plluxe thay .

Inícios são difíceis, mas finais...são bem mais complicados. Essa história conta sobre ambos, inícios e finais, e como há sempre um porque para eles assim como sua importância de existência. Não seríamos nada sem nosso passado, mas também não seríamos nada sem nosso presente e consequentemente não haveria sequer um futuro. Mas em meio a tudo isso há um verbo especial, há amor. "Você é minha âncora em meio a tempestade, meu ponto de luz diante de tanta escuridão"


LGBT+ Nur für über 18-Jährige.

#laurenjauregui #camilacabello #lgbt #lesbian #camren #fifth-harmony #lauren-jauregui #camila-cabello
0
2.3k ABRUFE
Abgeschlossen
Lesezeit
AA Teilen

Capítulo Único

Me atirei contra o sofá exausta, desejando apenas um bom banho quente e uma xícara de chá de hortelã assim que saísse do mesmo, o dia de hoje havia sido muito cansativo, mal havíamos encerrado a 7/27 tour e já estávamos a nos preparar para o nosso próximo desafio. Nosso terceiro disco chegaria as bancas em menos de dois meses juntamente da nova turnê, as preparações estavam a todo vapor e com isto mal havia tempo para respirarmos, não que eu estivesse reclamando, era sempre maravilhoso estar junto de minhas meninas mas é sempre bom ter algumas horas de descanso também
—Mas que caralhos -Gritei irritada ao ouvir meu celular tocar
Estiquei meu braço ao máximo para conseguir capturar o pequeno, ou não tão pequeno assim, aparelho que descansava na mesinha ao lado do grande sofá ao qual eu estava
—Alô -Atendo sem fazer o mínimo esforço para esconder minha insatisfação com a situação
Afinal horas de descanso são horas de descanso
—Está irritada? O que houve? -A voz doce diz preocupada ao telefone, me fazendo estremecer
Era ela
—Não, apenas um pouco cansada, me desculpe por ter sido grossa -Respondo escutando uma risada do outro lado da linha
—Sempre sendo extremamente educada quando se trata de mim -Ela comenta em tom de brincandeira
O pior é que o que dissera era verdade,eu realmente não conseguia trata-la de forma rude assim como fazia com outros uma vez ou outra
—Okay Camz, é verdade -Confesso e logo após solto uma risada
—Nossa...fazia tanto tempo que não te ouvia rir assim -Ela comenta
—É o cansaço meu doce, aliás você deveria estar dormindo, não? -Respondo
—Você também mamãe -Ela diz de forma brincalhona, sua melhor forma aliás
—É verdade, você me pegou -Digo a fazendo rir de uma forma contagiante
—Está muito cansada? -Ela me pergunta
—Ser atropelada por uma manada de elefantes me cansaria menos -Respondo
—Eu amo suas respostas -Ela comenta de uma forma fofa e um tanto abobada
—E eu amo você -Penso, mas não digo
Respiro fundo, pensando em algo plausível para dizer a latina
—O telefone ficou mudo foi? -Ela pergunta rindo de sua própria frase, havia sido mais rápida que eu
—Estava pensando em ir tomar um sorvete -Digo fingindo desinteresse
—EU QUERO -Ela grita animada do outro lado da linha
Abafo minha risada para que ela não a ouvisse, sempre funcionava
—Daqui a meia hora? -Pergunto encarando o relógio que estava na parede a minha frente
—Pode ser -Ela concorda
Ficamos em silêncio alguns segundos, não porque não havia mais nada para conversarmos e sim porque o que realmente queríamos dizer não tínhamos coragem. Sim, eu saiba, ela tentava disfarçar para todos e esconder de mim as sete chaves, mas eu sabia, porque? Porque eu também escondia dela, mas possuía quase certeza de que meu segredo já havia sido desvendado a tempos pela morena, o que faltava então? Essa era uma boa pergunta, algo rondava em torno de nós, mas nunca conseguiamos dizer uma outra as palavras necessárias
—Lauren -Ela me chama, trazendo-me de volta para a realidade
—Sim Camila -Respondo
—Mudei de ideia, estou muito cansada para sair -Ela diz com uma voz chorosa
Era uma criança manhosa quando queria que atendesse algum de seus pedidos silenciosos
—Acho que entendi bem...-Digo em tom de mistério, ambas rimos
—Então, você vem aqui que horas? -Ela me pergunta
—E quem te garante que eu vou? -Retruco
—Eu garanto! -Ela diz brava
—Porque se você não vir eu vou chorar e ouvir músicas tristes que vão me fazer chorar mais ainda -Ela diz e eu acabo rindo
—Não é uma piada Laur, é algo sério -Ela diz tentando se fazer de durona
—Só porque insiste, eu não vou -Respondo e ouço ela protestar
—Eu vou chorar -Ela diz com voz de choro
—Não Camz, nem pense nisso -Digo um tanto quanto desesperada, odiava ver ela chorar
—Eu só estou brincando -Completo
—Eu sei -Ela responde
—Gostou do meu teatrinho? -Pergunta logo em seguida
—Karla Camila Cabello Estrabão, eu vou te matar -Digo rangendo os dentes e ouvindo ela rir de mim
—Então venha Lauren Michelle Jauregui Morgado -São suas últimas palavras antes de desligar o telefone na minha cara
Pisquei algumas vezes enquanto encarava o nada, ainda sem acreditar que havia caído no joguinho dela
—Como você é boba Lauren -Digo para mim mesma enquanto balançava a cabeça negativamente e sentia um sorriso se formar em meus lábios
Permaneço mais alguns minutos atirada no sofá, jogando um jogo de raciocínio lógico em meu celular até que decido começar a me arrumar para encontrar Camila. Tomo um banho rápido e procuro em meio a grande bagunça de minha mala a roupa mais bonita que havia ali, calço meus saltos altos preferidos e vou em busca das chaves do meu carro que estavam em algum lugar daquele sofá. Depois de alguns minutos procurando e xingando aquelas malditas finalmente encontro as pequeninas razões do meu irritamento e caminho a passos largos girando as chaves entre os dedos e saindo do quarto, em menos de dois minutos já estava eu na caixa metálica que descia rumo a garagem do prédio, assim que as portas do elevador são abertas aciono o botão responsável por destravar as portas e sigo rumo a minha range rover preta entrando e dando partida, manobro para sair da garagem ao mesmo tempo que ligo o rádio e ouço o som animado invadir meu carro. Lá estava eu cantando o refrão de That's My Girl, em uma das rádios mais famosas do país, o sorriso orgulho é inevitável e apenas balanço a cabeça abobada quanto direcionava toda a minha atenção a rua um tanto movimentada, dirijo por cerca de cincos minutos, tempo suficiente para levar minha mente a uma espécie de retrospectiva de minha vida nos últimos anos. Era tão louca a forma como da noite para o dia meu sonho de ser cantora havia se tornado realidade, junto ao de outras quatro meninas maravilhosas e muito talentosas, era algo mágico e estava muito grata pela oportunidade de viver tudo aquilo e ser tão amada por nossos fãs, mesmo que os últimos meses tenham saído um pouco dos eixos...eu me sentia extremamente confiante com minha capacidade vocal e sabia que um dia ainda faria uso de todas as músicas compostas no banheiro.
—Dois litros de passas ao rum por favor -Digo a atendente que apenas assente e caminha em direção ao freezer
Assisto a mulher levar sua mão ao queixo enquanto com a outra parecia procurar o meu pedido, quando a mesma sorri de leve e puxa algo de lá, retornando para o balcão de atendimento e colocando a caixinha térmica em uma sacola para em seguida me informar o preço, capturo meu celular que se encontrava no bolso interno de minha jaqueta e retiro a case para pegar alguns trocados que viviam perdidos ali. Péssimo habito, eu sei, mas não consigo evitar. Agradeço a mulher e saio da sorveteira um tanto apressada, assim que fecho a porta do carro e deposito a sacola no banco do passageiro retiro os óculos escuros e desfaço o coque do meu cabelo, não era o melhor disfarce do mundo mas eu apenas queria comprar esse doce o mais rápido possível, giro a chave assistindo o painel se acender e dou partida rumo ao prédio já tão conhecido por mim. Assim que retorno a garagem e estaciono meu bebê de volta a sua vaga capturo a sacola da sorveteria novamente e deixo meu carro voltado ao elevador e apertando o botão que me levaria um andar a cima do meu, cruzo meus braços após checar o relógio em meu pulso e constatar que Camila já deveria estar a minha espera, eu poderia ter chegado mais rápido, quase que imediatamente, mas assim não teríamos sorvete e eu sabia bem o quanto essa droga açucarada fazia bem a Camila.
—Maldito seja quem não nos colocou no mesmo andar -Praguejei para o nada enquanto meus pensamentos vagavam por todas as desculpas que eu poderia dar para visita-la sem aviso prévio
Eu poderia dizer que a água do meu banheiro estava muito fria, que a luz do quarto havia queimado, o ar condicionado parado do nada... Mas nenhuma dessas desculpas surgiria efeito quando Normani estava bem ali no mesmo andar que eu, seria como correr para pedir socorro a polícia mas ignorar a viatura que passava bem ao seu lado.
Suspiro impaciente ao perceber que as portas finalmente iriam se abrir e dou um passo para frente na ideia de sair dali o mais rápido possível, eu não gostaria que o sorvete derretesse, ou que Camila se sentisse entediada por esperar demais. Paro em frente a porta branca com o número 22 desenhado cuidadosamente em tinta dourada
—Dois patinhos na lagoa -Digo a mim mesma rindo
—Lagoa? -A voz me assusta ao mesmo tempo em que a porta é aberta
—Oh, desculpa por lhe assustar Lolo -Ela diz levando a mão ao peito
Gesto que não fazia sentido algum, já que a assustada em quesito era eu r não ela
—Tudo bem -Digo esticando meus lábios em um sorriso brincalhão
Camila faz sinal para que eu entrasse e assim eu faço, lhe entregando a sacola que carregava e assistindo a garota dar pequenos pulinhos ao checar o conteúdo enquanto eu me livrava do meu casaco e o colocava no cabideiro ao lado da porta
—Não acredito que você trouxe -Ela comenta desviando os olhos do sorvete para mim
—E porque não traria? -Pergunto recebendo um abraço caloroso como resposta
Envolvo sua cintura com meus braços enquanto seu cabelo castanho tocava levemente em meu rosto e me permitia sentir seu maravilhoso perfume
—Vamos -Ela diz se soltando de mim e pegando minha mão, me puxando em direção a pequena cozinha
Assisto Karla abrir uma gaveta e capturar duas colheres
—Vamos comer no pote, é mais gostoso -Sugiro e ela assente se virando para mim
—Cozinha ou sala? -Me pergunta
—Onde você preferir -Respondo e ela assente tocando sua mão na minha
Permito que ela me arraste pelo corredor, com meu coração acelerado ao perceber qual seria seu destino, o quarto. Camila Cabello estava me levando para comer sorvete consigo em seu quarto, porra.
—Entre -Sua voz doce simbala enquanto a mesma abre a porta para mim
Adentro o local enquanto ela já se encontrava sentada ao centro de sua cama, com suas pernas cruzadas e o pote de sorvete a sua frente enquanto olhava para o controle remoto distraída, parecia procurar algo interessante na televisão, mal sabia ela que de fosse para mim seria perda de tempo, Camila era bonita demais para eu perder meu tempo com algum programa
—O que prefere? -Pergunto para mim enquanto arqueava as sombrancelhas ao perceber que eu ainda me encontrava parada no meio do seu quarto
Ela deu dois tapinhas na cama, indicando que era para eu me sentar ali ao seu lado e assim eu o fiz. Para em seguida capturar uma das colheres e abrir o pote de sorvete, a esta altura a garota já havia encontrado um filme qualquer na TV e largado o controle remoto de lado. Lhe ofereci sua colher, que foi aceita rapidamente e logo começamos a degustar do saboroso sorvete enquanto assistíamos aquele filme desconhecido que parecia já estar na metade, eu não estava nem um pouco entretida nele mas Camila parecia curiosa para entender a história
—Está ansiosa para novo novo disco? -Ela me pergunta do nada
—Estou -Respondo
—E você? - Devolvo a pergunta
—Bem -Ela me responde
Que raios seria bem? Bem ansiosa? Ou Camila confundiu a pergunta e respondeu algo sobre si? Franzi meu cenho tentando entender o que seria aquilo
—Algum problema? -Sou despertada pela voz doce de Camila
—Nenhum - Digo ainda confusa
Balanço minha cabeça na tentativa de deixar aqueles pensamentos para depois enquanto voltava a me concentrar no sorvete, e em Camila. Foram longos minutos em silêncio, até que a latina riu de alguma piada da TV
—Melhor agora? -Pergunto a vendo me olhar confusa
Não acrescento nada, apenas continuo a mergulhar em seus olhos castanhos como chocolate, ela apenas assente e retorna sua atenção ao televisor, e novamente o silêncio invade o quarto
—Creio que deveria ter comprado mais -Comento ao notar o pote vazio a nossa frente
—Não se preocupe com isso, você está aqui e já é mais do que o suficiente -Ela me responde
Respiro fundo ainda tentando assimilar suas últimas palavras e lhe devolver algo na mesma altura, mas falho miseravelmente assim que o lindo sorriso se abre em seus lábios, tirando qualquer rastro de atenção que ainda existia em mim. Olho para os lados na tentativa de disfarçar o meu nível de atordoação, e é quando meus olhos caem sobre aqueles papéis
—O que são? -Pergunto apontando para a pilha desajeitada em sua mesinha
—Nada demais -Sua boca disse, mas seus olhos respondiam outra coisa
Me levanto do colchão e caminho em direção a pequena mesa, observando a pilha com maior precisão e percebendo que aquela era a letra de Camila, em todos os papéis, cada um deles
—São suas? -Pergunto erguendo uma das folhas
—Não são boas -Ela responde
Já havia percebido que eu entendi, aquelas eram composições suas
—Posso ler? -Pergunto e ela apenas assente
—Músicas não devem ser lidas...mas pode -Ela completa
Caminho para o lado oposto do quarto, capturando seu violão que descansava sobre a poltrona caramelo e volto para perto dela lhe entregando a canção e o violão. Ela nega com a cabeça mas após minha melhor cara de manha acaba por aceitar ambos. Me sento novamente ao seu lado, observando ela ajustar o instrumento e sorrir para o papel
—É minha favorita -Ela diz mais para si do que para mim
—Certo, apenas não ria -Ela me pede enquanto me olhava cautelosa
—Porque riria? -Pergunto sem obter nenhuma resposta
A morena apenas começa a dedilhar o violão, para então fechar seus olhos

"Stay back, stay long, and you move on

I stress, come close, move on, please don't

Hello, how are you? How you've been?
Lately I wonder how it feels to steal your kiss
Nothing much, just fine I'm doing well
And you can't read between the lines, but God, I fell

I only told the moon, tonight up on the roof

I told her that I'm scared that all my thoughts they look like you

I only told the moon, about the way you move

I asked her to please tell me if you tell things to her too(...)"

-Camz... -As palavras se engasgam em minha garganta, me impossibilitando de dizer algo coerente
Camila apenas sorri envergonhada ao perceber minha surpresa com a música
—Gostou? -Me pergunta

Seu receio era quase palpável, ela sabia que eu havia entendido tudo, cada uma daquelas palavras

Separou meus lábios mas nenhuma voz ecoava, então resolvi fazer uma loucura, a coisa mais loida que já havia feito durante todos esses anos. Levanto minha mão trêmula acariciando sua bochecha e olhando firme em seus olhos, eram os mais bonitos na face da terra, os mais expressivos que já vida em toda a minha vida. Observei sua alma, senti sua respiração bater contra a minha e seus lábios carnudos tocarem os meus. Fechei meus olhos apenas para abril os em seguida em uma tentativa desesperada de saber se aquilo tudo era realmente real, e era

—Lauren -Ela diz baixinho contra minha boca
—O que foi? -Pergunto com medo da resposta

—Pensei que nunca tomaria coragem -Suas palavras me fazem emitir um riso baixo

Afinal de contas, porque esperamos tanto tempo? Não era como se estivéssemos descobrindo esse setimento agora, muito pelo contrário

—Eu te amo -Digo assim de repente

—Não quero mais perder nenhum segundo -Completo como se fosse a justificação

Ela nada diz, apenas une nossos lábios movente, em um beijo quente e íntimo, era como se já conhecêssemos uma a outra, e de certa forma, conhecíamos. Gentilmente empurro seu corpo contra o colchão assistindo a latina arfar ao perceber minhas intensões

—Eu te amo -Ela diz assim do nada, me deixando atordoada

Era como se o mundo estivesse parado, mas meu corpo continuasse girando. Foco novamente minha atenção em seu corpo, tentando acalmar a confusão que pulsava dentro de mim, e assim que o faço percebo que Camila estava desabotoando seu vestido, dessa vez fui eu a arfar. Observei atentamente cada mísero pedacinho de sua pele bronzeada enquanto suas mãos terminavam de se livrar de seu vestido e me puxavam novamente para si. Mordi seu lábio inferior de leve, a ouvindo gemer próximo ao meu ouvido enquanto suas mãos tateavam minha blusa, não demora muito para que eu sinta o tecido subir por meu corpo ate ser atirado contra o chão. Camila me encara com desejo e isso acaba com qualquer resquício de sanidade que existia em mim. Era tarde demais para voltar atrás.

Deslizo minhas mãos por cima de seu sutiã rendado simples, o fino tecido falha na tentativa de esconder o mamilo rijo da latina de mim, sorrio percebendo que ela não era a única que se encontrava assim
—Camila -Digo baixinho mas ela me impede de continuar com seu indicador sobre meus lábios

—Eu quero tudo Lauren -Seus olhos brilhavam ao dizer as simples palavras que ali acabaram por assumir sentidos nunca antes imaginados

Cabello se senta em sua cama, de frente para mim, me dando a chance de assistir suas mãos abrirem o feixe de seu sutiã e o mesmo escorrer pelo seu corpo, deixando seu lindos e pequenos seios a mostra, ou talvez o caminho da felicidade...daria na mesma...Não exito em me livrar de minha peça também, aproveitando o momento para me levantar e puxar meu short jeans para baixo, a morena faz o mesmo, me dando a oportunidade de assistir aquela sua bunda gostosa em uma calcinha branca rendada

—Eu não serei delicada -Aviso ao perceber se seria impossível me controlar quando começasse
—Eu não pedi para que fosse -Ela rebate fazendo meu peito se inflar com a ideia

Parecia surreal, mas estava acontecendo e se alguem me dissesse que o mundo iria acabar amanhã eu não dúvida mais, não depois de algo como isso.

Deixei que Camila me empurrasse para a cama e gemi alto ao sentir sua boca quente contra meus seios, eu não esperava por essa, afaguei seu cabelo desnorteada enquanto a cubana chupava meus seios com avidez, fazendo todo meu corpo se arrepiar e minhas pernas bambearem, meu corpo inteiro pulsava como nunca antes, eu sentia que chegaria ao ápice antes mesmo de estar nua por completo. Assim que a perdição em forma de garota tomou um segundo para respirar inverto as posições, sentando em seu quadril e saboreando a razão dos meus sonhos mais eróticos, os seios de Camila Cabello eram as coisas mais gostosas e macias do mundo todo, agora eu tinha certeza completa disso. Senti sua respiração acelerar enquanto lambia seu pequeno mamilo e a morena gemeu baixinho se esfregando contra minha intimidade, era bom saber que eu não era a única ali completamente entregue ao desejo, de uma forma tão forte que chagava a ser ridícula

—Lauren -A menor geme baixinho contra meu cabelo, acabando com qualquer dignidade que ainda restava dentro de mim
Eu havia acabado de gozar, apenas com os primeiros toques e gemidos de Camila Cabello, céus!
—Eu estou tão molhada -A latina diz baixinho contra meu ouvido, ela era minha completa perdição
—Eu estou pior Camila, acredite -Digo no mesmo tom e logo em seguida rio baixinho ao pensar nos efeitos que a garota causava em mim
Me levantei de cima da morena e engatinhei para baixo, ficando cara a cara com o tecido rendado, ele merecia ser retirado com a boca, e foi exatamente assim que o fiz, enquanto ouvia a dona daquele corpo maravilhoso gemer baixo e tremer aos meus toques.Atirei a pequena peça para algum lugar incerto e senti meu coração falhar uma batida quando meus olhos voltaram a se focalizar em Camila, eu havia visto o paraíso, ela era tão linda, porra. Como alguém poderia ter sido tão malditamente esculpido pelos deuses? Céus! Ela era minha completa perdição, eu não havia mais nenhuma dúvida disso
—Algum problema? -Seu sorriso travesso parecia me provocar, mas sua voz denunciava sua insegurança
Ela estava com medo de que eu não tivesse gostado de seu corpo? Essa garota só podia estar louca
—Você é tão gostosa que me deixou sem ar, Karla Camila -Digo ainda tentando normalizar minha respiração
Com muito custo desvio meu olhar daquele vale abençoado e encaro seus olhos chocolate que brilhavam de pura luxúria
—Acho que agora é minha vez de perder a sanidade -A cubana comenta enquanto me puxava levemente contra seu corpo, se desviando e fazendo com que eu caísse contra o colchão de barriga para baixo, sinto a cama ficar mais leve, denunciando que ela havia se levantado. Mas nem preciso me dar ao trabalho de erguer meus olhos para procura-la, logo ali estava ela, entrelaçando seus dedos em minha calcinha e puxando o tecido devagar, fazendo questão de arranhar toda a extensão do meu corpo com sua unhas de felina. Felina essa que parecia muito faminta. Assim que o tecido é completamente retirado de meu corpo sinto um estralo seguido de uma certa ardência em meu bumbum, e foi assim que descobri que talvez Camila não fosse tão passiva como eu imaginava
—Brincaremos de igual para igual, tigresa -Suas palavras assopram contra meu ouvido, fazendo um gemido ridículo escapar pela minha garganta
—Não poderia me fazer uma oferta melhor, leoa -Digo seguindo seu tom

"Am I out of my head?

Am I out of my mind?

If you only knew the bad things I like

Don't think that I can explain it

What can I say? It's complicated(...)"

Meu corpo se arrepia ao sentir sua respiração contra meu pescoço, eu me encontrava em un estado tão torpe que não conseguia nem ao menos raciocinar de forma coesa, e essa situação só piora quando sinto seus dedos escorregando por minha bunda, indo em direção a meu sexo pulsante e tocando minha intimidade. A caça havia virado caçador
—Lauren -Ela arfa ao sentir minha umidade
—Você me deixa assim latina desgraçada -Digo com o resto de forças que me restavam
Camila ri alto e minha vontade era de inverter as posições e dar-lhe uma lição, mas meu corpo simplesmente não respondia, eu estava tremendo de pura tesão. Seus dedos exploram-me sem qualquer pudor e posso ouvir ela gemendo baixinho enquanto se divertia, assim que seus dedos se posicionaram em minha entrada eu vi constelações, ela adentrou com três de uma única vez, não que ei estivesse reclamando, claro. Gemi longamente enquanto ela explorava meu interior e se molhava com meu prazer, meus seios rijos raspavam no lençol da cama me causando um prazer enorme, ao ponto de que eu poderia ficar o restante minha vida ali, dando para Camila Cabello.
Assim que meu ápice foi atingido em cheio a mulher saiu de dentro de mim, fazendo todo o meu corpo sucumbir e cair na cama, meu lábios vaginais abertos gozaram mais uma vez ao atritarem com o mesmo lençol que havia provocado meus seios
—Você está tão vermelhinha -Ela comenta saboreando cada uma das palavras, mas logo não eram apenas palavras que Camila saboreava
Sua língua dançava por minha intimidade, chupando todo o meu prazer enquanto eu me encontrava completamente jogada na cama dela sem conseguir reagir, apenas gemer cada vez mais alto

—Eu estou pingando -Ela diz em meio a um gemido

A essa altura meu corpo já recuperava sua força, e minha vontade de retribuir o favor era cada vez maior. Nos virei na cama, fazendo uma Camila sair de pernas completamente abertas para mim, seu prazer escorrendo de seu centro, sua pele macia me chamando

—Lauren -Ela chama meu nome e assim que levanto minha cabeça para encara-la me deparo com um par de bochechas vermelhas

—Ohh, está com vergonha? -Pergunto e ela cobre seu rosto, assentindo sentindo fofamente
Eu nunca me cansaria de descobrir essa garota

—Não sinta, você é tão maravilhosa, uma deusa -Digo tocando sua intimidade de leve

Apenas isso, apenas este simples toque, e Karla veio para mim gemendo meu nome. Meus olhos se turvaram e eu me praguejei mentalmente por estar emocionada justo agora, mas era inevitável, eu havia fantasiado tantas vezes este momento acreditando que ele nunca iria acontecer...e agora ela estava aqui, com sua boceta latina completamente aberta para mim, seu prazer escorrendo por entre meus dedos e sua boca praticamente gritando meu nome, nem nos meus melhores sonhos poderia imaginar tamanha perfeição.

Cai cansada ao seu lado na cama, percebendo que a mexicana não havia sido a única ali ao atingir o ponto máximo do prazer

—Você é linda Camila Cabello -Digo tocando sua bochecha com o dorso de minha mão

Seus olhos se fecham, apreciando a carícia

—Por fora... -Divago com a mão livre percorrendo a lateral de seu corpo delicadanente

—E por...dentro -Digo ao pé de seu ouvido, deixando bem claro o duplo sentido enquanto toco levemente seu coração para logo em seguida deslizar aquela mesma mão em direção a sua fenda

Ela geme com sua respiração voltando a falhar. Mas quando menos se espera o inevitável pode acontecer, e foi assim que o feitiço se virou, e quando menos esperei ali estava eu naquela cama com sua boca pressionando a minha e seus seios roçando nos meus, minha intimidade pulsava em puro prazer, não era preciso mais nada, eu já me encontrava no completo paraíso, mas queria mais, estava sedenta e sabia que não ficaria satisfeita enquanto não sentisse meu corpo pedir por socorro, eu havia esperado tempo demais. Seus dedos passearam por minhas dobras me despertando de minhas divagações com um longo gemido, seus olhos agora escuros e desejosos encontraram os meus e me fizeram me perguntar onde estaria aquela garotinha que a alguns minutos atrás estava tímida. Camila ela repleta de facetas, e isso me encantava

"Pull up, pull up, pull up straight from Tokyo

You cannot believe it when we come through

Woo, my God, you look good today

Woo, my God, you look good today

Back up, back it up, back up, do it slow-mo

When she drop, it bounce back like a yo-yo

Woo, my God, you look good today

You look good today, yeah

Oh my God(...)"

—Goze para mim Lauren Michelle -Sua voz timbrou pelo quarto enquanto seus dedos adentraram meu interior com rispidez

Senti me contrair com as investidas rápidas e fortes, mas a situação só piorou quando a latina resolveu acrescente um terceiro dedo em mim, meu prazer escorria por minhas pernas e melava seus dedos, sua mão livre hora apertava meus seios em uma espécie de tortura ao meus mamilos e hora acariciava minha barriga com carinho, o que me causava grandes arrepios. Eu gritava mentalmente comigo mesma por uma reação, precisava retribuir, precisava toca-la, mas meu corpo parecia não obedecer mais aos meus comandos. Com muito esforço desviei meus olhos do seu, quebrando uma misera fagulha daquele encantador feitiço, e deslizei minha mão por suas costas até sentir sua bunda macia contra meus dedos, reuni todas as minhas forças para desferir-lhe um tapa na daquele traseiro gostoso ouvindo Karla soltar um gritinhos em surpresa para em seguida sorrir para mim safada

—Já estava me perguntando se teria que fazer o trabalho sozinha -Suas palavras ácidas e sexys atingem-me em cheio

Meu interior se contrai com mais força e ela acha graça, mas quem ri por último, ri melhor. Adentro sua intimidade com três dedos de uma só vez e ela nem ao menos protesta, Camila havia disfarçado bem seu estado de completa entrega, seu clitóris inchado denunciava o quanto aquela boceta já havia gozado e suas pernas estavam tão meladas e quentes que só perdiam para seu interior, ahh seu interior, a mulher estava em uma mistura de relaxamento e contração, seus músculos pulsavam e sua região parecia um pouco dormente. Quantos orgasmos ela teria escondido de mim?

A partir daí minha mente de entorpeceu e tudo o que poderia pensar era em Camila e seu corpo, seu cheiro, seus toques...Talvez se passaram segundos, talvez tenhamos ficado ali nos tocando por horas, eu nunca seria capaz de dizer. Apenas poderia relatar que quando finalmente nossos corpos sucumbiram a exaustão total atingimos o precipício juntas, olhando uma os brilhantes olhos da outra. Escorreguei meus dedos para fora de seu interior sentindo ela gemer baixinho e repetir meu ato, meu corpo pesou contra o colchão e aquele monumento latino caiu sobre mim, sua pele dourada reluzia feito ouro pelas gotículas de suor, seu cabelo se misturava ao meu em seu travesseiro e suas pernas se encontrava abertas entre minha coxa esquerda. Sua intimidade beijava a minha, seu prazer se misturava com o meu

—Isso foi -As palavras vieram mas morreram logo em seguida

Camila me fitou atenciosa, como se procurasse alguma palavra existente no mundo capaz de definir o que havíamos proporcionando uma a outra, o que havíamos sentido juntas, como uma só

—Eu te amo-Ela disse baixinho, roçando seu nariz no meu

E não foi preciso mais nenhuma palavra, aquela ainda não era capaz de definir todo aquele turbilhão de emoções, mas seria a mais próxima de uma definição que encontraríamos

—Eu te amo -Repito suas palavras e seu gesto

E então ficamos ficamos assim, uma nos braços da outra, finalmente entregues.De alma, corpo e coração...

—Ei, não se acanhe -Digo ao perceber que ela parara de cantar ao notar que eu na verdade estava acordada
—Não é nada demais -Ela diz, como que em uma justificativa
Que apenas me deixa frustada, e duas vezes mais curiosa
—Nunca é nada demais -Rebato com certa rispidez
—Não está pronta -Sua rapidez em cuspir as palavras me denuncia a tentativa falha de uma mentira

—Não é verdade, e mesmo que fosse, que mal teria? -Minhas palavras fazem Camila arrepiar ao meu lado

Ela sabia que estava em um beco sem saídas, não que eu fosse pressiona-la até que cantasse para mim, mas Camila sempre havia me mostrado

—Tome -Ela diz, me entregando a folha de papel entre seus dedos

Desdobro-a cuidadosamente, lendo as linhas compostas por sua grafia delicada e me sentindo cortada por aquelas palavras

—Eu não me encontro mais aqui Lauren -Ela diz

—Eu te entendo -Retruco afagando seus cabelos, era chegada a hora, eu sabia disso

Karla respira fundo, e me olha uma última vez antes de se levantar da cama e virar de costas para mim

—Eu estou deixando o Fifth Harmony -Ela diz voltando-se para mim novamente

Eu apenas assento com a cabeça um pouco tonta e a visão turva, mesmo tendo consciência das situações é sempre difícil ouvi-las assim. Ficamos alguns minutos em silêncio, e quando ela finalmente retorna a cama não penso duas vezes antes de abraçar aquela mulher como se fosse a última vez, e de certa forma seria, beijar seus lábios e secar as lágrimas que teimavam em cair de seus olhos

—Está feliz com essa decisão? -Pergunto

—Você está feliz com essa decisão? -Ela retruca

—Estarei se você estiver -Digo e ela respira

—Estou, não gostaria que fosse assim, mas já que é, estou -Ela me diz com os olhos tristes

—Me perdoa por qualquer coisa? -Pergunto sentindo meus olhos marejarem

—Você não precisa pedir perdão por nada Lauren -Ela diz tocando minha bochecha com suavidade

Ficamos alguns minutos assim, abraçadas e em silêncio, apenas digerindo a notícia que finalmente se fazia oficial

—Você quer ouvir? -Camila me pergunta

Sua voz baixa rasgando o vazio do quarto e preenchendo meus ouvidos

—O que? -Pergunto um pouco atordoada

—A música que cantava mais cedo -Ela explica

—Gostaria muito -Digo

E assim que as palavras saem de meus lábios a menina se levanta da cama, capturando seu violão e retornando para ela logo em seguida. Assisto seu dedilhar lento, e logo me hipnotizo

" I have questions for you

Number one, tell me who you think you are

You got some nerve trying to tear my faith apart

(I have questions for you)

Number two, why would you try and play me for a fool?"

—Isso é...-Começo a dizer mas as palavras morrem em meus lábios

—Sim, mas você não está incluída -Ela responde a pergunta silênciosa

—Eu sinto muito -Digo com pesar

—Não sinta -Ela diz sorrindo e afastando a lágrima que teimava em cair

—Mas, sabe, mudando de assunto. Eu fiz algo bem legal esses dias e essa sim gostaria de te mostrar -Ela diz retornando a animação que eu tanto amava

—Ficaria honrada -Digo e faço uma espécie de reverência como brincadeira

Ouvindo a mexicana rir e em seguida brincar com meu cabelo bagunçado

—Vou me levantar, essa já possui até dancinha -Ela diz batendo palmas como uma criança feliz

Eu nem havia ouvido a canção ainda, mas tinha certeza absoluta, era maravilhosa.

Ouço atentamente a cada nota que saia por seus lábios, cada trecho da canção até agora desconhecida por mim. Era linda, forte e amorosa como Camila. Independente e viciante, como Karla. Deus só poderia estar testando nossas sanidades quando resolveu coloca-las em uma mesma pessoa, não haveria nenhuma outra explicação

—Eu não vou te perguntar o que achou dessa, não porque sua opinião não importe mas sim porque essa música é muito pessoal para mim e não desejo saber a opinião de ninguém sobre ela. Ela é única, e especial, e linda. E eu não mudaria nada nela, mesmo que as vezes -Ela começa a dizer de uma forma concentrada, a mesma que fazia quando respondia perguntas difíceis, mas promove uma pequena pausa

O que levaria ela a pensar que eu poderia não ter gostado daquela letra? Camila só poderia estar doida, ou insegura, ou apenas sendo Camila. Assisto a morena tocar seu queixo pensativa, como se buscasse as palavras certas em sua mente para continuar o discurso que fazia da melhor forma possível

—As vezes eu sinta a necessidade de mudar uma estrofe, ou simplesmente apagar tudo e começar de novo, ou até mesmo jogar essa música fora e desistir dela sabe? Mas eu não posso, porque entendi que minha vida não pode ser jogada fora, nada do que já passei foi em vão e pode ser descartado ou apagado, isso possui pontos positivos e negativos de uma forma total e são esses pontos que me moldaram. Que fizeram de mim quem sou hoje, e essa música reflete tudo isso, e é por isso que sinto que não posso muda-la, porque ela aconteceu assim, sem pensar, apenas levando sabe...como a vida -Suas palavras vão se tornando mais afobadas, assim como sua respiração, denunciando a rapidez que seu cérebro pensava nas palavras enquanto praticamente ao mesmo tempo ela se lembrava das situações e as contava para mim em forma desse discurso. Era simples, involuntário, mas lindo, tão lindo quanto ela

—Eu não tenho palavras que possam se igualar a grandeza de seu discurso, me desculpe -Digo um pouco sem graça, não gostaria que ela pensasse que eu simplesmente não estava ouvindo nada do que ela havia dito para mim

Mas a latina abre um sorriso lindo, me mostrando que havia entendido perfeitamente o que gostaria de dizer

—Você irá conquistar o mundo Camila Cabello -Digo sorrindo para ela que corava

Aproximo meu rosto do seu em um beijo delicado enquanto nossas mãos se entrelaçavam e o dia começava a nascer lá fora, de novo

—Nunca sonho alto demais Lauren -Suas palavras se perdem entre meus lábios

—Mas não sonhará, estou te dizendo. Você irá conquistar o mundo, e com esta música, essa mesma música -Digo recebendo um sorriso acompanhado de um novo beijo ardente

—Promete estar ao meu lado quando isso acontecer? -Camila me pergunta

Seus olhos se perdiam junto aos meus

—E você, promete estar ao meu lado para o resto de nossas vidas? -Pergunto

E sou presenteada com aqueles olhos castanhos brilhando como estrelas cadentes, o brilho mais lindo que eu já havia visto, em toda a minha vida

"Havana, ooh na na

Half of my heart is in Havana, ooh na na

He took me back to East Atlanta, oh na na na

All of my heart is in Havana

There's somethin' 'bout his manners

Havana, ooh na na(...)"

21. März 2020 00:53:23 0 Bericht Einbetten Follow einer Story
0
Das Ende

Über den Autor

Kommentiere etwas

Post!
Bisher keine Kommentare. Sei der Erste, der etwas sagt!
~