ellariamlamora EllariaM Lamora

O céu desabava naquela tarde, forçando os dois rapazes a se recolherem no quarto de Katsuki Bakugou. Ali o mais revoltado descobriu que a fotografia também era uma arte tão interessante quanto seus treinos. Ao menos quando a lente da câmera mirava certo estudante, cujo trazia a cor do fogo em seus cabelos espetados.


Fanfiction Anime/Manga All public.

#oneshot #fluffy #bakugou #kiribaku #bnha #kirishima #boku-no-hero
Short tale
0
2.4k VIEWS
Completed
reading time
AA Share

Click!

— C L I C K —


Jogado em sua cama, Bakugou não sabia maisquantas vezes haviareclamado da chuva torrencial que caía lá fora e o trancara em seu quarto, impossibilitando-o de aproveitar o dia em treinamentos que somente o deixariam satisfeito quando todos seus músculos protestassem de dor.Enquanto isso, o outro estudante sentado no chão não parecia se incomodar com o ódio que deixava o dono dos cabelos claros espumando de raiva — igual a um cachorro, como um amigo havia comentado certa vez. O menino dos fios escarlates apenasocupava-se em ler um dos mangás favoritos do Katsuki.

— Inferno de chuva! Que se exploda! — Exclamou, revirando os olhos ao perceber um raio cortando o céu.

— O som da chuva é reconfortante — Kirishima comentou, levantando os ombros e sorrindo amigavelmente — Relaxa que daqui a pouco passa.

O loiro desviou o olhar e bufou, resmungando.

Kirishima riu e seus olhos cor-de-fogo voltaram a correr pelas páginasamareladas do mangá.

Furioso, ogaroto quis perguntar qual era a graça, mas as ofensas em sua mentedesapareceramquando ele percebeu a expressão serena do amigo. O sorriso que preenchia sua face era diferente daquele que ele fornecia para Bakugou, quando apoiava seus discursos sobre ser o Herói Nº 1 ou quando forçava para acalmá-lo de seus tiques raivosos. Os ombros relaxados atribuíam a ele a aparência de quem não era um jovem comum, mas sim um futuro herói que caminhava para um futuro difícil. Ali, tão sereno, Kirishima parecia ser somente um menino que tinha a paz em seu coração.

Divagando, o Katsuki rolou os olhos para o lado e encontrou a câmera que o colega de classe tinha lhe dado de presentenaqueles primeiros meses de convivência. Naquele dia Kirishimaafirmou que um passatempo como a fotografia o ajudaria a controlar a crescente fúria de seu coração, mas Bakugou — contrariando as esperanças do outro estudante — apenas ficou com mais raiva e precisou conter a vontade de arremessar a câmera contra a parede mais próxima, só para vê-larachandoem pedacinhos.

Ele lembrava-se de rosnar para o amigo que passatempos tão triviais não o levariam a posição tão almejadade Herói Nº 1. Eijiro, no entanto, apenas destinou ao loiro um daqueles olhares que o Katsuki não conseguia decifrar, com um sorriso que escondia algo que o revoltado estudante não era capaz de entender.

E então, meses depois,lá estava o objeto.

Intacto.

Apesar de seu discurso indiferente e grosso, o aspirante a herói guardou o presente, pois sabia que não conseguiria lidar com a mágoa do jovem que estava sempre ao seu lado. E, pela primeira vez em sua vida, Bakugou agradeceu por não ter quebrado algo. Afinal, talvez Kirishima estivesse mesmo certo. Talvez os sorrisos tão amigáveis e sábios indicavam que ele conseguia ver coisas em Katsuki que nem o próprio era capaz de perceber.

Decidido a ignorar essas reflexões, Bakugou ocupou-se em observar os traços do menino no chão de seu quarto. Com a câmera em mãos, ele mirou a lente, buscando capturar o outro estudante, deixando que amáquinacaptasse aquele momento tão cotidiano e despojado, afinal a expressão mais serena estava pincelada na face de Eijiro. Ele parecia não ter nenhuma preocupação naquele raro momento, deixando-se apenas envolvido pelo conteúdo do mangá em sua suas mãos. Seus olhos brilhavam cheios de vida enquanto ele se divertia com a história e um sorriso moldava em seus lábios,esculpindo em seu rosto com uma beleza tão natural que fascinou o revoltado estudante.

Click.

O som da chuva não abafou o barulho e estudante quis morrer.

— Ei! O que está fazendo? — O ruivo quis saber quando o som da máquina fotográfica preencheu o ambiente.

— Só estava testando seessa merda funciona.— O Katsuki cuspiu a mentira, atirando a câmera para o outro da cama e escondendo as bochechas escarlates, envergonhado por ter sido pego em flagrante.

Repreendendo-se mentalmente, Bakugou amaldiçoou a forma como sua mente havia entrada em transe por causa daquele desgraçado e, por isso, bufou.

— É? — A voz divertida do Eijiro surgiu e ele riu — E aí?

— Funciona, mas a fotografia ainda é uma merda.— Respondeu, ignorandoo brilho intenso que dominavam os olhos cor de fogo, quando eles se prenderam nas suas esferas claras. O coração do Katsuki disparou e suas bochechas queimaram mais ainda.

Bakugou deitou na cama e virou-se de costas para o amigo, tentando fugir das reações tão estranhas de seu corpo ao simples olhar de Kirishima.

— Se você diz. — O Eijiro murmurou com um risinho e o loiro compreendeu que ele não havia acreditado nem um pouco em sua resposta.

Sept. 11, 2020, 10:29 p.m. 0 Report Embed Follow story
2
The End

Meet the author

EllariaM Lamora A vida é apenas uma escolha importante após a outra; siga em frente e observe até onde essas escolhas tolas podem levar você. — YATO. Abuto.

Comment something

Post!
No comments yet. Be the first to say something!
~