O que as linhas não dizem Follow blog

sweet-mary Mary Cada alma é um universo ímpar a ser desbravado ao longo desta viagem que para uns é mais longa do que para outros. A questão do tempo é subjetiva porque entra no mérito a sensibilidade de compreender que em todo olhar reside uma boa história e a interpretação requer uma dose descomunal de maturidade. A poesia concreta se externa em outra quando deixa o anonimato e se eterniza num pedaço de papel. A minha poesia displicente é a minha melhor tentativa e julgo-a na esfera da insistência porque da perfeição já abri mão há tempos. Cada pensamento inscrito acende uma estrela para que outra pessoa, do outro lado do horizonte, possa enxergá-la. Assim é a minha poesia, minha alma tentando acender a sua. E assim sempre será!
Non Verified story

#descobertas #pensamentos #inspiração #mulher #sentimentos #caderno-de-poesias #desejos #dúvidas #escritora-mary
2
5202 VIEWS
AA Share

fim

Olá, amigos e amigas! Em primeiro lugar gostaria muito de agradecer a todos aqueles que leram esta obra. Refleti muito a respeito do andamento dela, mas concluí que cada ano é único e que a finalidade desse caderninho virtual intitulado O QUE AS LINHAS NÃO DIZEM já foi cumprida. 

2018 é um ano novo, tem outra energia, outro propósito e eu, como ser vivente que também sentirei o efeito de muitas mudanças, quero iniciar um novo ciclo no qual espero compartilhar poesias bonitas, textos edificantes e ao longo deste período aprender muitas coisas que me ajudem a ser uma pessoa melhor, mais empática, menos egoísta e uma escritora a quem as pessoas sintam vontade de ler. Nada melhor que um caderno novinho em folha para registrar meus escritos, não?

Foi realmente uma alegria muito grande ter publicado esta obra, estou satisfeita com a conclusão dela e quero deixá-la onde está, em 2017, para no novo caderninho recomeçar minhas descobertas e permitir que a inspiração dite a frequência das postagens porque pode acontecer de num determinado dia eu postar até cinco textos e passar semanas sem atualizar o caderninho, então não se preocupem.

Um beijo enorme aos que chegaram até aqui comigo, espero encontrá-los na minha nova obra onde vou postar minhas poesias, meus pensamentos, meus pitacos. Sabe, só tem um ponto que me desagrada e não é porque sou mimada e não sei lidar com "críticas", mas me magoa muito que quem lê aqui em vez de motivar, faz propaganda negativa da história em vez de salientar que diabos de "erros" são esses porque me parece que algumas moças leem só para procurar algo que desqualifique meu trabalho como se eu não merecesse meu espaço. Eu não sou uma analfabeta, sei escrever, agora se limitar a julgar o todo por conta de um errinho de digitação ou diagramação é mesquinharia, maldade, todavia uma amiga minha estava refletindo sobre isso nos stories do Instagram (ela lida com autoimagem e é atacada) e eu vim para cá porque nunca consegui viralizar no Wattpad, não fiquei popular lá, não emplaquei nada e pensei que aqui as pessoas me tratariam melhor, me apoiariam mais. 

Eu não estou aqui para "roubar" o espaço de ninguém. Tenho depressão, escrever é a única coisa que me mantém viva, então cada vez que vem uma guria e desmerece meu trabalho, mesmo sem saber, está me matando aos poucos também. Sei que editora nenhuma vai querer meus livros, mas pelo menos quero escrever, deixar minha imaginação me afagar em tempos tão difíceis. Não sou PHD em linguística, não tenho milhões de troféus, nem de fãs, no entanto nada disso me diminui. 

Sério, se sua "crítica" se basear APENAS em caçar erros no meu texto para impedir que o mesmo seja lido, caia fora!

Ademais, para aquelas pessoas com empatia que leem com a alma e não ficam de mimimi procurando desmerecer o outro, ficarei feliz em recebê-los porque, na boa, esses "erros" o Word conserta, nada que uma revisão bem feita não faça milagre PORQUE APRENDI NA FACULDADE QUE O QUE IMPORTA É SE FAZER ENTENDER, agora soberba, só a humildade dá jeito...

Muita, muita felicidade é o que desejo a vocês todos. Obrigada por pacientemente lerem meus textos, pela recepção educada e gentil e por viajarem nos meus pensamentos mais doidos, no meio dessas descobertas e desconstruções que ainda vão dar o que falar em 2018. Por enquanto é só, nos vemos numa próxima! 

Com muito amor,

Mary ♥

Oct. 26, 2018, 8:52 p.m. 0 Report Embed 0
~

tantos jeitos de gostar


Gostar de alguém é sempre muito bom.

Gostar de alguém que gosta de você, melhor ainda.

Gostar é sempre bom, revigora o estado de espírito e eleva a alma.

Gostar é sempre bom, não importa de quem.

Gostar de alguém é sempre uma aventura que o coração se dispõe a enfrentar mesmo sem saber o final da história porque a bem da verdade ninguém nunca sabe.

Você já teve o coração partido por gostar de alguém que não gostou de você do jeito que você esperava.

Alguém já gostou de você, mas desse alguém você não gostava.

Num desses rompantes de tristeza você bradou que nunca mais iria gostar de ninguém, mas as borboletas no estômago foram mais espertas e você que achou que não iria gostar de ninguém outra vez se colocou aos pés de um sentimento que quando chegou te transformou num sonho lindo e com cuidado fechou aquelas feridinhas teimosas que estavam abertas e te machucavam tanto.

Li por aí que o amor não é uma conta óbvia e binária. Não sei se o cupido mira flechas a torto e a direito querendo tirar onda com os corações porque eu não sei de tantas coisas, o mundo é um mistério para mim também.

Tem tantos jeitos de gostar e um deles é meio demonizado pelas pessoas porque elas sempre acham que sabem de tudo. Enfim, você gosta de alguém que ainda não sabe que você existe.

Eu não vejo nada demais nisso se o sentimento te faz bem.

Amar tem que fazer bem.

Tem a parte ruim de gostar de alguém que não sabe que você existe: quando você posta fotos nas suas redes sociais não é para os chatos virem ciscar no chat com frases feitas achando que são super originais na abordagem quando não passam de babacas.

De que adianta muitas curtidas se no fundo elas não significam nada quando você se desconecta?

Sabe por que elas não representam nada?

Porque elas não definem a sua beleza, a sua popularidade, nem as outras virtudes que fazem de você uma pessoa apaixonante.

Eu sei que você queria que aquela pessoa admirasse a sua beleza, reparasse no brilho do seu olhar, era com ela que você queria conversar por horas e horas e sabe por que eu sei disso?

Porque há no mundo uma pessoa com quem eu queria conversar por horas e horas olhando dentro dos olhos, alguém para quem guardo meus melhores versos, meus doces beijos e várias músicas que embora a sociedade ache cafonas, para mim são lindas e valorosas.

Eu entendo você porque sei como é gostar de alguém que mora longe e nem sabe que eu existo.

Às vezes eu olho para o horizonte e fico pensando em onde ela pode estar, quando me deito e faço minhas preces noturnas peço a Deus para cuidar dela por mim mesmo que ela nem sequer saiba disso porque eu odiaria que alguém se aproximasse de mim por "pena" e não exijo ser amada em troca. Sim, não posso ser hipócrita, eu adoraria ser amada tanto quanto amo, sabe, caminho livre, a preferida, o bem querer...

O que é a distância?

Dois corações que batem no mesmo compasso e que por um desencontro do acaso residem em solos distintos.

O que é o tempo?

Aquele amigo que me pediu para ter paciência da última vez que o meu mundo ruiu porque os mesmos ventos que me trouxeram tristeza num dia, me guiaram até onde meu coração precisava estar.

O que é o amor?

Ele é o infinito que não cabe numa linha.

Eu estou solteira, é verdade, mas o meu coração está ocupado por um sentimento que me arrebatou e me transformou, então mesmo que esteja sozinha, não me sinto sozinha, não sou coitadinha e me sinto bem estando só comigo mesma, com meus projetos, meus sonhos loucos, meus familiares, meus amigos que podem até serem poucos, mas me bastam.

Quero chamar esse sentimento de amor, tudo bem?

Porque é o meu amor e eu o chamarei como bem quiser, ouviu?

Estranho seria se eu fosse indiferente. Eu não seria eu se não amasse.

Em tudo o que faço existe uma porção bem grande desse amor, desse incentivo para ser uma pessoa melhor, alguém com quem eu gostaria de estar, alguém com quem ela gostaria de estar, alguém amável.

É para ela que eu quero exibir meu corpo, minha alma, minha beleza, recitar minha poesia. É com ela que eu quero compartilhar meu riso, meu pranto, meus projetos, minha vida.

Mesmo que hoje ela não faça a menor ideia de que seja a minha inspiração, não importa, prefiro um amor platônico puro a um monte de contatinhos sem sal, caras idiotas e suas frases feitas que apesar de me elogiaram precisam diminuir outras mulheres e padronizar um jeito de ser que não me representa e não me interessa porque se eu me arrumo, se eu fotografo, se eu escrevo, se eu vivo, é por mim.

Esse "oi linda" me soa tão 2007... Aff!

Meu corpo não está à venda, meu sorriso não é codinome secreto para nudez vazia, o fato de eu estar solteira não autoriza que alguém se apresente como meu "salvador" porque eu não preciso ser salva de mim, não estou bradando carência, reverberando desespero, sou apenas uma moça que postou uma foto numa rede social porque sentiu vontade de registrar um momento, isso serve?

O que há de melhor em mim está escondido dentro do meu coração, por trás dos meus piores defeitos, de todas as imperfeições e convenções. Meu eu não cabe por inteiro numa imagem. Só uma parte do meu eu é clicada, recortada, filtrada. Um décimo do meu eu é o que você vê e tira suas conclusões.

Uma fotografia pode acalentar uma alma saudosa e suscitar milhares de recordações que aproximam quem está separado e alivia a ausência de alguém que já partiu e também pode ser uma grande ilusão por causa dos milhares de filtros ou de uma suposta perfeição exposta na legenda que nem sempre condiz com a realidade pura e absoluta das coisas. E o meu sorriso em muitas dessas fotografias é ilusório. Aprendi a sorrir com a alma em pedaços no lugar de ficar chorando pelos cantos. Pronto, não é sinal de que quero transar ou que estou disponível para conversas sem foco.

Sabe, a linha do tempo é um espaço onde posso me expressar como bem quiser desde que não desrespeite a integridade dos outros, então quero ter o direito de postar uma foto sem que um idiota venha me abordar para falar tudo o que já sei sobre mim mesma.

Que coisa chata!

E mais: quero ser a pessoa mais linda do mundo para aquela que enxerga a beleza que há dentro de mim.

Agora você entendeu por que eu usava um avatar de uma doll em vez da minha foto? Por que eu evito me expor?

Não é porque me acho superior demais para aparecer, não sou arrogante nem nada, é que não gosto de pessoas muito invasivas e não está escrito em lugar nenhum que sou obrigada a dar moral para quem não valoriza o meu trabalho e vem querer se assanhar quando posto uma foto.

Por essas e por outras eu prefiro meu amor platônico, dure o tempo que durar.

Eu gosto de quem me faz bem e o resto não te interessa.

Oct. 26, 2018, 8:52 p.m. 0 Report Embed 0
~

nos escombros do imprevisto


Tudo começou com aquela inquietação invasiva que sorrateiramente varreu o otimismo do coração, não só ele como um pouco da paz também porque a princípio quis negar esse desconforto interior.

As cores perderam as nuances, estavam pálidas e dispersas. As palavras se embaralharam até se desconectarem e decidirem fazer o percurso de volta para o mundo delas, onde eu sem a inspiração não sei decodificá-las.

Não estou certa se farei uma descrição justa do que se passa, se é tristeza, desânimo, cansaço. Com sorrisos e risadas procuro afastar de mim essa angústia de outros tempos, essa impressão de que algo muito ruim vai acontecer.

Mas eu nunca posso contra o destino.

Nunca posso contra ele.

Quando menos espero, todos os meus planos vão por água abaixo e numa fração de segundos os castelos desmoronam por maior que seja o esforço empenhado a fim de evitar o inevitável.

Atônita eu olho para os escombros e me perco ali entre as lembranças todas destruídas junto com o meu coração que mal tinha se refeito de outro desses golpes vis do destino e já recebeu outro. E mais outro.

De volta estou presa dentro desse dèja-vu macabro, em profundo estado de negação porque aquele sorriso interessado é uma grande mentira, estou anestesiada demais até para um rompante de raiva.

Além da raiva ainda permanece a inquietação e eu me perco fazendo perguntas aos céus que não me escutam, pois eu quero entender as razões que me levam a ter que passar por mais um calvário injusto sobremaneira.

E então eu desabo. Coloco-me de joelhos diante do meu antigo mundo e as lágrimas se rendem porque se expressam com maus habilidade do que eu.

Como das outras vezes eu não tenho para onde correr e o desespero se materializa na raiva porque a revolta ferve no peito, ver o mal triunfar é algo que não me agrada, não faz o menor sentido para mim e jamais fará.

Rezo para não perder a fé porque o foco já se foi. Vivo para sobreviver.

Tão somente sobreviver.

Todos os desejos e planos ruíram. O mal venceu outra vez. A mentira prevaleceu sobre a verdade. E ninguém, ninguém está ao meu lado porque de novo eu sou o recheio desprezado do sanduíche, de novo eu sou aquela que é interrompida quando fala, de novo e de novo eu procuro um lugar seguro dentro do coração para guardar os meus sonhos porque preciso ter pelo menos uma compensação antes de pensar em desistir.

Cheguei em algum lugar, desistir me parece uma atitude tão imatura, tão inconsequente quanto pessoas covardes que embora se gabem da boa retórica e persuasão para mais uma vez enganarem boas almas, não passam de seres desprezíveis que se não for hoje ou amanhã, terão de passar pela colheita e sem alguém tirando os espinhos do caminho, espinhos que elas próprias jogaram porque envoltas na aura da soberba se julgaram invencíveis, maiores e mais poderosas que a própria justiça.

Maa eu não estou bem convicta se a justiça é justa. A balança pode pender para o lado do mal e este mundo ser de fato o lugar onde os maus prosperam e aqueles que procuram viver com retidão sofram mesmo que seja preferível ter pouco com honestidade a ser apenas aparência, viver de uma casca frágil como a de um ovo.

A justiça tinha de ser justa sem fazer distinção ou será da minha parte ilusão?

Perdi a conta de quantos espinhos estão machucando o meu coração neste momento, só eu sei o quanto é penoso olhar para as minhas asas machucadas e não saber se algum dia elas estarão prontas para voar.

Eu quero voar, quero isso com todas as forças, mas estou ferida, magoada e sem horizontes.

Pudera ser apenas aquele sonho ruim que acaba quando se desperta, mas o pesadelo que me atormenta eu vivo com os olhos bem abertos enquanto não posso voar porque um dia almejo voar alto e fazer meu ninho bem longe para enterrar todas essas lembranças ruins num lugar onde ninguém possa desenterrá-las, queria voar alto e perder de vista o contato para ser quem sabe um pássaro feliz com suas asas excêntricas, a protagonista da própria história e não apenas o recheio desprezado numa família que aprecia em demasia uma fatia do sanduíche em detrimento de todos os outros ingredientes.

Esse amor que eu não encontro aqui eu espero ter lá fora, quando com muito custo fizer o meu ninho, um ninho construído com amor e responsabilidade onde ninguém vai tolher meu verso, meu voo, meu respirar.

Por enquanto não me peça para sorrir porque apesar de o pior já ter acontecido, de o cinza ainda ser uma cor em evidência, estou perdida nos escombros do imprevisto.

Nota da autora: Este mês de dezembro pelo qual tanto aguardei não me trouxe bons augúrios. Por enquanto não sinto forças para escrever, para nada, mas espero que deste sonho ruim eu desperte logo. Que Deus me dê força, sabedoria e paciência para suportar o que está acontecendo sem enlouquecer enquanto minhas asas quebradas se recuperam porque um dia, um dia, um dia eu vou voar, eu sei que um dia eu vou ser muito feliz e tudo isso que me sufoca e me faz chorar será só uma lembrança distante...

Oct. 26, 2018, 8:52 p.m. 0 Report Embed 0
~

toda luz que emana da sua alma


Não adianta nada fazer de conta que esse coração desenhado não tem nome. Agir assim dá no mesmo que te trair. Em suma é como se eu estivesse negando todo o bem que você me faz e ainda estivesse relutando para aceitar aquilo que não posso negar nem se fechasse os olhos mil vezes para me esquecer.

Porque não posso, não sei e não devo. E me enganaria se continuasse forjando indiferença. Para aqueles que não merecem saber, tudo bem, eu faço disso o meu segredo porque não quero que meus sentimentos mais puros sirvam de piada para almas desprovidas de sensibilidade.

O motivo não é nenhum mistério, percebe?

O bater das asas dessa borboleta foi sutil numa percepção mais realista das coisas, mas algo importante que você deve saber sobre mim é que eu vou fundo até demais.

Causou surpresa me ver diante de um fim de ciclo anunciado (e que só eu não aceitava) e no meio desse caos semelhante a um quarto bagunçado te encontrar.

Mais que te encontrar, me reencontrar.

Repetitivo seria acusar o clichê e fazer do medo outro pleonasmo do verso. Tem fundamento se analisar friamente.

Ô se tem!

Tem porque não adianta nada eu dizer por aí que não acredito no amor porque estaria negando a Deus que para mim é a tradução mais exata e infalível do amor; depois omitir os sentimentos que me fizeram crescer seria uma tolice.

Pode parecer uma frase boba, mas é pura de intenção: você foi o raio de sol que acendeu o meu coração. Descobrir que te quero bem foi o equivalente ao instante que precede o alvorecer e preenche o coração de esperança, essa foi você na minha vida, te conheci sem esperar e quando dei por mim, os olhos úmidos reconheceram que não podia ser outra coisa senão amor.

O coração disparou e não foi de medo. Senti como se uma borboletinha verde clara abrisse e fechasse as asinhas ao notar que rompeu o casulo e sobreviveu. As joaninhas voltaram a me visitar em bandos, bailando enquanto percorriam o sino dos ventos.
E esse seu olhar compassivo, esse seu sorriso tão acolhedor, essa sua empatia, quem pode definir a beleza de um bom coração?

Talvez o meu que traduz o ritmo dessas batidas sem cerimônias. Eu me entendo com ele, de fato eu nunca deixei de acreditar no amor, só precisava mesmo me dar um tempo e eu continuo me dando esse tempo porque ainda preciso dele como as flores necessitam do sol.

Gratidão. Essa menina linda serenou minhas vaidades e inquietações. Tão egoísta e ingrata ainda sou, faz parte de ser humana, a imperfeição.

Aprendi com você que o topo é um lugar solitário e que gostoso mesmo é apreciar a caminhada com quem se ama, se amar em primeiro lugar para não desperdiçar a vida sem propósito, aprender a desfrutar cada dia e fazer o melhor que se pode, agraciar essas pequenas dádivas que nossos olhos podem aproveitar, crescer sem perder a humildade, falar para aliviar e ouvir com o coração, espalhar compaixão e respeito, mesmo que estejamos na contramão dos filtros e dessa idealização do que é felicidade e sucesso.

Mesmo que eu quisesse ser quem eu era antes de você, simplesmente não dá mais!

Aqueles corações tímidos que desenho na agenda não têm nome porque a agenda tem chances de cair em mãos erradas. Seu nome já está gravado por entre os traços, no sorriso que desponta quando você vem. Seu nome é lindo, escreveria por todos os cantos com caneta permanente, talharia no tronco de uma árvore, faria um acróstico particular.

O que eu não daria para te fazer a pessoa mais feliz do mundo?

Eu vou tentar.

Eu vou ser quem eu realmente sou, lutar para conquistar o meu lugar como jamais tive forças antes. Vou ser luz, doçura, paz, fazer das palavras uma ponte sustentada pela força do bem e atrás do conhecimento irei correr.

E se ainda assim eu mantiver a discrição diante dos burburinhos, não se acanhe nem duvide. Águas paradas são realmente profundas. Quero espalhar amor, mas um bocadinho guardo especialmente para você porque queria curar as feridas em seu coração e de alguma forma retribuir todo o bem que você me faz, queria te arrancar risadas e te abraçar com todas as minhas forças, olhar dentro dos seus olhos e perder o fôlego de tão fundo que fui porque amor assim eu nunca senti, nunca antes eu senti essa vontade tão grande de também me amar.

Confio muito em Deus e é por isso que entendo que meu passado não deve influenciar o presente e nem estragar o futuro. Ele deixa claro no nome que não volta, a própria conjugação do verbo é bem consistente. Várias coisas que aconteceram me mudaram para sempre e eu varei muitas noites em claro tentando remontar peças de quebra-cabeças incompletos, sem saber o que fazer com os pedaços quebrados do meu coração.

Aposto que você também já deve ter passado por várias experiências ruins que levaram embora sua inocência e te admiro porque mesmo assim você segue sendo doce, não ficou amarga e odiosa. Sua companhia é tão boa que quem se vê no papel de agradecer sou eu.

Por tudo.

Até pela emoção que me toca em ser eu pela primeira vez. Ser eu é muito bom. Eu não achava isso antes. Queria sempre competir com as outras, fazer tudo do mesmo jeito que elas e comparar o meu tempo com o delas. Eu fui eu sem sê-lo e agora que estou me permitindo a graça dessas descobertas já não me importo mais se me julgarem por detalhes tão irrelevantes, assumir o posto da minha vida tem lá o seu preço.

Sinto muito por não saber abraçar com palavras. Nunca fui amada antes, não sei como é; só sei que o que sinto é difícil de explicar. Como começou, por que, quando exatamente.
Mas não me interessa delimitar datas muito exatas para nada. A revolução ainda transcorre. Todo dia, para ser mais exata. É um processo longo e árduo. Deus me coloca no colo quando sinto muito medo.

Talvez eu devesse sentir medo de amar você. E às vezes eu sinto. Você parece que veio de um sonho e desembarcou na minha vida logo quando eu tinha desencanado de vez.

Para os outros eu continuo desencanada. Para muitos eu faço questão de continuar sendo, você vai entender o porquê quando os olhos úmidos falarem mais alto que as palavras e os medos que me amarraram.

Sinto muito por tantas coisas...

Sinto muito de verdade pelas lágrimas que você derrama quando ninguém vê (e eu não posso enxugar), pela dor que você sente ali caladinha no peito e não deixa ninguém perceber, pelas pessoas queridas que partiram e te deixaram em frangalhos, por aquelas que não souberam te enxergar, pelos sonhos que porventura você deixou de lado para viver a realidade e não podendo ser um anjo para te proteger de todo o mal, para te fazer esquecer as coisas ruins que você já viu, peço toda noite para que Deus cuide de você com mais esmero do que já o faz, para que Ele cuide como eu gostaria, porque eu ainda não posso.

Se no dom da vida você cruzar com o meu sorriso por aí e a ele retribuir, estará diante de um espelho que refletirá toda luz que emana da sua alma.

Mary ♥

13 de novembro de 2017.

Oct. 26, 2018, 8:52 p.m. 0 Report Embed 0
~
Read more Start page 1 2 3 4 5 6 7 8 9 10 11 12 13 14 15