Tudo sobre Simplesmente Tita Follow blog

sweet-mary Mary Este blog será voltado a todos os fãs e simpatizantes da série de histórias chamada Simplesmente Tita. Curiosidades, personagens, trilha sonora. Um espaço voltado para os leitores poderem conhecer melhor Tita e seus amigos.
Non Verified story

#curiosidades #simplesmente-tita #escritora-mary #trilha-sonora #personagens
Tudo sobre Simplesmente Tita
1
4142 VIEWS
AA Share

Tempo para pensar...

Se porventura alguém estava acompanhando Simplesmente Tita (o da capa rosa), que foi retirado da plataforma para uma reformulação, convido a ler no Nyah, onde a história está na íntegra, pedindo desculpas de antemão por não ter anunciado antes que reformularia a primeira parte e que tal postura se refletirá nas próximas. Ainda não faço a menor ideia de quando (e se) postarei no Wattpad.

Ainda estou muito devastada depois da "crítica" que recebi num PDF, onde uma pessoa que se sente superior a todos por estudar letras e refuta tudo que não seja Machado de Assis, fez com que eu me sentisse pequena. Sim, é verdade que ninguém é perfeito e tanto a escrita quanto a autocrítica se aprimoram quando praticadas. Tenho consciência das minhas imperfeições, como também me orgulho por ainda não ter desistido, uma vez que a "crítica imparcial" foi tudo, menos o que prometia.

Foi um discurso de ódio do qual a imparcialidade passou bem longe, porque é impossível ler e ser indiferente. Eu não consigo ler um texto e ser impassível a ele, por uma infinidade de razões.


"É sério, cara moça, se você não gosta de ficção adolescente (ou quaisquer outros gêneros), seja franca em seus malditos formulários e diga: NÃO RESENHO FICÇÃO ADOLESCENTE. É muito melhor do que diminuir uma pessoa e jogar uma pá de cal na roseira dela.

Para você, meu trabalho pode ter sido superficial e repleto de defeitos (você já se olhou para seus próprios textos? não por nada, mas mesmo imperfeita, sou bem mais eu...), porém você não tinha o direito de me humilhar porque todos os aspectos que você enfatizou naquele documento não faziam o menor nexo, lembrando também que nos comentários sempre te respondi e EXPLIQUEI um trecho da história que você apontou como "ponto negativo".

Sem contar aquele papelão no seu blog.

Ué, você se ressentiu porque as pessoas não concordaram com as suas impressões odiosas e preconceituosas e preferiu fechar o blog a aceitar opiniões diferentes?

Pois bem, minha amiga não te escreveu nada de ofensivo, aliás, você deveria nos agradecer, uma vez que fomos as únicas pessoas que ainda te demos um pouco de atenção. Ela apenas quis contestar seu ponto de vista arrogante e o fez como se espera de uma pessoa adulta, madura e ética, tudo que você não é.

Seja como for, eu ainda tenho que te agradecer, não só porque estamos na Semana Santa, mas porque me flagrei pensando se muitas vezes ao longo da vida eu não agi/ajo como você, se já não julguei livros pela capa ou pelo gênero ou me considerei o centro do universo, a dona da verdade. Decidi me abrir mais e rever meus conceitos, meus valores, pode acreditar que você me destruiu, mas um dia a conta virá. E você vai engolir tudo o que falou da minha história.

Meu coração ainda está quebrado, meu ânimo para escrever como antes ainda não retornou, os dias se passam sem sentido porque me sinto aprisionada pelo seu ódio, pelo seu preconceito, pela sua arrogância, e não, não não quero me tornar como você. Quero me prender ao conteúdo, ouvir todas as vozes que desejam ter seu espaço, fazer com que as pessoas se sintam amadas, úteis, importantes e motivadas, porque escritores não são inimigos, são companheiros, são corações de tinta dispostos a compartilhar com o mundo aquilo que podem fazer com a imaginação. Quero mais vozes, mais cores, mais vida, e menos ódio, menos preconceito, menos necessidade de ser a dona da verdade, porque ela é subjetiva, relativa.

Eu não sou falsa quando me porto gentilmente com as pessoas, é porque acredito nelas mais do que elas em si mesmas.

Será que alguém acredita em mim?

Passei semanas sem sequer conseguir concluir uma leitura, revisando meus textos com o desejo de excluir tudo o que escrevi, semanas em que vaguei sem rumo, deixando o tempo passar, enquanto o tédio e a dor me engoliam, pensando se no fundo todas as pessoas pensam como você. E esse tempo eu não terei de volta. Estou aprendendo a não ser uma pessoa que nem você, que precisa diminuir os outros para se sentir bem, que não é capaz de se permitir enxergar a beleza que existe escondida por trás dos preconceitos.

As lágrimas correm pela minha face. Já são dois meses. É hora de enxugar esse rosto molhado, não me encolher. O ano ainda tem muito a oferecer, possibilidades mil, você não é a dona da razão. Muitas pessoas precisam da Tita (e espero que de mim também) e se você não gostou da história, apesar de estar no direito disso, poderia muito bem lembrar que há pessoas que esperam pelo final dela, pessoas que a amam, que não se atentam a detalhes tão ínfimos, tão ridículos, porque, sinceramente, o que você queria não era uma resenha e uma crítica, você queria me tirar do seu caminho, você enxergou em mim alguma espécie de ameaça, a razão eu prefiro nem saber."


Não se preocupem. Eu vou ficar bem. Tudo vai ficar bem. As feridas, cedo ou tarde, param de doer. Pessoas ruins estão por toda a parte, é verdade, mas as boas são e sempre serão a maioria. É por elas que escrevo. Porque acredito. Acredito mais na bondade do que na maldade. Acredito no amor, na solidariedade, no acolhimento, me findo na esperança de que dias melhores virão.

Escrever foi a forma de libertar todas as ideias que já moravam em mim muito antes de eu empunhar uma caneta e rabiscar as primeiras palavras numa folha sulfite no verão de 2001. Foi o que me ajudou a superar o ensino médio e todos os seus desafios, desde as disciplinas difíceis até as pessoas falsas e a sensação de não me encaixar a nenhuma tribo. Descobrir que muitas pessoas poderiam gostar daquelas ideias que eu tinha pode ser considerado o norte dessa década de 2010, o que me sustentou quando eu poderia muito bem entregar os pontos.

O que construí não vem de agora. Estou sempre me aprimorando, me recriando, vivo pelos meus sonhos porque se eu deixar de sonhar, o que me restará? Não restará sequer uma fagulha de luz em meu olhar.

E que graça tem viver se não há um mísero sonho que acalente o coração solitário nas noites mais escuras?

Sonhar reacende a esperança, aquece a coragem, mas só sonhar sentada de nada adianta se não houver atitude. Tive que começar de algum lugar, de alguma forma, por mais que não soubesse para onde estava indo, eu só não queria permanecer no mesmo lugar e reclamar de uma existência vazia. Nada viria até mim "de graça". E errar, infelizmente se erra, ninguém o faz deliberadamente, é sempre na esperança de acertar, de confiar que se está no caminho certo, no caminho que o coração almeja seguir, e os erros ajudam no amadurecimento porque escancaram a fragilidade, a imaturidade, a necessidade de se refazer, pensar numa estratégia, respirar fundo para escutar o próprio silêncio até que as ideias se tornem tão claras quanto uma tarde de verão.

Recomeçar faz parte. Se um sonho vale a pena, é para ser sonhado. O preço que se paga é alto. A mínima possibilidade de realização vai incomodar àqueles que não querem que você progrida, que você chegue mais longe do que eles. Vai despertar inspiração em uns, ódio em outros. Esse ódio, fique sabendo, nem sempre tem justificativa, é apenas o que é, palavras amargas despejadas para destruir a sua conquista, almas que não conhecem os percalços da sua e já te julgam. Isso diz respeito a elas e sua falta de empatia. Não a você. Nem a mim. Isso mesmo, nem a mim.

Quero ser uma incurável sonhadora que tropeça, levanta e recomeça. Pois sim. Porque sonhar vai me levar a algum lugar. Por esse sonho eu vou me conhecer melhor e quem sabe o mundo, o mundo que é feito de pessoas, de pessoas de todos os tipos, que nunca passam indiferentes, sempre deixam sua marca. Porque eu prefiro chorar por um sonho que ainda não se realizou a ser aquela que destrói o que as pessoas estão construindo.

Com simples palavras se faz isso. E palavras doem. Ditas, digitadas, manuscritas. Doem, porque você chega muito perto de conhecer o que se passa na alma de alguém quando a lê. Mas, numa hipótese positiva, uma mensagem de carinho e apoio podem salvar vidas e encorajar almas temerosas a desbravarem o mundo e a si próprias. E eu gosto, gosto mesmo dessa possibilidade, ela me encanta tanto quanto o eventual "sucesso", porque ele for medido pelos números e não pelas sensações que nos aproximam, de que vale?


Enfim, isso era tudo que eu tinha a dizer...

April 17, 2019, 2:50 a.m. 0 Report Embed 0
~

Triste

Sabe quando você passa anos da sua vida insistindo num sonho e então se dá conta de que foi tudo em vão?

Eu deveria estar preparada para esse tipo de merda, afinal, em outubro já são 10 anos que escrevo na net e contabilizando o tempo no papel, 18 primaveras. Eu já sofri machismo nesse meio no início, quando postava DDP e até Confissões de Laly fazer sucesso, ninguém acreditava que quem assinava aquelas novelas era uma moça, no caso, eu. Já sofri cyberbullying, indução ao suicídio, já deslegitimaram minha história sem sequer ler um parágrafo, só pelo nome, só porque a autora é mulher, porque a Tita é uma menina.

Sobrevivi ao Wattpad.

Pensei que aqui as coisas seriam diferentes, que eu teria leitores, amigos, encontraria gente bacana que acolheria a Tita com amor, todavia se não fosse a atmosférica tóxica do Wattpad, eu seria capaz de tentar tudo de novo por lá, estou muito ferida com a resenha que recebi. No começo, claro, li de boas, afinal a crítica especializada se fosse cobrada sairia uma bagatela, no entanto tive mais calma para ler e questionei muitos pontos, afinal, sou uma jornalista (tá bom, em graduação, mas minha alma é) e não me conformei em abaixar a cabeça e engolir em seco.

PERFEITA EU NÃO SOU.

Que tem pontos a serem melhorados, têm. Tudo bem até aí, mas erros desse tipo eu posso consertar no Word, se fossem falhas que prejudicassem o entendimento da história e, consequentemente, deixassem a leitura enfadonha, eu concordaria, porém quem fez a resenha tem um olhar crítico e uma fixação pelo Machado de Assis, de maneira que ninguém (em sua concepção) estará ao nível dele, ou seja, somos todos uns merdas ocupando espaço aqui na terra.

Meus amigos não gostaram da maneira como fui retratada, como se tivesse acordado recentemente e dito "ain, a partir de hoje virei escritora!". Não, gente. A escrita caminha lado a lado com a minha vida. A escrita corre em minhas veias. Não sou uma escritora amadora de fanfic de Naruto, sou uma escritora de verdade, o que acontece é que não fui descoberta por um agente literário.

Já participei de três antologias poéticas POR MÉRITOS MEUS e para as pessoas que me escolheram, eu tinha muito talento. 

Por enquanto estou sem saber o que fazer da minha vida, foi como se alguém tivesse enfiado uma faca no meu coração. Fazer resenha uma coisa, destruir o sonho de uma pessoa é outra é bem diferente. Existe uma diferença bem gritante entre fazer uma crítica construtiva e ser cruel.

Fico pensando se essa pessoa que me criticou é uma autora publicada, famosa, que vive do que escreve, porque as meninas do Wattpad ao menos são. Até lá onde sofri bullying e teve gente puxando meu tapete recebi feedbacks mais humanos.

Sinceramente, estou bem decepcionada com a plataforma, com essa frieza dos leitores daqui, até no Fanfics Brasil onde é o antro do RBD recebi mais calor humano do que aqui. Não sei o que há. Eu dou o meu melhor, não sou uma qualquer, essa moça não sabe quantos fins de semana da minha vida eu dediquei (e quando posso ainda dedico) para a Tita, que ela pode até ter arrancado os últimos brotos da minha roseira, mas um dia ela vai sentir toda dor que estou sentindo, um dia alguém vai magoá-la bem fundo.

Sério, qual é o prazer de ser tão arrogante e cruel? Ser estudante de letras não te dá esse direito de dizer o que é certo ou errado, você não é a dona da razão.

Se eu não desistir do meu sonho, me desculpa Deus, mas quero que ST faça um sucesso tão grande que se torne a novela que sempre mereceu ser e aí você vai ter que engolir tudo que escreveu nessa sua resenha desaforada, talvez de alguém que não deve ser nem metade do que se vende e vive criticando os outros.

Aposto como deve ter uma ranhura nesse seu teto de vidro... eu vou seguir o conselho dos meus amigos e calar a minha boca porque sou de escorpião, vingativa e não deixo barato... mas bem que eu queria falar umas verdades... a vida vai mostrar... viva e deixe estar... eu choro hoje, mas a roda-gigante gira, ela sempre gira...

Foda-se se eu não sou a reencarnação do Machado de Assis, eu quero ser eu mesma, quero imprimir a minha própria personalidade na escrita e conquistar as pessoas sendo como sou, doce quando quero e desbocada quando alguém pisa no meu calo.

Estou com raiva.

Estou profundamente magoada.

Pelo menos o que consola é me lembrar de não ser esse tipo de pessoa, esse tipo de pessoa que só vê os erros, que sente prazer em magoar, corrigir, que se acha a dona da verdade. Aprendi com dor que não devo ser essa pessoa.

Dói demais, mas preciso esfriar a cabeça. A segunda temporada volta em março, mas agora estou tão magoada que não sei mais se serei capaz de continuar escrevendo...

Feb. 21, 2019, 1:54 a.m. 0 Report Embed 0
~

Grupo no facebook

Oi pipoquinhas, tudo bem? Espero do fundo do coração que sim!

Nessa semana não consegui escrever muito, mas estou com muita vontade de voltar. Bom, na verdade queria ir ao parque de diversões, mas não tenho companhia. Enfim, deixa pra lá...

Ei, se você tem conta no facebook, ama Simplesmente Tita e sente vontade de interagir comigo (Mary), fazer amizades e se desestressar, seja bem-vindo (a) ao grupo de ST.

Eu não sou nenhum mestre na arte de criar grupos, como tenho medo de gente maldosa mantenho a página fechada porque o grupo tem regras:

1) RESPEITAR A AUTORA E OS DEMAIS USUÁRIOS (caso contrário = ban)

2) NÃO FALAR SOBRE POLÍTICA (já existem outros grupos pra isso)

3) USAR O MURAL DO GRUPO COMO SPAM (prática comum no Wattpad e que graças a Deus não ocorre aqui)

* sim, você pode divulgar seu trabalho se também escreve ou ilustra ou tem uma página legal, um canal no youtube, mas eu não quero que vire só divulgação, quero que haja interação, que as pessoas discutam sobre a história, os personagens, as temporadas, me façam perguntas, até se precisarem desabafar tenham um lugarzinho onde possam fazer isso para criarmos uma corrente poderosa de amor, respeito, compaixão e empatia, nortes do nosso grupo, uma vez que quero através da história dar voz para aqueles que nunca se sentiram valorizados, capazes de falar.

Só fico grilada quando rotulam ST de infanto-juvenil. É YA com orgulho. É YA porque a Tita narra sua vida de forma cronológica, crescendo durante a história e abordando temas que não são adequados para crianças menores de 10 anos.

Acho que é isso. O link do grupo está nos comentários. =)

Jan. 12, 2019, 7:02 p.m. 1 Report Embed 0
~

Vida

Olá, pipoquinhas!  Tudo bem?

Bom, eu estou um pouco deprimida, mas isso não interessa a vocês, afinal, aqui é o recanto da Tita, não da Mary. 

Como Simplesmente Tita NÃO é infanto-juvenil e tampouco eu sou uma autora iniciante, vamos aos fatos:

a) em 2012 ST chegou a ter um final depois de sete temporadas;

b) em 2013/2014 eu quis reescrever a versão de 2012 porque em 2013 eu conheci pessoas que me tiraram daquela bolhinha de alienação e me mostraram um mundo maior do que os portões da escola e a vida perfeita que meus bullies levam (ou pelo menos fazem parecer) e aí eu comecei a me questionar se a minha escrita era machista, preconceituosa de alguma forma e minha personagem tinha personalidade, foco, um ideal que não dependesse de um homem;

c) ST fez muito sucesso em todas as plataformas em que já postei e até aqui, apesar de não ter ainda um grupo de leitores, as visualizações me agradam porque consegui em questão de meses o que não consegui em 4 anos de Wattpad, o único lugar onde nunca consegui "acontecer";

d) tenho muitos leitores fantasmas, na certa sei que como ST ficou conhecida em muitos lugares, tem muitas pessoas por aí que algum dia vão parar aqui, então quero deixar tudo caprichado para quando elas chegarem e dizer que sinto muito por ter cancelado a história em 2015, que os amo e me arrependo do que fiz;

e) esse spin-off Vida pode ter vários spoilers, mas ele de fato mostra o início da terceira temporada... aí você que ainda está na segunda fique tipo assim '-' e não entenda muito bem, mas não tem problema algum, se você entrar no fandom se sinta em casa, o que acontece é que tem MUITOS leitores que querem saber o que vai acontecer com a Tita no futuro, como ela estaria nos tempos atuais;

f) e como a terceira temporada nas versões antigas me devastava emocionalmente ao ponto de eu ficar muito esgotada e sem forças pra escrever, vou reformulá-la ao longo de 2019, ela tem previsão de estreia para setembro porque em outubro eu completo uma década escrevendo em blogs  e queria comemorar.

Simplesmente Tita por acaso é uma história que começa na infância da personagem principal, mas não é infanto-juvenil, é para quem tenha vontade de ler e consentimento do que vai consumir. A partir de agora, com o intuito  de cuidar dos meus leitores, vou avisar assim [ALERTA DE GATILHO] quando algum capítulo muito tenso for ao ar e se a pessoa quiser ler e conversar a respeito, me segue no Instagram, só não xingue, por favor. Se você quiser conversar, desabafar, estou à disposição.

Bom, a mensagem que seria a chamada desse spin-off de Simplesmente Tita é: diretamente do futuro, o grande amor de sua vida te deixa mensagens e atende por Vida. as palavras, portanto, são jogadas ao vento, ultrapassando a linha tênue que separa o passado do futuro e tocando um jovem e solitário coração que mais do que nunca, precisa de amor.

Espero que vocês estejam gostando de ST, de ST2, obrigada pelo apoio, pelo carinho, por tudo e saibam que estou tentando escrever Vida justamente para saber o que vai acontecer com a Tita, desenvolver tudo direitinho e não ter mais bloqueio. Primeiros Erros vai tirar umas férias para eu terminar a história e voltará com o final. Tenham calma também. =)

Provavelmente eu não vou aparecer aqui no ano-novo, então desejo um ano de 2019 muito bom, com muita saúde para todos, muita paz, muita alegria, muitas alegrias, novas amizades, amores, conquistas, que essa plataforma cresça (e de preferência supere o Wattpad =P, tenho ranço do Wattpad) e se torne celeiro de grandes talentos, além de proporcionar grandes amizades e leituras saudáveis. Desejo que 2019 traga os sorrisos que 2018 tirou, resgate as forças de quem se sente fraco, que a esperança de dias melhores seja luz para quem está caminhando no escuro e para que os sonhos mais queridos de cada um se realizem. Que vocês vivam intensamente e da melhor forma possível. Saibam que não sou uma ameaça, sou amiga, uma amiga que você pode conhecer e aprender a amar. Adoraria, através da escrita, criar uma rede de amor e apoio onde todos são amigos e se respeitam, se amam, se apoiam, aprendem uns com os outros. Aqui ninguém vai ser DUFF de ninguém, nem tapa-buraco. No Clube DDP o importante é ser você. E eu espero que em 2019 você seja muito mais você!

Dec. 29, 2018, 4:07 p.m. 0 Report Embed 0
~
Read more Start page 1 2 3