Psycho Love - Loki Follow einer Story

carollaufeyson1999 caroline queiroz

Eis que o Deus das mentiras precisa de ajuda psicológica para alcançar seu equilíbrio pessoal, e essa ajuda vem de uma psicóloga Midgardiana. Pense em um homem cheio de segredos e conflitos internos que é atormentado por seus próprios demônios, um homem que é visto com maus olhos por todos aqueles que o cercam. Agora imagine uma mulher tentando cura-lo de todos esses males e ainda tentar compreende-lo. Uma mistura explosiva de sentimentos e conflitos, onde a paixão pode falar mais alto que a razão. Roza é uma jovem psicóloga, ela vê seu mundo ficar de ponta cabeça quando seu caminho cruza com o de Loki. O objetivo dela é tentar compreender o Deus e lhe trazer um pouco de maturidade. O maior desafio de Roza será desvendar Loki e tentar desenterrar seus segredos e mentiras, o que não será nada fácil. Uma mistura infernal de personalidades e sentimentos. Lei sobre plágio Copiar essas ideias sem a permissão do autor é crime, pois isso configura uma forma de roubo e roubar ideias é plágio, e plágio é crime. Na lei existem algumas especificações sobre o crime de plágio. Crime de Violação aos Direitos Autorais no Art. 184 - Código Penal, que diz: Art.20 de ago de 2013


Fan-Fiction Filme Alles öffentlich.

#longfic #asgard #Agentsofshield #AgentesdaShield #vingadores #thor #ninadobrev #TomHiddleston #loki
0
3.6k ABRUFE
Im Fortschritt - Neues Kapitel Alle 10 Tage
Lesezeit
AA Teilen

Causas e Consequências

Loki


Asgard


Localização: Masmorras/Abaixo do palácio


Fui condenado a pagar por meus crimes em Midgard sendo preso nas masmorras, não é uma sentença simples, era a prisão ou a execução, particularmente eu preferiria uma morte rápida do que uma prisão eterna, fui condenado a passar o resto de minha vida preso, para alguém como eu, isso significa milénios a fio de isolamento e solidão.


Sou completamente ciente dos meus atos, sei o caos que causei na terra, sei ao todo quantas vidas se perderam por minhas mãos, sei cada ato gerado por mim; como causei tudo, sou o responsável por todo o mal e como tal causador, devo assumir meus erros.


Eu seria um bom rei, teria a terra em meu controle, entregaria o Tesseract a Thanos e me veria livre de tantas ameaças e pressão vindas do mesmo, mas agora tudo encontrou seu fim, tudo acabou; olho para o futuro eminente que me espera e vejo claramente meu destino, vejo ao longe minha silhueta jogada ao chão gelado da cela, consigo vislumbrar as roupas rasgadas e gastas que estarei vestindo e a longa barba e cabelo a fazer, vejo a indigência fatal que está ao meu encalce, tudo isso por causa de um ato tão patético.


Mas isso é a menor das preocupações, a monotonia e a vergonha são fardos impossíveis de se carregar no momento, todos nesse reino sabem o que fiz, os mesmos sabem quem sou de verdade, me veem agora como um criminoso e destruidor. A monotonia virá com o tempo, estando preso entre quatro paredes sem nada de novo para desbravar ou desvendar, preso em uma caixa por milênios, sem ver a luz do sol ou as constantes mudanças dos nove reinos, esse é meu destino, ficar isolado de tudo e todos.


Para Odin só existem três meios de punição: Exilio, prisão ou morte, dois desses posso riscar da lista por dois motivos, sei que Odin nunca me daria exilio, pois de certa forma eu estaria solto em algum lugar e consequentemente poderia armar um novo plano de vingança, o que nesse momento tem consumido muito meu tempo aqui, exilado eu teria tempo e liberdade para armar algo grandioso em prol da minha saciedade pessoal, poderia criar uma vingança majestosa e colossal que destruiria tudo e todos, Odin sabe disso, por isso não optou pelo exilio. Quanto a pena de morte, sei que isso tem a ver com Frigga, minha mãe sempre zelou por mim, mesmo eu sabendo que a mesma não tem laço maternal comigo, pois não tenho sangue Odinson em minhas veias, mas sim sangue Jöthun, sei que ela implorou a Odin por minha vida, e o mesmo não querendo magoar Frigga, optou pela última opção, a opção mais cruel de todas, a prisão eterna.


Me enche de Raiva saber que Thor está lá fora livre, me indago a pensar se o mesmo estaria pagando como eu nesse momento, se fosse ele o causador de tanto caos, mas o mesmo sendo o primogênito de Odin, com certeza jamais pagaria por seus atos, no mínimo seria exilado novamente, e é isso que me deixa mais indignado, a diferença de tratamento entre mim e ele, dês de tempos remotos atrás, sempre foi Thor o predileto, sempre foi Thor o primogênito, o orgulho autentico de Odin, quanto a mim, eu era somente Loki o mentiroso, esperar por algo a mais seria tolo de minha parte, cresci tentando agradar um pai que sempre teve os olhos voltados ao filho mais tolo, enquanto isso o filho devoto que fazia tudo para conquistar sua aprovação e orgulho era ignorado dia após dia, são essas coisas que me enchem de ódio, é isso que me faz almejar o caos e a destruição; a certas coisas e seres nesse vasto universo que merecem ser dizimados e fragmentados pela dor, merecem a inexistência.


Estou preso a alguns meses, para ser exato pelas minhas contas 4 longos meses, me sinto insano e impotente preso nesse lugar, Frigga tem me trazido livros, mas isso não é o suficiente, logo entrarei em completa loucura, não posso mais ficar preso nesse maldito lugar.


A monotonia tem me tomado em silêncio, para minha pessoa isso significa a catástrofe e minha pouca sanidade está beirando ao completo caos, mas sou o deus das mentiras, tenho que manter o foco e tentar ser frio quanto a isso.


Sala do Trono


Odin estava sentado em seu glorioso trono, tinha uma postura séria, ao seu lado em cada beiral do trono estavam seus corvos mensageiros, Odin se sentia indeciso quanto a Loki, mas sabia que o melhor para o filho adotado seria a prisão.


Odin viu as grandes portas da sala do trono se abrirem, viu Thor se aproximar com sua esvoaçante capa vermelha, seu filho primogênito havia retornado a Asgard.


-Meu pai posso falar com o senhor? -Indagou Thor fazendo uma longa reverencia ao pai de todos.


Odin olhou os olhos do filho mais velho, não o via a alguns meses, viu que o mesmo tinha algo sério a lhe falar, a testa de Thor estava enrugada o que mostrava receio e preocupação.


-O que te afliges Thor? -Indagou Odin sério.


-Meu pai vim de Midgard propor algo. -Falou o Deus do Trovão.


-E que proposta seria essa que te faz vir a mim em busca de consentimento? -Questionou Odin.


-Como deve saber eu tenho protegido Midgard dos maus que a rodeiam, ajudo os nobres Vingadores contra seus inimigos e ajudar os humanos me faz sentir-me bem, já fazem quatro meses que Loki está preso, vim lhe pedir com toda minha nobreza e esperança que deixe-me levar Loki comigo para Midgard. -Falou Thor sério e Odin o olhou com certa confusão.


-Propõe que eu liberte um criminoso para o mesmo voltar ao lugar ao qual causou tanto mal? isso é o cumulo da ingenuidade Thor. -Falou o pai de todos não gostando nada da ideia do filho mais velho.


-Primeiramente meu pai, esse criminoso é meu irmão, em segundo, ele causou muito mal em Midgard sim mas o mesmo deve pagar por seus crimes fazendo algo em prol do bem da humanidade, Loki é habilidoso, sua prisão é um desperdício de habilidades em campo de batalha e estratégia, Loki fez mal aos humanos, o certo seria ajudar os mesmos agora. -Falou Thor com palavras sábias e Odin começou a considerar a proposta do filho.


-Veio até mim pedir uma segunda chance ao seu irmão, sabe que se fosse ao contrário Loki jamais moveria um dedo por sua liberdade. -Falou Odin e Thor assentiu.


-É isso que me diferencia de Loki, meu pai, peço que considere, antes de vir ao seu encontro eu falei com a S.H.I.E.L.D, a mesma é a responsável pela segurança da terra, os mesmos vem benefícios em ter Loki ao seu lado lutando pelo bem da humanidade, os humanos são modernos, criam meios de monitorar e supervisionar homens como Loki, também ofereceram tratamento psicológico a ele, tudo isso para conseguirmos compreende-lo e dar a Loki uma segunda chance; meu pai, ambos sabemos que Loki não era assim, o mesmo era um bom homem, mas foram as divergências do destino que o levaram a tomar caminhos tão sombrios, peço que considere. -Falou Thor e o pai de todos olhou o filho com curiosidade.


Thor estava amadurecendo, isso era visível a Odin, a vida na terra moldou Thor e o tornou um homem melhor, talvez de fato possa acontecer o mesmo a Loki, mas isso Odin saberia apenas se aceitasse a tal proposta.


-O que me garante que Loki não o enganará? -Indagou Odin.


-Isso será um jogo do destino meu pai, teremos que confiar em Loki de novo. -Disse Thor.


-Loki vai trair a ti na primeira oportunidade e fugir de Midgard. -Falou Odin.


-Ele não vai. -Falou a voz da amada de Odin.


Frigga ouvia tudo ocultada por magia, assim que a viu, Thor correu até ela e se abraçaram.


Odin negou com a cabeça, ele sabia que Frigga ansiava por mudar Loki e que se ela concordasse com Thor, Odin teria que se moldar ao desejo de ambos.


-Minha mãe você ouviu? -Indagou Thor ainda abraçado a mãe.


-Sim meu menino, concordo com cada palavra sua. -Falou Frigga sorrindo.


Odin bateu o Gungnir no chão e o som do cetro ao chão levou a atenção de mãe e filho a ele.


-Ambos depositam confiança de mais em Loki, sabem que o mesmo não tem salvação, vai enganar a todos nós com suas magias e enganações. -Falou Odin sério.


-Não, sei uma maneira de manter Loki rendido, limitarei a magia dele, o mesmo não vai poder fugir de Midgard. -Falou Frigga esperançosa.


Odin a olhou esperando uma explicação.


-Tenho um antigo bracelete antí magia, apenas preciso modifica-lo com feitiçaria e ele se tornará apto ao uso de Loki, assim você terá algum controle sobre seu irmão. -Falou Frigga olhando Odin, por fim observou Thor.


-Loki é perspicaz, vai se livrar do bracelete tão facilmente quanto colocá-lo. -Falou Odin querendo terminar com aquela situação de uma vez por todas.


-O bracelete após colocado no mesmo se afixará a sua pele, só pode ser tirado por aquele que o colocou, e esse alguém sou eu, estando na terra Loki não poderá se livrar do mesmo. -Falou Frigga olhando Odin. -Por favor de uma chance ao nosso menino. -Pediu a rainha suplicante.


Odin amava sua esposa e viu seu olhar suplicante, ao lado dela Thor também parecia esperançoso.


-Que assim seja. -Falou ele aceitando a proposta, Thor e Frigga sorriram. -Mas existem um porém em todo esse plano, se Loki falhar em mudar, voltará as masmorras e se o mesmo ousar causar mal a humanidade ou quaisquer outro reino, o mandarei direto a execução. -Falou Odin sério por fim.


-Loki não falhará. -Falou Frigga esperançosa.


-Obrigado meu pai, obrigado por aceitar minha humilde proposta, obrigado pela confiança depositada em minha pessoa. -Falou Thor alegre.


-Faça o que tem em mente, supervisione seu irmão e tente colocar sanidade naquela cabeça orgulhosa e maquiavélica. -Falou o pai de todos olhando o filho.


-Farei meu pai, agora se me der licença, contarei a Loki as boas novas. -Falou Thor que fez reverencia e saiu da sala do trono.


-Prepararei o bracelete meu marido, com licença. -Falou Frigga sorridente que também saiu da sala do trono.


Era visível a felicidade na face da esposa e filho, Odin sabia que Loki não mudaria, mas o mesmo teria que fazer o bem, mesmo contra a vontade, se o mesmo quer liberdade que a mereça.


Odin sente uma pontada no peito ao pensar em Loki falhando na terra, na possibilidade de aplicar a punição de execução ao filho adotivo, por mais que Loki tenha errado, o mesmo ainda era seu filho, e Odin o amava.


Nesse momento Odin depositava sua fé em Midgard e ao filho benevolente que ainda tem alguma esperança a respeito de Loki, Odin também queria ter essa esperança. O mesmo aceitou a proposta do filho Thor, o que lhe resta é apenas aguardar os bons frutos dessa decisão.



26. Januar 2019 02:19:41 0 Bericht Einbetten 119
Lesen Sie das nächste Kapitel Mentes Conturbadas

Kommentiere etwas

Post!
Bisher keine Kommentare. Sei der Erste, der etwas sagt!
~

Hast Du Spaß beim Lesen?

Hey! Es gibt noch 4 Übrige Kapitel dieser Story.
Um weiterzulesen, registriere dich bitte oder logge dich ein. Gratis!