Bonde das Categorias Follow blog

embaixadabr Inkspired Brasil Fez a correção, a capa é da hora e seus amigos esperam com ansiedade, e talvez preocupação, pelo momento que sua obra será lançada. Até marcou um dia: hoje. Um frio na barriga! Olha mais uma vez aquela belezura, cheio de orgulho, e se prepara para inseri-la no site e compartilhá-la com o mundo. De repente, percebe um buraco na coisa toda: falta a classificação da história. E agora? Ação? Aventura? Drama? Tudo junto? Existem várias categorias e uma narrativa não está restrita a apenas uma, o que torna comum a dúvida na hora de escolher em qual inserir seu livro. É por conta disso que este blog existe: auxiliá-lo nessa tarefa que, muitas vezes, pode ser amedrontadora. Confira o Bonde das Categorias e não fique mais inseguro na hora de lançar sua história.

#inkspired #brasil #embaixada #embaixadabrasileira #classificacao #categorias
26
16.6k VIEWS
AA Share

O Terror

O terror ou horror é um gênero literário intimamente ligado à fantasia e à ficção especulativa do assustar, do assombrar, eletrizar, causar medo nos leitores.

’A emoção mais antiga e mais forte da humanidade é o medo, e o mais antigo e mais forte de todos os medos é o medo do desconhecido.’’

H.P. Lovercraft

Você sabia que esse gênero é considerado um dos mais antigos?

O gênero do terror na literatura remonta à Grécia antiga e à Roma antiga, onde as histórias de terror exploravam temas relacionados à morte, demônios, espíritos e vida após a morte. Alguns exemplos são da antiga tragédia de Hipólito de Eurípides, uma história que abordou sobre como o ciúme e a falta de empatia podem levar a extremos sentimentos de um personagem.

Quais são os subgêneros do terror?

O romance gótico de terror se dirige a morte, e esse teve origem no século XVII e o autor em destaque é o Edgar Allan Poe com o seu ar melancólico e soturno, escreveu Contos de Folio Club (1832), A narrativa de Arthur Gordon Pym (1838), além do mesmo autor ser conhecido por ser um poeta com o seu mesmo estilo de ar gótico. A literatura de terror dos séculos XIX e XX se concentravam em contos envolvendo ideias ocultas ou como as ficções afloradas de seres bem diferentes, estes livros muito conhecidos e até mesmo transcendidos para filmes como Frankenstein, da autora Mary Shell (1818), ou Drácula, do autor Bram Stoker (1897).

Paranormal remete a romances de terror envolvendo histórias de fantasmas ou eventos de terror sobrenaturais que não existem no contexto da explicação científica. Como o livro Amityville(1977), por Jay Anson, que posteriormente em 2005 virou um filme.

O oculto, que são os romances de terror sobre práticas ritualísticas que não são consideradas religião ou ciência. Os livros o bebê de Rosemary (1967), pelo autor Ira Levin, e o exorcista (1971), por William Peter Blatty, são exemplos desse subgênero, que posteriormente foram também transformados em filmes que são considerados ainda hoje como ícones do terror.

Fantasia sombria são os romances de terror que combinam elementos sombrios de fantasia. Como a obra de H.P Lovercraft, O chamado de Cthulhu e outros contos de 1928, nesse livro conta sobre a investigação sobre um ser extraterrestre, e segundo a mitología ‘’lovecraftiana’’ seriam criaturas cósmicas, vindas à Terra antes desta abrigar vida. O Cthulhu é um deus que possui proporções gigantes e uma aparência híbrida de um ser humanoide em conjunto com polvo e dragão. Bom, já deu para perceber a fantasia do autor, não é mesmo?!

Sobrevivência retrata novelas de terror em que o personagem principal está sendo caçado e tentando sobreviver dentro de suas circunstâncias. O livro Noturno (2009), do autor Guillermo del Toro, aborda a partir de quando um avião aterrissa em Nova Iorque com mais de 200 passageiros inexplicavelmente mortos e apenas 4 passageiros sobreviventes, e as autoridades suspeitam de ameaça terrorista e a cidade entra em estado de alerta. Mas os mortos somem do necrotério e começam a vagar pelas ruas atrás de sangue humano. Não sei vocês, mas esse entrou na minha lista.

Algumas ideias para impressionar os leitores

  • Extraia ideias da sua própria experiência. Retorne a memórias da infância e lembre-se do que costumava assustar você.
  • Escreva o título primeiro e pense no que pode desenhar mentalmente a partir do seu título.
  • Escreva o final primeiro. Pode não parecer possível, mas chocar você primeiro pode deixar que as ideias fluam mais, além de enganar as pessoas desde o início da história e desviar a atenção do que realmente acharem que vá ser final.
  • Prenda o leitor em um primeiro capítulo chocante para definir o tom da história e apresentar elementos que desencadeiam a trama.
  • Adicione reviravoltas na história.
  • Plante pistas falsas para enganar intencionalmente o leitor para que ele não preveja o resultado.
  • Empreste influências atuais e antigas, os conceitos de histórias de outros autores podem ajudar a definir o clima e criar suspense.

No aguardo por histórias de terror dos nossos queridos escritores, surpreendam os seus leitores com as ideias mais mirabolantes do terror.

Texto por Ruana Aretha Beckman

Correção por: Karimy

June 8, 2021, 8:54 p.m. 0 Report Embed 0
~

Microficções

Se eu tivesse de imaginar um novo Robinson, não o colocaria numa ilha deserta, mas numa cidade de doze milhões de habitantes cuja língua e escrita não soubesse decifrar: aí está, creio eu, a forma moderna do mito.
Roland Barthes
  • O que é uma microficção?

Pode ser conhecida como microficção, microcontos ou micro-histórias. Ela faz parte da literatura pós-modernista e, devido a sua aproximação fragmentária, pode ser considerada um embrião em formato de narrativa que se caracteriza em nosso século. A brevidade é a sua condição principal conduzida através de velocidade, por sentimentos explícitos ou histórias em poucas letras. Nela não há começo, nem meio ou fim.

  • Quais os principais elementos que determinam uma microficção?
  1. Brevidade do texto.
  2. Concisão da linguagem.
  3. A velocidade da narrativa.
  4. A contextualização da narrativa.

Dentre todos estes elementos, nenhum é exclusivo desse tipo de narrativa, podem ser encontrados em muitos gêneros literários. O importante é, nesse pequeno espaço de escrita, fazer a alquimia para cativar leitores.

  • A microficção possui subgêneros?

Caros escritores, a microficção é super híbrida, como diria Rui Costa e André Sebastião (2008) em Primeira Antologia de Microficção Portuguesa, “confunde os gêneros e deixa-nos (bem) perdidos no caminho para qualquer definição”. Pode ser escrito a partir de qualquer gênero as suas microficções, desde que seja breve.

  • Publicações relevantes de microficção:

Os autores Jorge Luis Borges e Bioy Casares publicaram, em 1953, Cuentos breves e extraordinários, uma antologia de microficções e fragmentos de diversas línguas, culturas e épocas, o texto está composto por pequenas narrações, mas de grandes dimensões, possui grande impacto na literatura e nos estudos literários do momento.

Eis algumas das microficções dos autores:


A aniquilação dos ogros

A vida de uma tribo inteira de ogros pode ser concentrada em duas abelhas. O segredo, no entanto, era revelado por um ogro a uma princesa cativa, que fingia temer não ser imortal. Nós ogros não morremos, disse o ogro para tranquilizá-la. Não somos imortais, mas nossa morte depende de um segredo que nenhum ser humano vai adivinhar. Eu vou revelar a você, para que você não sofra. Olhe para aquela lagoa: no seu melhor no fundo, no centro, existe um pilar de vidro, no topo do qual, por baixo da água, repousam duas abelhas. Sim, um homem pode mergulhar nas águas e voltar à terra com as abelhas e dar-lhes liberdade, assim todos nós ogros vamos morrer. Mas quem vai adivinhar este segredo? Não se desculpe; você pode me considerar imortal, então a princesa revelou o segredo ao herói. Ele soltou as abelhas e todos os ogros morreram, cada um em seu próprio palácio.


DER TRAUM EIN LEBEN

O diálogo ocorreu em Adrogué. Meu sobrinho Miguel, de cinco ou seis anos, estava sentado no chão brincando com o gato. Como todas as manhãs, perguntei a ele:

-O que você sonhou na noite passada?

Ele respondeu:

-Eu sonhei que havia me perdido em uma floresta e que enfim encontrei uma casinha de madeira. A porta se abriu e você saiu. Com súbita curiosidade, ele me perguntou: "Diga-me, o que você estava fazendo naquela casinha?".


Sonho de Chuang Tzu

Chuang Tzu sonhou que era uma borboleta e não sabia ao acordar se era um homem que sonhava em ser uma borboleta ou uma borboleta que agora sonhava em ser homem.


Perceberam caros escritores? Com o pouco podemos impactar em palavras e assim temos microficções garantidas.


Texto por: Ruana Aretha Beckman

March 16, 2021, 2:21 p.m. 0 Report Embed 1
~

Histórias da Vida

Olá, tudo bem?

Hoje falaremos sobre o gênero Histórias Da Vida, em que você pode dissertar sobre tudo aquilo que tem na existência em comum com as pessoas. Não precisa ser algo descrito sobre si mesmo, mas aquilo que usualmente costumamos testemunhar ou experimentar no nosso dia a dia. Qualquer coisa que chame a atenção no cotidiano em geral.

Nesse estilo, incluiremos autobiografias ou biografias. Lembrando que, caso sua história tenha um gancho mais específico em outro gênero, é sempre bom especificar isso nas tags da sua história, assim como é importante explicar caso haja algo que foi acrescentado por você.

Por exemplo: existem biografias ficcionais, que são biografias escritas por uma pessoa que quer falar sobre a vida de um famoso, por exemplo, mas que inclui eventos que são apenas especulativos para transformar essa história em algo mais profundo - por vezes por não ter como mais acessar a história completa e concreta de vida da pessoa, talvez por ela já ter falecido e não haver fontes confiáveis vivas que conviveram com ela.

Você também pode comentar sobre memórias neste gênero - e neste âmbito podem ser memórias que contém sobre uma pessoa explanando de experiências particulares, de como conviveu com algum ente querido, uma recordação de algo especial nesse sentido. Além do mais, você pode contar algo que alguém viveu, mas impactou você a ponto de mudar sua própria vida. Isso abrange lições com um certo sentido de moral e ética, confissões privadas de fatos que marcaram profundamente seu âmago, etc.

E não se esqueça da importância de classificar corretamente a faixa etária do seu texto. Além disso, é sempre bom colocar nas tags caso a história contiver algum conteúdo que possa ativar gatilhos em seu leitor, como tortura.

Bom, espero que tenha ficado mais fácil saber categorizar sua história em Histórias Da Vida agora. Mas, se ainda tiver dúvidas, deixe aqui embaixo que responderemos tão rápido quanto pudermos!


Texto Por: Amanda Luna De Carvalho

March 16, 2021, 2:11 p.m. 0 Report Embed 0
~

Ficção científica

‘’Que a força esteja com você!‘’

Star wars


Quem não lembra dessa frase? A ficção científica de Star Wars não é somente memorável pelo seu contexto intergaláctico, mas, sim, pela sua história que incorpora muitos fatos interessantes dentro de um ambiente maior, este o universo. O gênero ficção científica utiliza de conceitos ficcionais, como o nome diz e remete a imaginação, ciência, tecnologia e sua consequência em uma determinada sociedade nos seus indivíduos, seja no ano de 2072 ou na era do carbonífero.

A filosofia e literatura por trás desses enredos é magnífica, pois trás tudo o que um escritor almeja, a própria abordagem, o único, a imaginação que pode trazer muitas possibilidades em épocas ou ambientes diferentes: viagens espaciais, viagens no tempo, universo paralelo, vida extraterrestre, mudanças climáticas, revoluções.

Este gênero ainda é abreviado por outros termos (SF, FC, sci-fi ou scifi), por mais que haja o interesse em escrever sobre esta literatura, precisamos adentrar além do âmbito figurativo, precisamos entender um pouco sobre a ciência física, biológica ou química do que vamos abordar, afinal é sobre ficção científica. Apesar da imaginação, não podemos soltar bombas nucleares nos olhos dos leitores com hipérboles que nunca poderão acontecer.

Os elementos mais utilizados nesses textos são:

- Leis da física que se contradizem, buracos negros, viagem do tempo, buraco de minhoca;

- Personagens alienígenas, robôs, androides, personagens que desafiem a evolução humana e fazem o Darwin ficar boquiaberto com ideias;

- Viagens entre nossa realidade e outras, muitos universos paralelos para que o Dr. Who se empolgue com a história;

- Tempos alternativos, o futuro pode contradizer o presente do personagem, fatos históricos podem ser inexistentes e podem existir somente na cabeça do personagem;

- Os cenários podem ser no interior do planeta, em outros planetas, no espaço;

- Tecnologias como arma laser, teletransporte, robôs com armas e ultra inteligentes;

- Nesses universos você pode criar utopias, distopias, pós-apocalipse.

- Os personagens criados podem ter habilidades paranormais, como telepatia, controle da mente, podem ser baseados em princípios científicos ou não.

Lembrem-se de que a história de vocês precisa ter esses elementos para que seja classificada como ficção científica, além de que podemos ter outras subcategorias como ficção pós-apocalíptica, ‘’O mundo o qual vocês conheciam terminou numa extrema toxicidade e apenas os com um organismo apuro conseguiram evoluir o seu organismo para poder sobreviver a esse caos na Terra’’, o mundo que deixou de existir e se tornou um após o fim; ficção adolescente ‘’Eva e Pedro eram juvenis e lutavam contra robôs, estes queriam que esquecessem a sua humanidade e que fossem servir a uma sociedade robotizada"; bom, podemos ter muitas subcategorias com abordagens diferentes, mas que giram ao entorno dos elementos acima, o importante é pensar nessas características do gênero antes de classificar sua história. A ficção o qual o escritor vislumbra o ato da imaginação, da fantasia, a inspiração de outros universos.

Então, vamos para algumas obras conhecidas do mundo de ficção científica:

O guia do mochileiro das galáxias – Douglas Adams

Esse livro é considerado um dos maiores clássicos da literatura científica, encanta muitos leitores através da sua descontração. No primeiro volume da saga do autor Douglas Adams, ele conta sobre as aventuras espaciais do inglês Arthur Dent e de seu amigo Ford Prefect, essa dupla escapa da destruição da Terra pegando carona em uma nave alienígena, graças ao conhecimento de Ford Prefect que era um alienígena disfarçado de ator desempregado. O autor te convida a embarcar em aventuras com personagens muito enigmáticos, não só te diverte, mas te faz pensar em um universo um tão diferente quando você pensa ‘qual o sentido da vida?’, mas com muito humor.

Neuromancer – William Gibson

O livro retrata no futuro e neste futuro existe a matrix. Uma espécie de alucinação coletiva digital, onde a humanidade se conecta virtualmente para saber sobre tudo. No entanto, há uma elite que navega por essa grande rede de informação e são chamados de cowboys. O Case era um deles, mas houve um dia em que tentou ser mais esperto que os seus patrões. Para a surpresa dele, os antigos patrões fritaram suas conexões com o ciberespaço, tornando-o igual a todos os outros sem qualquer benefício. Desde então ele vaga pelos subúrbios de Tóquio, com o intuito de destruir a si, mas por um acaso ele acaba sendo constatado por Molly, uma bela e perigosa mulher que assim como ele, desconfia de todos. Molly e Case acabam se envolvendo em uma missão com muito mistério e perigo.

Star Wars – O último comando – Timothy Zahn

Neste livro, como tudo em Star Wars aborda muitos tempos, essa história se passa após o resgate da tecnologia de clonagem de soldados do derrotado Império, Thrawn se prepara para o ataque definitivo à Nova República. Nesse cenário, Han Solo e Chewbacca seguem com os últimos esforços para montar uma parceria com antigos traficantes, enquanto isso Leia prestes a dar à luz a seus filhos gêmeos, tenta manter a aliança unida e Luke lidera uma missão importante para acabar com as forças remanescentes do Império.


No aguardo por novos universos por nossos queridos escritores Inkspired.


Texto por: Ruana Aretha Beckman

Feb. 20, 2021, 12:27 p.m. 0 Report Embed 0
~
Read more Start page 1 2 3 4 5 6 7