niccax Verônica Ashcar

Ele prezava muito mais o contato físico, olhos nos olhos, um toque sútil às paixões arrebatadoras, considerava sensato de se entregar. Isso até o furacão Maito Gai surgir em sua vida.


Fanfiction Anime/Manga Not for children under 13.

#linguagemimpropria #yaoi #bl #mal-entendido #comédia #gai #kakashi #kakagai #naruto
Short tale
0
1.2k VIEWS
Completed
reading time
AA Share

Capítulo Único

Notas:

Olá, tudo bem pessoinhas?

Pensa numa pessoa desesperada quando percebeu que hoje era o último dia do desafio CLICHÊ ÀS AVESSAS????

Consegui revisar e reescrever a última parte!!!

Tema escolhido:

1 - fic escolar de relacionamento entre o nerd e o popular... MAS eles são professores.

Boa leitura!!!!


***






Um belo de um traseiro. Era tudo que Kakashi pensava sempre que seus olhos cruzavam com Maito nós corredores do colegial, onde dava aulas de física, havia cerca de um ano.

Não que homens robustos, atléticos e másculos fizessem seu tipo, longe disso, para falar a verdade Kakashi nem ao menos um tipo possuía, gostava de pessoas, se fossem interessantes, era onde o coração se acalmava.

Ele prezava muito mais o contato físico, olhos nos olhos, um toque sútil às paixões arrebatadoras, considerava sensato de se entregar.

Isso até o furacão Maito Gai surgir em sua vida. Seu colega de longe possuía seu mesmo pique, afinal, ele sempre estava nos 220, falava besteiras com se tivesse propriedade de qualquer assunto, competitivo como somente Gai, chegava a ser um absurdo, não querendo se achar o homem mais inteligente do mundo, muito pelo contrário, entretanto se tinha algo onde Kakashi possuía experiência, era física.

Mesmo ministrando aulas da matéria, tempo suficiente, o Hatake poderia enumerar todas as vezes em que Gai invadiu suas aulas para falar sobre o time de basquete da escola e seus jogos interclasses e nessas visitas o professor observava com seus olhos escuros como duas jabuticabas o quadro, corrigindo de forma errônea uma questão ou outra.

Sempre terminava suas cenas com piadas sobre a falta de atenção de Hatake.

Talvez fosse esse jeito orgulhoso e confiante distribuído para seu time tornando-o tão popular entre os alunos, sempre participativo em demasia… intrometido por natureza…

Talvez fosse o sorriso de dentes excessivamente brancos e largos que distribuía a todos. Gai não era uma pessoa de medir palavras, muito pelo contrário, sempre dizia o que vinha a cabeça, ou gostava, ou não gostava, ele vivia como Kakashi nem poderia entender…

Então dizer que Kakashi possuía sentimentos por Gai era tão, mais tão, insuportável. Como isso aconteceu?

Suspirou observando por cima do livro o professor que colocava Whey Protein ou qualquer porcaria de treino uma squeeze de um litro e meio, verde fluorescente, aquele traseiro enorme marcado na merda das calças de moletom. Se pudesse dizer em voz alta, com toda a certeza Kakashi diria: que bela raba. Mas não era tão elegante, tais escolhas de palavras.

Foi quando um grupo de alunos do terceiro ano, muito conhecido por Kakashi como os queridinhos de Gai, passaram comentando alto sobre a última aula de educação física, pelo menos um das três crianças gritava e sem perceber kakashi soltou uma risada debochada, não foi sua intenção muito pelo contrário, era mais um deboche por ele não ser tão querido, não que ser popular entre os alunos fosse de extrema importância para Hatake, mas era um dos motivos por se achar um fracasso em sua carreira.

Se não fosse pela inveja que pulsava a cada partezinha de seu corpo o suficiente para deixar ele mal, os olhos de Gai cruzaram os seus chateados como nunca. Depois disso o professor rival saiu apressado com a squeeze aberta de qualquer jeito, espalhando o líquido por todo o lugar. Parabéns kakashi, ele sussurrou para si, recebendo de forma curiosa para si o olhar de Kurenai.

Nunca viu antes Gai se abalar por nada, principalmente quando o assunto era Kakashi. Gai podia ter vários defeitos, mas se melindrar não era um deles, Gai era forte, intenso, ansioso e sempre agia por impulso, Gai usava de qualquer desculpa para competir, para se mostrar como o melhor, claro, mesmo que acabasse botando os pés pelas mãos, como quando tentava corrigir sua matéria de forma errônea.

Mesmo que invejasse Gai pela ligação que o colega possuía com seus alunos, nunca seria a intenção magoá-lo, muito longe disso, o coração ficou apreensivo, quando viu a bela bunda marcada nas calças de moletom sair da sala e seu possuidor cabisbaixo. Quis ir atrás dele, explicar, todavia como explicar que a cada dia que passava vinha sentindo uma forte ligação pelo colega? Como explicar isso?

Sabe qual o pior de guardar para si pequenos segredos sobre sentimentos ruins?

Aperta, machuca, lhe tira o fôlego, sono e sua paz. Um dia Kakashi era um invejoso e no outro mentiroso, num dia kakashi queria estar ao lado de Gai mais do que como seu colega/rival, no outro via o homem que lhe tirava o tino lhe ignorar pelos cantos. Se não fosse tudo isso ainda, existia outro agravante, de longe Kakashi era a melhor pessoa de demonstrar, de botar para fora, ele não era muito comunicativo, se não fizesse algo a respeito perderia o respeito de Maito de uma vez por todas, se assustou com o último pensamento. Ainda associou o fato de não ser tão bom com as palavras, como sendo o motivo por não ser tão popular entre os alunos, mas deixou para lá, afinal, o mais importante agora era com toda a certeza arrumar um jeito de consertar as coisas com Gai.

Foi aí que uma dúvida surgiu, ruidosa, dolorosa e agonizante: como que caralhos alguém como ele faria para se resolver?

Nunca em outro momento pensou algo tão absurdo como cogitou fazer e fez. Abriu a Netflix e buscou respostas em todos os filmes de romances encontrados, no terceiro filme o homem prático chegou a conclusão do óbvio;

01.) Com toda a certeza não gostava daquele gênero em específico.

02.) Estava perdendo seu precioso tempo.

Todas as resoluções de conflitos daqueles filmes eram rasas e sem sentidos. Correrias desnecessárias, palavras vazias e iguais, mais do mesmo. No quarto filme Kakashi já estava revirando os olhos com ódio. Nada daquilo funcionaria!

Por mais difícil que fosse imaginar como se resolveria, ainda assim tentou contato com Gai, ignorado por diversas vezes, Kakashi contava os minutos para o final de cada aula e mesmo correndo contra o tempo o Maito dava um jeito de escapar.

Até substituiu os anúncios de jogos do time pelo seu capitão Rock Lee, o menino que mais parecia uma versão mais nova do professor de educação física, agora desfilava ao lado dos demais a cada novo jogo. Estava mais difícil seguir um plano bem bolado pela sétima arte.

Havia passado dias desde o mal-entendido, e por um caralho o Hatake já sentia tanta falta de observar o colega, do jeito intrometido, da risada grave, do jeito competitivo. Ai, como ele sentia saudades. Por isso, aquele dia em questão resolveu agir por impulso.

Encarou o quadro com a agenda do professor e caminhou. Ereto, sentido a quadra. Cada passo nos corredores vazios, pela aula, sentia o coração acelerar sem trégua, ao alcançar a quadra foi que além do coração suas mãos estavam suadas e frias. Por isso, Kakashi preferia relações rápidas a ter de se entregar era um lixo estar apaixonado.

As palavras sumiram de sua cabeça, toda a merda do discurso ensaiado a noite anterior inteira havia sumido, os olhos atentos do professor de educação física nele, rosto corado, respiração alterada, dedos trêmulos.

Nada precisou ser dito, afinal o Maito parecia tão tenso quanto o outro e tão sem palavras.

Não que ver o Hatake foi de todo mal para Gai, mas fez ele sentir o corpo tremer sem sua autorização, maldito Kakashi, pensou bravo. Mesmo assim enquanto suava como um porco, não diferenciando da aula ao ar livre da merda da tremedeira ao vê-lo, alcançou o Hatake, tentando manter a sanidade.

Repetiu para si outra vez. Se tinha algo que fazia-o perder o tino, era olhar os olhos atentos e maldoso daquele nerd, só ele conseguia fazer se sentir daquela maneira, Gai diria ser competição, mas todos a sua volta sabia o que existia, uma palavra e cinco letras: paixão.







***


KakaGai voltei!!!

Chegou até aqui??? Manda um comentário ai do que achou! Aceito receitas de quitutes gostosos também! Curte, segue a autora, faz propaganda se gostou, aproveita o isolamento e vá maratonar minhas fics! Beijinhos e até mais! :)

July 17, 2020, 10:55 p.m. 1 Report Embed Follow story
1
The End

Meet the author

Verônica Ashcar Ela/Delu Escrevo uma par de coisas voltado ao publico LBGTQI+. De romances bonitinhos ao que der na telha, cheio de dor e sangue. Não espere constância! ;) Amo exaltar todas as mulheres, todas, donas de casa, mães solo, amigas, esposas, cis, trans, famosas e as do dia a dia. Exaltar é também ser a voz das que foram caladas é cobrar justiça pelas ceifadas! Já ouviu a palavra de kakaGai hoje? Best da Sata Nath! Melhor pessoa desse universo! <3 Perfil no Wattpad, spirit e no Nyah. ;)

Comment something

Post!
Inial Lekim Inial Lekim
VERONICA CADE MEU BEIJO, VERONICA??? Ai, mas achei fofinho demais, especialmente porque esse gay panic é muito a cara do kakashi mesmo! Porém falto encerramento. MIM DE UMA CONTINUAÇÃO!!!
July 18, 2020, 21:35
~