kind of reality at all. And yes that's me in the picture. It was taken in a Spanish beach, in Galicia, the western edge of the Iberian Peninsula. (The image in the frame in display is incomplete, so it's important for me to say that the more distant rocks in the picture lead to dry terrain. I say this so as to help with the interpretation of the text.)


Poetry Ode All public.
Short tale
4
5.4k VIEWS
Completed
reading time
AA Share

Na Beira / In The Edge

Entrei na beira da vida –

Dividido entre as águas

Do céu, da terra e das mágoas –

De pé na mão não merecida.


Entre a mão, a rocha e a terra,

Contemplo o meu destino.

Salto, me solto ou desatino?

Aqui decido: paz ou guerra?


Quem me dera poder flutuar

Entre a morte e a existência,

Como animal sem demência,

Pertencente somente ao ar.


Ser o que não morre nem vive,

Que não escolhe elemento,

Mas o é e sem fundamento:

A rocha que com a terra convive.


Quero ser a beira, não estar nela

A divisão entre matéria e éter

Me arranca daqui, Deméter

E me veste de luz-flanela


———————————————————————————————

I entered the edge of life –

Divided between the waters

Of the sky, of the earth and of sorrow –

Standing on the undeserved hand.


Between the hand, the rock and the earth,

I contemplate my destiny.

Do I jump, do I let go or do I go insane?

In here I decide: peace or war?


If only I could float

Between death and existence,

Like a beast without dementia,

Belonging only to air.


To be what neither lives or dies,

That which doesn't choose an element,

But simply is the element without question:

The rock which lives with the earth.


I want to be the edge, not be in it

The division between matter and ether

Rip me out of here, Demeter

And wear me in shining bright flannel


Sept. 19, 2020, 6:03 p.m. 2 Report Embed Follow story
4
The End

Meet the author

tiago líreas Na ficção não há limiites, e o que tento é explorar os seus recantos mais distantes • Quero acreditar que há um meio termo entre a fantasia e a realidade, onde personagens não são apenas figuras ou arquétipos, mas amigos de outra vida Fiction has no limitas, and what I try to do is to explore its farthest reaches • I want to believe that there is a middle term between fantasy and reality, where characters aren't just figures or archetypes, but friends from another life

Comment something

Post!
Vl Vitoria leticia
Parabéns cara poxa queria ter seu nível de poesia
October 22, 2020, 22:49
Isís Marchetti Isís Marchetti
Olá, Tiago, tudo bem? Faço parte do Sistema de Verificação e venho lhe parabenizar pela Verificação da sua história. Que poema forte e encantador! De alguma forma eu consegui me por em seu lugar e pegar tudo o que foi aqui escrito, e por a prova da minha própria vida. Em muitos momentos me peguei pensando se eu queria, ou ao menos teria, coragem para atravessar o mar furioso que sempre me deixou sobre muitos impasses, inclusive em momentos de tomar alguma decisão a cerca de problemas pessoais e em como iria lidar. Como se em muitos momentos a rocha que não deixava o mar tocar meus pés fosse a calmaria e se eu descesse e escolhesse pisar nas águas, fosse como se eu enfrentasse algo que de certo modo não valhesse a pena. Sendo mais seguro e mais eficaz em alguns momentos, se manter fora do molhado. Bom, eu devaneei legal nisso, mas espero que tenha entendido, haha. A coesão e a estrutura do seu poema estão impecável. Confesso que quando eu vi a autoria, eu não esperava por tal poema, suas historias: Descamado e Doze Faces, me mostraram que de certa forma era como se esse fosse o gênero que pertence a você, então eu realmente fiquei surpresa com esse poema que me fez parar e refletir sobre algumas coisas. Também reforço que está tão bem escrito, como todas as suas obras que já li ao longo do tempo que estou na embaixada. Desejo a você sucesso e tudo de bom sempre. Abraços.
September 23, 2020, 20:49
~