isismarchetti Isís Marchetti

Depois de muito tempo indignado pela mentira espalhada com tanta facilidade, digo agora a verdade esperando alcançar o máximo de pessoas possível.


Kurzgeschichten Nur für über 18-Jährige.

#desafio #mitologiagrega #ZeusPaiDeTodos #Hério #estatua
Kurzgeschichte
2
4.4k ABRUFE
Abgeschlossen
Lesezeit
AA Teilen

A Verdade Nunca Antes Contada

Contam-se por aí muitas histórias sobre uma mulher cujos olhos transformavam em estátuas de pedra todos aqueles que a encarassem. E hoje venho lhes contar toda a verdade sobre esse mito.

Provavelmente, para que você possa entender, devo começar lá do início. E quando digo início, começaremos pela história da minha mãe. Seu nome era Danae.

Meu avô, Acrísio, Rei de Argos, desapontado por não ter herdeiros masculinos, procurou por um oráculo, que lhe respondeu que mamãe não deveria ter filhos. Alguma baboseira de que, mesmo que se escondesse no fim da Terra, seria morto pelo seu neto, filho de Dânae. No caso, eu.

Após o aviso do oráculo quadrado, vovô resolveu trancá-la numa torre bem alta, com o intuito de que ninguém se apaixonasse por ela. A manteve constantemente vigiada por seus guardas mais valorosos. No entanto, meu pai, Zeus, ao vê-la na Torre, se apaixonou por ela.

Para encontrá-la ele se transformou numa nuvem dourada e foi ao seu encontro. Após a chuva dourada que recebeu, ela ficou grávida de Zeus. Dessa união mais sem sentido que eu já ouvi na minha vida, eu nasci.

Quando o meu avô ficou sabendo, resolveu pedir aos guardas para trancar a filha e a mim numa arca e lançá-la no mar. Após dias na deriva, nós fomos encontrados por um pescador, que amigavelmente nos ofereceu abrigo e comida. Quando atingi uma certa idade, meu primeiro passo após atingir a independência, foi matar meu pai por tudo que ele havia nos causado.

Após muitos rumores assombrarem os homens do rei Polidecto, ele resolveu me enviar para enfrentar o monstro conhecido como Medusa. Os rumores diziam horrores sobre a guardiã, coisas como quem quer que olhasse diretamente para ela seria transformado em pedra e que seus cabelos eram feitos de cobras e que, no lugar de pernas, ela rastejava igual a serpentes. Os homens temiam ter que enfrentá-la, e muitos, ao serem designados para a missão, acabaram fugindo para outras terras.

No entanto, eu não tinha nada a temer, não restava nada a perder e muito menos alguém para voltar, não só eu sabia disso como o rei também, por isso eu era um dos seus últimos recursos, não era só pela força que eu tinha. O rei não se importava com um ninguém como eu.

Lembro-me perfeitamente daquele dia, do dia que eu encontrei Medusa. Após três dias de viagem, encontrei uma caverna, apesar de ser no meio do deserto. Na entrada conseguia sentir a umidade das rochas, constatando que lá tinha provavelmente alguma fonte. O que me deixou feliz, estava sem água há um dia já, e começava a sentir falta.

De certo que eu me sentia incrivelmente desencorajado, não queria enfrentar um monstro, nunca quis. E o medo se projetava como suor que descia em minha espinha, morrendo quando encontrava o meu cinto de couro. Me armei com meu escudo e busquei minha espada na bainha, inspirando e expirando várias vezes, procurando me preparar para acabar com aquilo logo.

O primeiro passo havia sido dado e, apesar de a caverna ser no meio do nada, o que havia encontrado do lado de dentro, com certeza me surpreendeu. Do lado de dentro, passava uma brisa de ar, que parecia o ar mais puro que já havia inalado na vida. O aspecto de umidade chamou minha atenção mais uma vez e me esgueirei procurando por uma pequena poça de água que fosse. E foi ali que eu encontrei o que eu não procurava.

— Quem está aí? — perguntou a mulher que estava de costas e nua enquanto se banhava em um pequeno riacho.

— Não adianta não dizer nada! Escuto sua respiração e seus passos! Sei que tem alguém aqui. — Enquanto ela dizia, demonstrava agitação ao olhar para ambos os lados à procura de alguém. — Se revele! — bradou mais alto.

Meus pés se arrastavam ao seu encontro, quase como um encanto.

— Você é um deles, não é? — sua voz soava um pouco mais tranquila. Aparentemente sabia o do porquê da minha vinda. — Eu consigo sentir esse cheiro desprezível em seu sangue. — Sua frase estava carregada de nojo e até mesmo ódio. — Ele o mandou para me matar? Poseidon não merecia meu amor!

Fui pego de surpresa.

Antes me parecia que a mulher sabia que eu havia sido enviado pelo rei para conquistar sua cabeça. Mas em algum momento a minha realidade não batia com a dela. Poseidon havia a trancado ali? Por quê? Por que o rei Polidecto queria se intrometer com casos inacabados do deus dos mares?

— Não! Espera…

— Então você finalmente se revelou — disse. Seus olhos enfim se encontraram com os meus, quando minha voz denunciou minha localização. Ao contrário do que muitos diziam, eu não havia me tornado uma estátua de pedra.

Era até engraçado, parando para pensar, eu me lembrando com maestria o medo que corria por minhas veias, ficava imaginando que tipo de criatura encontraria lá dentro e como eu ganharia aquela batalha que em nada era ao meu favor, não se considerarmos os rumores que diziam sobre a tal Medusa.

A mulher tinha uma beleza jamais vista por mim em algum lugar naquela terra. Seus olhos eram tão claros que me impossibilitavam até mesmo de tentar saber se mais de perto eles carregavam outra tonalidade. Desconfiei da sua deficiência visual após encarar aquelas bagas claras por um bom tempo. Mudei sutilmente de local, sem fazer nenhum barulho, mas surpreendentemente seus olhos seguiam cada passo meu.

— O fato de ser cega não significa necessariamente que eu não sei aonde você está. — Foi simples em sua declaração.

Ela era mais esperta do que conseguiria pôr em palavras. Estava completamente desconsertado diante de sua presença. Suspirei pesado, quase admitindo derrota.

— Ao menos, antes de tentar me matar, poderia, por favor, me passar a toalha? — perguntou, enquanto se levantava no riacho e pela primeira vez ficava de frente para mim. — Por que Poseidon enviou um semi-deus como você para me matar? — Medusa não demonstrava medo em momento algum e não chegou se deixar sentir-se intimidada por uma presença que ela não esperava receber.

— Poseidon não me enviou para a matar!

— Não?! — Suas sobrancelhas arquearam demonstrando claramente como aquilo a pegou desprevenida. — Para o que ele o mandou aqui então? — disse, se enrolando na toalha que eu joguei para si, sempre mantendo uma distância segura.

— Quê? Que parte você não está entendendo disso tudo? Poseidon não tem nada a ver com o porquê de eu estar aqui!

— Não. isso é impossível! Você cheira igual a eles, a todos eles!

Por um momento eu cheguei a imaginar que a mulher se irritaria.

— Olha, eu não deveria tentar mostrar nada a você ou muito menos explicar, aceite minhas respostas se quiser! Estou dizendo que não tenho nada a ver com Poseidon ou com qualquer outro deus que você trouxer para essa conversa — falei. — Estou aqui porque Polidecto me enviou.

— Aquele ser humano ridículo! Claro que ele enviaria alguém... — Suspirou.

— Então me diga, por que motivo ele me enviou aqui? O que ele quer com você? — perguntei. Apesar de todos os cidadãos daquela terra acharem o rei justo, eu fui um de seus soldados e sabia perfeitamente que de justo ele não tinha nada, na verdade não valia o pão que comia.

— Aquele reizinho miserável me encontrou, mas queria que eu fosse para o castelo com ele e me tornasse uma de suas concubinas. Até parece. Eu, a ex-mulher do deus dos mares, uma concubina! Quando disse para ele que Poseidon o mataria se descobrisse sobre isso, ele zombou de mim e enviou vários de seus homens para tentar me matar — resmungou. — Eu salvei a vida dele! E em troca ele se sentiu ofendido e decidiu me matar.

— Por que Poseidon a prendeu aqui? — perguntei, sem delongas.

— Poseidon acredita que eu o traí.

— E você o fez? — perguntei como quem não queria nada, enquanto olhava cada canto daquela caverna que mais me parecia uma casa, pois ali tinha muitas coisas para que a mulher pudesse viver escondida.

— Isso não lhe diz respeito! — falou ríspida, enquanto terminava de pentear os cabelos, após se vestir durante nossa conversa.

— Tem razão, me desculpe por ser intrometido.

Aquela conversa era engraçada, ela me passava uma tranquilidade que parecia que eu a conhecia há muito tempo e com isso conseguia manter uma história normal com a mulher.

— Por que os homens do rei fazem tanto alarde sobre você? — perguntei. — Dizem coisas horríveis na cidade, coisas sobre as pessoas virarem estátuas de pedras se olharem em seus olhos, sobre seus cabelos serem feito de cobras e sobre como você se rasteja por aí — contei.

— É interessante saber sobre isso, mas como uma pessoa sairia viva daqui para contar essas coisas terríveis se eu realmente tivesse quaisquer uma dessas características por você citadas? — perguntou se aproximando de mim.

Não tive medo daqueles olhos brancos, seus cabelos, tão longos e com um certo brilho mostrando que ainda estavam molhados, em nada se pareciam com cobras, e suas pernas, que estavam cobertas por uma simples seda branca, quase transparente, também não evidenciava uma calda com a qual pudesse rastejar.

— Por que estás presas aqui? — perguntei. Não fui capaz de parar minha mão, quando vi já era tarde demais e elas já acariciavam seu rosto.

Medusa era como um imã pra mim, algo nela me fazia sentir tranquilidade e segurança e uma parte de mim também gostaria que ela se sentisse assim comigo. Queria que ela confiasse em mim. O porquê eu nunca consegui descobrir. Mas imaginei que era o destino brincando conosco, cruzando nossos caminhos. Era algo que realmente tinha que acontecer. Eu me senti tão dela que poderia dizer que em algum momento eu provavelmente fui enfeitiçado.

— Me tire daqui — implorou com sua voz suave, quando uma lágrima solitária rolou por seu rosto.

Antes que eu pudesse atender seu pedido, um grito de agonia soou pelas paredes de concreto da caverna.

— Ela está vindo! — chorou mais ainda Medusa. — Minha irmã irá destruir você! Saia daqui imediatamente e não volte nunca mais se não quiseres morrer!

Medusa, em um movimento muito rápido, tapou meus olhos com suas mãos e então pediu que eu não os abrisse. Tudo então havia feito sentido para mim. O monstro de toda aquela história não era Medusa, e sim uma de suas irmãs.

— Somos em três Górgona. — falou próxima aos meus ouvidos. — Poseidon não sabia sobre minha família, podemos dizer que eu nasci com características diferentes das minhas irmãs. Não sou completamente humana, apesar da aparência, mas também não sou um monstro. Quando Poseidon descobriu a verdade, me trancou, com a desculpa de que eu era uma aberração. Mas não é verdade!

— Como podemos sair daqui?

— Pegue meu escudo e as botas aladas que o deus dos viajantes me deu! Use-os para nos libertar e eu prometo que sempre estarei ao seu lado!

— Perseu! Meu nome é Perseu — eu disse.

— Perseu, com licença! — disse subindo por minhas costas e em momento algum tirando suas mãos de cima de meus olhos. — Serei seus olhos e ouvidos, mesmo não tenho o primeiro, eu cresci assim devido à raiva de minhas irmãs, então estou acostumada.

— Vamos, Medusa. Vamos sair daqui e prometa viver sempre comigo, farei de tudo para conquistar seu coração!

Dessa forma, Medusa me guiou para a vitória, onde juntos derrotamos sua irmã e arrancamos sua cabeça.

Depois daquilo, nunca mais olhamos para trás e nunca mais voltei para as terras do rei Polidecto.

Construímos nossa vida e vivemos felizes para sempre, ao contrário dos mitos que muitos contam por aí. As moiras já sabiam que isso estava para acontecer. Segundo elas, eu unicamente nasci para libertar Medusa de seu castigo injustiçado que Poseidon a havia prendido.

O rei, não satisfeito com o meu sumiço e após descobrir que mais ninguém habitava naquela caverna, mandou construir uma estátua; Perseu segurando a cabeça de Medusa. Nunca houve um equívoco maior na história da Grécia.

21. November 2020 19:26:36 20 Bericht Einbetten Follow einer Story
10
Das Ende

Über den Autor

Isís Marchetti “Se você não tem tempo para ler, você não tem tempo (nem o ferramental) para escrever. ” Apaixonada por livros, mangás, fanfic's e séries, e por escrever também! Já li tantos livros, que até a conta já perdi. Adoro escrever, mas não tenho muito tempo para isso. Taurina (mas nem um pouco ciumenta, como dizem por aí) e um trabalho de 24horas por dia, da qual a palavra que mais escuto é "mamãe". E é isso aí...

Kommentiere etwas

Post!
Anne Claksa Anne Claksa
Olá! Sendo um conto de mitologia grega,já me interessou e a sinopse me fez querer ler mais ainda. Queria saber como seria essa a verdade por trás de uma mentira contada por tanto tempo. Você iniciou bem, começou contando a origem de Perseu, até chegar ao momento de ir matar a Medusa. Logo que se encontram, ele não vira pedra, o já nos intriga. Então, Medusa se revela e conta a sua história. Para nossa surpresa e de Perseu, ela não se parece com um monstro, não tem cobras no lugar dos cabelos, não transforma pessoas em estátuas e muito menos tem uma cauda no lugar das pernas, como sempre contavam. Ela é uma linda mulher, que só estava lá por causa de uma cisma de Poseidon. Quem era o monstro na verdade, era a irmã dela e muitos que iam na caverna, viam uma criatura, viam a Medusa, achavam que ela era o monstro e saíam por aí contando o que "viram". Perseu matou o monstro e foi viver um romance com Medusa. Como não havia retornado, o tal rei fez uma estátua com Perseu segurando a cabeça da Medusa, dizendo que o herói matou o monstro. E como dizem que não se pode duvidar da palavra de um rei e se tem uma estátua sobre o feito, então, é verdade e todos acreditam. Mas, só Perseu sabe da verdadeira história. Parabéns pelo conto! Até a próxima!!!
March 26, 2021, 16:13
Verônica Ashcar Verônica Ashcar
Olá, Isis, tudo bem? Bom antes de começar meu comentário, gostaria de deixar uma impressão bacana ao analisar essa história. É engraçado como as lendas atravessam gerações e se pararmos para pensar na história do telefone sem fio essas lendas podem ser transpassadas de forma infiel a realidade! Afinal no caso das mitologias elas quase morreram por conta do cristianismo! E aqui que chegamos, a Medusa se pegarmos a sua história ela é extremamente injustiçada, a imagem do que acontece com a figura feminina no patriarcado opressor que vivemos, e ter uma história que vai contra o final trágico dele, aquece meu coração! Gostei da forma que tu retratou a Medusa e Perseu, a história tocou meu coração e eu estou muito feliz pela leitura! Fora claro o enredo amorzinho, esse conto é bem escrito os personagens são consistentes, me arrependo de não ter lido antes, fez a mina semana mais feliz! Obrigada pela experiência Isis rainha! Beijinhos 😚
March 15, 2021, 14:05
 Silva Silva
Saudações! Fico feliz com o carinho que a Medusa recebeu nas histórias do desafio, e a sua foi uma grata surpresa. Muita boa a reviravolta que você implementou na trama e conduziu tudo até o satisfatório final. Ao menos aqui, ela teve um final feliz :')
November 27, 2020, 19:12
Inkspired Brasil Inkspired Brasil
Olá, Isís! Gostaríamos, primeiramente, de te agradecer por ter abraçado um de nossos desafios e colaborado com ele nos bastidores. Fizemos o #ZeusPaiDeTodos com muito carinho, pensando especialmente em vocês, e receber esse retorno com contos que nos mostram novas versões dos mitos já conhecidos feito o seu nos motiva cada vez mais. A nossa experiência de leitura já se inicia bem graças à sinopse que nos enche de curiosidade. Que verdade é essa que precisa ser espalhada para o mundo? Por quê? E então somos levados à uma narrativa cativante, com um ponto de vista privilegiado de toda a história e nos vemos presos até o findar do conto, que traz uma nova roupagem ao mito de Medusa e Perseu. A história de Medusa por si só causa indignação por muitos motivos, em principal por causa da traição sofrida e pelas punições a ela atribuídas quando, em vez disso, ela deveria ter sido acolhida e cuidada pela deusa a qual era devota; nosso coração se parte em mil pedaços vendo o quão foi negligenciada e pintada como vilã da história. A versão nova que você trouxe para o mito, introduzindo as irmãs como as verdadeiras donas de um olhar petrificante — literalmente — foi de nos deixar sem fôlego, ansiando pelo que viria em seguida. No início, é fácil imaginar que Perseu está sendo levado à uma armadilha, se considerarmos o mito original e o que acontece nele, mas acabamos por ser surpreendidos quando percebemos que já estamos tão enfeitiçados quanto ele pela bela Medusa. Depois de notar isso, é realmente impossível não torcer para que o casal consiga sair com segurança e estabelecer laços sólidos, longe daqueles que desejam seu mal. Ah, não podemos esquecer da indignação que nos aflingiu quando descobrimos o que o rei fez: ergueu uma estátua a fim de declarar que o “monstro” fora exterminado por Perseu, perpetuando na história uma mentira onde Medusa continuava sendo a vilã. E isso lembra de uma coisa importante: das muitas histórias que foram passadas por séculos de professores para alunos e contestadas depois por outros estudiosos. É assim: o vencedor conta a história que quer, porém nada é tão bem oculto para que assim permaneça para sempre, não é mesmo? Ficamos muito felizes por poder acompanhar a aventura desses dois e desvendar a realidade escondida por detrás do mito que conhecemos por tanto tempo. Você conseguiu trabalhar um romance que nos deixou tanto tenso quanto morrendo de amores por Medusa e Perseu. Além disso, agradecemos todo apoio que nos deu durante a produção deste desafio. Como sempre, pudemos contar com você para impulsionar as publicações, para esclarecer dúvidas e muito mais. Obrigada por sempre estar com a gente!
November 26, 2020, 19:33
Gabriel Amaro Gabriel Amaro
Eu tava doido pra ler histórias sobre a Medusa no desafio e fui ler a sua logo de primeira. Já esperava boas surpresas mas confesso que o final ainda me atingiu como deve um bom plot twist. Muito bom ver um Perseu que questionou seus motivos e chegou em conclusões inesperadas sozinho. Parabéns pela história!!
November 25, 2020, 21:33
Leandro Boscardini Leandro Boscardini
Gostei muito, Isis. Adoro as histórias da mitologia grega, e sua historia ficou muito boa, vi como uma realidade alternativa, contknue com mais mitologia.
November 24, 2020, 22:32

  • Isís Marchetti Isís Marchetti
    Oi, Le! Muito obrigada por ler e comentar, haha. Confesso que quando escrevi esse conto eu não esperava que daria em tudo isso, loucura não é?! Abraços. November 25, 2020, 15:51
Alexis Rodrigues Alexis Rodrigues
Caraca, eu não esperava mesmo que o desfecho fosse esse '-' Eu particularmente gosto da versão em que Medusa mata Perseu, mas adorei a sua versão fofinha com final feliz ♡♡♡
November 24, 2020, 00:16

  • Isís Marchetti Isís Marchetti
    Olá!! Sabe que eu acho que nunca vi essa versão?! asuashaushaushuash. Fico feliz que tenha agradado, de verdade. Abraços. November 25, 2020, 15:49
amy ⛓️ amy ⛓️
Oi, tia Isís. 👀 Ora ora ora, você me deixou agoniada pensando que o final seria terrível, mas desde o primeiro momento estiver surtando com a possibilidade de termos um final diferente pro mito de Medusa; uma das minhas criaturas favoritas dentro da mitologia grega e injustiçada para uma carambola. E ai, meu coraçãozinho derreteu de amores!!! Enfim um fim descente e amoroso para ela depois de tantas injustiças. ♡ Pronto, meu coraçãozinho agora é todo seu mesmo. 😔 Obrigada por participar do desafio e dar apoio pra gente. É muito importante pra nós. Um abraço e boa semana!
November 23, 2020, 01:53

  • Isís Marchetti Isís Marchetti
    Oii, Amy! Tudo bem com você? Aushaush, Medusa de fato merecia um final feliz, não é?! Fico satisfeita em saber que você assim como muitas outras pessoas, gostaram da premissa da história. Obrigada por me dar esse coraçãozinho cabeludo seu hasuhuashuasshuash Abraços. November 25, 2020, 15:42
Sophia Loren Sophia Loren
Nossa, Isís! Adorei! Jamais imaginaria o Perceu com a Medusa. Shippei, hahaha! Senti até pena da pobre Andrômeda (Ei, Poseidon é um babaca mesmo!) Adorei a Medusa inocente. A coitada é sempre retratada como uma vilã sem sentimentos, sendo que ela é a maior das vítimas. E o Perceu como herói ficou muito fofo! Eros fez um bom trabalho fazendo os dois se amarem <3 Fiquei até com vontade de escrever uma história com esse casal, hahaha. Se um dia eu fizer vou te dar os créditos pela originalidade do shipper. Claro, se você permitir! Beijos e muita boa sorte no desafio!
November 22, 2020, 14:12

  • Sophia Loren Sophia Loren
    *Perseu é com "s" kkkk releve esse erro em nome do Senhor. É que fiquei me lembrando do Percy Jackson hahaha! November 22, 2020, 14:14
  • Isís Marchetti Isís Marchetti
    Olá!! Tudo bem? Ausaushuas, confesso que eu também fui pega de surpresa com essa história! Auashuashuash, muito obrigada e sim, com certeza você deveria fazer uma história com esse shippe. Boa sorte com o desafio! November 25, 2020, 15:37
Pri Inácia Pri Inácia
Gostei muito da sua história Isís. Adoro essas tramas do Destino que sempre nos deixam surpresos com seu desfecho. Foi muito bom ver Perseu descobrindo finalmente o motivo dele ter nascido. Mostra como todos temos um propósito na vida. Parabéns ;)
November 22, 2020, 00:32

  • Isís Marchetti Isís Marchetti
    Olá! Obrigada por ter lido a história! Não conseguia imaginar um motivo melhor para que ele tivesse nascido, se não para libertar Medusa. Abraços. November 25, 2020, 15:31
Thays Diniz Thays Diniz
Nossa me surpreendi com o seu conto, nunca havia imaginado nada parecido. Adorei essa versão onde a Medusa tem um final justo e romance inesperado entre ela e Perseu.
November 21, 2020, 23:24

  • Isís Marchetti Isís Marchetti
    Olá! Confesso que até mesmo eu fiquei surpreendida com o desenrolar da história, haha. O fato da Medusa ser injustiçada na história real, foi o que me fez seguir pela linha de raciocínio em que ela era uma suposta heroína dessa vez. Obrigada por ler e comentar! Abraços November 25, 2020, 15:28
Karimy Lubarino Karimy Lubarino
Cara, simplesmente adorei esse final. Na verdade, adorei a história toda. Enquanto ele narrava, até cogitei a possibilidade de se tratar de outra pessoa e fiquei surpresa e feliz por ver que era ele mesmo. A mudança dos fatos e o jeito como ele contou a verdade da história deles só fez com que tudo parecesse ainda mais real. Meu coração se partiu pela mentira e ficou quentinho por saber que os dois conseguiram ficar juntos e bem. Parabéns pela história linda.
November 21, 2020, 20:00

  • Isís Marchetti Isís Marchetti
    Olá! No começo, quando estava escrevendo essa história, nem tinha pensado na hipótese de só revelar o personagem/narrador no final. O que na verdade foi uma surpresa, porque mesmo que não tenha sido o plano, acabou ficando assim, o que deu um diferencial na história, acredito eu. Medusa sempre foi injustiçada, no meu ponto de vista essa história devia ser a real aushaush Obrigada por ter lido e comentado. Beijos November 25, 2020, 15:20
~